20.08.18
ED. 5935

Conteúdo local vira fóssil

Uma das bandeiras do governo petista, a política de conteúdo local no setor de óleo e gás está sendo gradativamente desmontada. Desde abril, quando publicou as novas regras e flexibilizou as exigências para a aquisição de equipamentos e serviços, a ANP já recebeu mais 289 pedidos de aditamento de contrato. O maior número de solicitações veio da própria Petrobras (61). Além da estatal, outras 13 petroleiras também já solicitaram à agência reguladora a redução dos percentuais obrigatórios de conteúdo local em seus blocos de exploração e produção. No modelo anterior, a exigência de nacionalização variava de 50% a 70%. De abril para cá, houve casos em que o sarrafo caiu para 18%, como, por exemplo, a venda de equipamentos para exploração em blocos offshore.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.