Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
09.08.16
ED. 5429

Eletrobras cola todas as peças do quebra-cabeças nuclear

 Na arrumação que será feita na Eletrobras o novo presidente da companhia, Wilson Ferreira Jr., passará uma borracha no atual diagrama de divisão de tarefas, responsabilidades, projetos e gestão do setor nuclear. Ferreira vai assumir a missão atômica de desmontar uma estrutura de blattarias ou isópteros, espécies que simbolizam a resistência de vida no planeta. As baratas são metáforas para o aparelho nuclear do Estado. Alinhado com a Casa Civil e os Ministérios de Minas e Energia e de Ciência e Tecnologia, Ferreira deverá refundar o segmento dos pés à cabeça. De cara, será criada uma empresa para integração da cadeia nuclear, juntando a INB – produtora e processadora do urânio –, a Nuclebrás Equipamentos Pesados e a Eletronuclear – operadora das usinas. Há ganhos para todos os lados na reorganização dessa estrutura esclerótica e fracionada. A consolidação compensa as perdas de capital humano qualificado devido aos programas de demissão, agiliza as decisões e reduz o custo administrativo de funcionamento da máquina em 30%.  Feito o dever de casa, Ferreira traz para o seu colo a retomada da instalação de Angra 3 com um novo modelo. A diferença, pela proposta em estudo, é que o novo construtor bancará com recursos próprios a obra, mas terá a garantia de retorno com a assinatura de um Power Purchase Agreement. Por esse modelo, parte da energia gerada será do construtor, mas a operação da usina ficará com a nova companhia criada para enfeixar a área nuclear.  A reorganização de toda a operação com a captura de multi sinergias, vai facilitar a celebração de acordos da Eletrobras com investidores privados para a viabilização das novas usinas. Isso acontecerá mesmo que não seja aprovada no curto prazo a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que permite a participação majoritária de empresas privadas na operação de usinas nucleares. A nova estatal nuclear terá força suficiente para negociar com esses investidores, em um mesmo pacote, o fornecimento do combustível, a operação da usina e a venda da energia. Essas empresas podem entrar como minoritárias nos projetos – como já aconteceu em outros países, como Estados Unidos e França – e aguardar a aprovação da PEC para assumir o controle das geradoras nucleares. Ferreira promete reger essa orquestra de elementos radioativos com luvas de chumbo e batutas de urânio. Vai extrair mú- sica dos radioisótopos. Currí- culo para isso, ele tem.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.08.16
ED. 5429

Cunha manda CPI do Futebol para escanteio

 A CPI do Futebol é o mais novo exemplo do poder que Eduardo Cunha mantém na Câmara dos Deputados – ainda que um exemplo relativamente prosaico se comparado a algumas de suas maiores façanhas. Nos últimos dias de trabalho da CPI, encerrada há duas semanas, o ex-presidente da Câmara escalou alguns de seus melhores beques na Casa para garantir o esvaziamento da pauta, chutar as votações para escanteio e, sobretudo, proteger atuais e ex-dirigentes da CBF.  O desempenho da zaga de Eduardo Cunha – liderada pelos deputados Washington Reis (PMDB-RJ) e André Moura (PSC/CE), dois de seus mais fiéis aliados – não poderia ter sido melhor. A CPI chegou ao fim sem que o atual presidente da CBF, Marco Polo del Nero, tenha sido sequer convocado a depor. Os dois últimos caciques da entidade, José Maria Marin e Ricardo Teixeira, também escaparam ilesos. É mais um tento na lista de serviços prestados por Cunha à entidade. O parlamentar tem uma estreita relação com a CBF desde os tempos de Teixeira. Mais recentemente, foi o artífice da indicação do deputado mineiro Marcelo Aro para a diretoria de Ética e Transparência da Confederação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.08.16
ED. 5429

Pega, mata e come

 Além dos US$ 2,5 bilhões que pagou pela participação da Petrobras no campo de Carcará, a Statoil vai desembolsar logo na partida cerca de US$ 1 bilhão para compensar os atrasos no cronograma da operação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.08.16
ED. 5429

Troca-troca

 Logo após a votação final do impeachment, Michel Temer vai concluir a dança das cadeiras nas diretorias da Caixa Econômica e do Banco do Brasil. Na CEF, por exemplo, praticamente todos os vice-presidentes ainda são os mesmos do governo Dilma.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.08.16
ED. 5429

Dúvida

• Manter ou não o empresário José Seripieri na gestão da Qualicorp? Esta é a dúvida que paira sobre o Carlyle e o GIC (fundo soberano de Cingapura), fortes candidatos à compra da operadora de planos de saúde. A permanência de Seripieri, ainda que por um período de transição, é vista pelos fundos como uma faca de dois gumes. Ninguém no país conhece tão bem o segmento de planos de saúde por adesão, modelo de negócio que ele próprio ajudou a montar. Em contrapartida, a presença de Seripieri empurra a Qualicorp para as piores páginas do noticiário. O empresário é investigado por supostas doações irregulares para a campanha de Fernando Pimentel.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.08.16
ED. 5429

Samba do avião

 O presidente da Infraero, Antônio Claret de Oliveira, levou ao Ministério do Planejamento e à Secretaria de Parceria de Investimentos uma proposta para que o vencedor da privatização do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, tenha liberdade para acertar a participação da Infraero. O executivo propõe o percentual mínimo de 30%. Claret não quer reduzir o latifúndio aéreo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

 O governador interino do Rio, Francisco Dornelles, tenta convencer o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, a permanecer no cargo até o fim do ano. Beltrame reluta e segue disposto a deixar o governo logo após a Olimpíada.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.08.16
ED. 5429

Tempos de crise

 Maior fabricante de silos da América Latina, a Kepler Weber mandou seu programa de investimentos para o espaço. O valor previsto para este ano é de R$ 25 milhões, quase metade da cifra de 2015. A ordem dos dois maiores acionistas, Previ e BB, é voltar ao azul a qualquer custo. • A seguinte empresa não se pronunciou ou não comentou o assunto: Kepler Weber.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.