20.11.17
ED. 5748

Dízimo tributário

O novo pacote fiscal da Prefeitura de São Paulo virou mais um ponto de fricção intratucanato. O vereador Eduardo Tuma, que milita junto ao eleitorado evangélico, tem usado expressões nada cristãs para se referir a João Doria. Na hora H, o prefeito vetou a isenção de impostos para templos religiosos. Doria usou como argumento o fato de que a medida era inconstitucional. Pelo jeito, passou a ser de uma hora para outra. O prefeito havia garantido a Tuma que a isenção era líquida e certa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.