Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
16.12.15
ED. 5270

Silvio Santos e Edir Macedo entram em sintonia na Rede TV

Enquanto o polêmico projeto de regulação da mídia segue trancado no fundo da gaveta de Eduardo Cunha, está no ar um redesenho do mercado de TV aberta no Brasil. Além do notório interesse da norte-americana Turner em adquirir até 30% da Band, Silvio Santos e Edir Macedo estariam negociando a compra em conjunto da Rede TV. O controle seria igualmente repartido entre os dois empresários. Ressalte-se que as três emissoras anunciaram recentemente uma joint venture para a venda de sua programação a concessionárias de TV a cabo – ao que tudo indica, uma antessala para uma operação bem maior. Procurado, o SBT disse “não confirmar a negociação”. Record e Rede TV não se pronunciaram.  Em termos de disputa direta pela audiência, a venda da Rede TV ao SBT e à Record não teria maior impacto sobre o setor – até porque, na prática, as três permaneceriam como emissoras independentes. Não obstante o susto que andou levando recentemente, com seguidas perdas de share para a novela Dez Mandamentos, da Record, a Globo seguirá no Olimpo da TV aberta. Segundo o Ibope, de janeiro para cá, a emissora foi líder de audiência em 95% do tempo. Significa dizer que, na média, nos 1.440 minutos de um dia, a Globo fica na frente durante 1.368 minutos. SBT, Band, Rede TV e Record se engalfinham por apenas 72 minutos na dianteira.  O grande ganho de Silvio Santos e Edir Macedo com a compra da Rede TV viria da possibilidade de tirar um concorrente do caminho, automaticamente herdar seu pedacinho no bolo da receita publicitária do setor (R$ 67 bilhões no total, a números de 2014) e ter maior poder de barganha na negociação com os anunciantes. Haveria ainda algumas vantagens periféricas. A aquisição permitiria a Silvio Santos ter um balcão televisivo a mais no momento em que acaba de relançar o baú da felicidade – há quem diga que o próprio Edir Macedo seria um sócio discreto da empreitada. Macedo, por sua vez, teria o tão sonhado segundo canal de TV aberta para rechear a programação com cultos da Igreja Universal, sem sacrificar em demasia a grade e a estratégia comercial da Record.  Nos últimos anos, SBT, Record, Band e Rede TV têm se unido na tentativa de reagir ao poderio da Globo. A medida de maior impacto foi a formação do consórcio que trouxe para o Brasil a alemã GfK, um dos maiores institutos de opinião da Europa. Desta maneira, o quarteto conseguiu quebrar a hegemonia do Ibope na medição da audiência no Brasil. Mas este pool não é um monolito. Se, fora dele, exista um oponente em comum, dentro todos continuam brigando contra todos. Neste caso, SBT e Record são os predadores e a Rede TV aparece como a presa mais frágil. Faz algum tempo que a emissora de Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho convive com insistentes rumores sobre sua venda. Há pouco mais de um ano, por exemplo, o apresentador Ratinho chegou a abrir conversações para a compra da empresa, mas teria desistido por conta do passivo trabalhista.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.12.15
ED. 5270

A fagulha que falta para as usinas do Tapajós

  O ministro Eduardo Braga e a direção da Eletrobras estão montando uma tour de force financeira para viabilizar a entrada da Eletronorte na licitação das usinas do Rio Tapajós. A operação passa por um acordo com um pool de bancos de fomento da Alemanha e da China encabeçado pelo KfW e pelo China Development Bank. A própria participação da estatal no consórcio será dada como garantia para o empréstimo. Os pagamentos, por sua vez, serão vinculados à venda futura de energia das hidrelétricas.  Inicialmente, a Eletronorte ficaria de fora do leilão. Mas, na atual conjuntura, o governo está convicto de que a privatização das usinas só sairá do papel com a garantia de que a estatal participará do consórcio vencedor. A licitação das duas hidrelétricas do Tapajós – São Luiz e Jatobá – é o grande evento do setor elé- trico programado para 2016. Mais do que isso: é fundamental para o reequilíbrio das contas públicas em 2016. A expectativa do governo é arrecadar de R$ 15 bilhões a R$ 20 bilhões com a venda das duas usinas. A seguinte empresa não retornou ou não comentou o assunto: Eletrobras

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.12.15
ED. 5270

Diogo Mainardi

 Ricardo Amorim, conhecido por sua participação no programa Manhattan Connection, levou às raias da indignação a comunidade de economistas da PUC-RJ. Colocou no mesmo balaio o ex-presidente do BC Chico Lopes e o bandido Francisco Lopes, o “Nem” da Rocinha. Amorim espezinha covardemente as vozes discordantes, protegido por sua bancada televisiva. Qualquer dia, alguém muda o canal.   Em tempo: se o puquiano Gustavo Franco soubesse da maledicência antes de publicar “Antologia da Maldade”, repleto de citações do ramo, talvez arrumasse um pé de página para Amorim.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.12.15
ED. 5270

Carta de aniversário

 Anedota que corria no Planalto na noite da última segunda-feira após a aniversariante Dilma Rousseff ter citado no Twitter o telefonema que recebeu de Barack Obama: Michel Temer vai enviar uma carta à Dilma queixando-se de que deu os parabéns oito horas antes de Obama e, ainda assim, não foi agraciado sequer com uma linha nas redes sociais

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.12.15
ED. 5270

Pé na porta

 A Brookfield, que herdou a parte da OAS, já chegou na Invepar disposta a fazer uma chamada de capital. Com um déficit sobre os ombros, Petros e Funcef tentam segurar o ímpeto do novo sócio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.12.15
ED. 5270

Último salmo

 O pastor Francisco Silva, espécie de irmão espiritual de Eduardo Cunha, estaria em busca de um comprador para a Rádio Melodia, no Rio. A emissora nega a venda.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.12.15
ED. 5270

Só boatos

 O Google detonou os boatos de que estaria cortando gente neste fim de ano. Ao contrário. Informou ao RR que aumentou em 12% o número de empregados. Quanto ao faturamento, o Google não deu um pio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.12.15
ED. 5270

Olho no olho

 A força tarefa da Lava Jato pretende realizar uma acareação entre Salim Schahin e José Carlos Bumlai, fartamente citado no depoimento do dono do Grupo Schahin .

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.