Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
01.07.16
ED. 5402

Venda da BR Distribuidora fica no meio tanque

 A opção pela coluna do meio – dividir o controle da BR Distribuidora irmãmente com um investidor – é a saída pela tangente hoje majoritária entre os membros do Conselho de Administração da Petrobras. Ela acomoda a disposição privatista do presidente da estatal, Pedro Parente, que sairia perdedor caso tentasse, a exemplo do antecessor Aldemir Bendine, vender a maior parte ou mesmo a totalidade do capital da companhia. E também vai ao encontro das ponderações do ex-presidente do Conselho da estatal e nº 1 da Vale , Murilo Ferreira, contrário à venda da empresa já, ou seja, antes de um choque de gestão capaz de valorizar o preço do ativo. No novo modelo de associação mano a mano, a gestão seria profissionalizada, o que permitiria em um valuation futuro vender parte do capital em mãos da Petrobras com um elevado prêmio pelo controle, lançando mão da golden share para algumas funções estratégicas da distribuidora.  Abrir mão de 50% das ações da BR é um caminho intermediário: a “mãe” será capitalizada sem perder a ingerência sobre uma companhia que tem, digamos assim, outros deveres relevantes além de gerar lucro na boca da mangueira de gasolina. A BR cumpre uma série de atribuições estratégicas, que vão além das suas fronteiras corporativas e muito provavelmente não seriam seguidas à risca por um investidor privado. A empresa garante o escoamento dos derivados produzidos pela Petrobras, evitando a asfixia das refinarias estatais. Abastece regiões ermas do país, das quais as concorrentes nem chegam perto devido à baixa escala. Garante o fornecimento aos governos federal, estaduais e municipais de asfalto e emulsões para rodovias de todo o país. A importância da BR chega ainda à área de defesa: a companhia integra o Sistema de Segurança Nacional, sendo responsável pelo abastecimento de combustível de todas as Forças Armadas. Antes de mexer nesse vespeiro, o presidente da Petrobras tem muita coisa para arrumar na frente. Quer trazer profissionais gabaritados do mercado para tocar a BR, mas o primeiro passo é iniciar já a mudança de todos os processos da companhia. Vai contratar o onipresente consultor Vicente Falconi, que dará o ar da sua graça em conferência na Petrobras neste fim de semana. O cartão de visita de Falconi não é uma navalha, mas uma nota fiscal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

 Romário está sorrindo de orelha a orelha. Pesquisa recém-chegada às suas mãos, feita apenas dois dias após o anúncio da sua candidatura, o coloca empatado com Marcelo Crivella na disputa pela Prefeitura do Rio, ambos com 28%. No entanto, o que mais deu prazer ao Baixinho foi ver a posição de Pedro Paulo. O candidato do desafeto Eduardo Paes não chega a 5%. Ao olhar os números do peemedebista, Romário disse, com sua tradicional voz sibilada: “Esse daí, Peixe, já caiu para a segundona”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.07.16
ED. 5402

Jogo aberto

 O presidente interino Michel Temer está fazendo uma mexida que atiça os partidos aliados no Nordeste. Exonerou o presidente do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), Antonio Iran Magalhães, indicado pelo PP. O PMDB de Pernambuco, comandado por Jarbas Vasconcelos, e o PTB do estado, liderado por Armando Monteiro, disputam o órgão a faca. O que está em jogo é um caminhão de verbas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

 A Forno de Minas, do empresário Helder Couto Mendonça, estaria fechando a contratação do Credit Suisse. Dessa fornada, deverá sair a venda de parte do capital da companhia. Aliás, esse pão de queijo já foi e voltou no balcão: na década passada, Mendonça vendeu a empresa para a fabricante de alimentos norte-americana General Mills, recomprando-a alguns anos depois. Desta vez, pretende ficar no negócio como majoritário. • Procuradas pelo RR, as seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Forno de Minas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.07.16
ED. 5402

Rumo ao Nordeste

 O grupo Windsor, de José Oreiro, pretende surfar na onda da baixa no valor dos ativos imobiliários para montar uma operação hoteleira nacional. O grupo, concentrado no Rio de Janeiro, deverá estender sua atuação para o Nordeste. Negocia sociedade com fundos internacionais, como o TIAA-CREF Emerging Markets, de Nova York, que está transferindo investimentos da Venezuela para o Brasil. • Procuradas pelo RR, as seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Windsor.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.07.16
ED. 5402

Nova fronteira

 A decisão da BRF de criar uma subsidiária para comercializar seus produtos nos mercados muçulmanos, anunciada ontem, é apenas o hors d’oeuvre. O prato principal da estratégia prevê que a Sadia Halal será a ponta de lança para a compra de ativos em paí- ses árabes, a começar pela Arábia Saudita.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.07.16
ED. 5402

Paternidade

 Todos querem André Johannpeter Gerdau. Seis deputados federais integrantes da CPI do Carf já apresentaram requerimento para a convocação do presidente da Gerdau .

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.07.16
ED. 5402

Vai ter troco?

 O próprio Eduardo Cunha já contabiliza 280 votos na Câmara favoráveis a sua cassação. Desses, há 70 deputados que ele computa na coluna da traição.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.07.16
ED. 5402

Sabático

 O ex-presidente do BNDES , Luciano Coutinho, pretende tirar uma quarentena de oito meses a um ano, maior do que o afastamento oficial exigido (seis meses). A ideia é descansar e planejar com cuidado os passos futuros. Dependendo como for, o sabático pode se prolongar ainda mais.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.