26.06.19
ED. 6143

Diplomacia do rancor?

O chanceler Ernesto Araújo não deverá participar da 49ª Assembleia Geral da OEA, que vai de hoje à sexta-feira, em Medellin. Segundo uma fonte do Itamaraty, o Brasil será representado durante os três dias apenas pelo embaixador na entidade, Fernando Simas. Não será por falta de importância do evento. A Assembleia da OEA discutirá um tema de interesse direto do Brasil: a crise na Venezuela e seu impacto migratório sobre os países vizinhos. Pode ser só uma coincidência, mas, na semana passada, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA (CIDH) criticou duramente o governo Bolsonaro pela exoneração dos 11 peritos do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.