Categoria: Agronegócio

Agronegócio

Ministério da Agricultura rechaça pressão por barreiras à importação de leite

11/04/2024

Há um novo ponto de azedume nas relações entre o agronegócio e o…

#Ministério da Agricultura

Agronegócio

Recuperações judiciais acirram fricção entre governo e agronegócio

10/04/2024

A onda de pedidos de recuperação judicial no campo está provocando mais um…

#Agronegócio #governo Lula #recuperação judicial

Agronegócio

Experimento da Embrapa promete aumentar a produtividade da cafeicultura brasilera

8/04/2024

O RR apurou que a Embrapa vai anunciar nesta semana os primeiros resultados…

#Café #cafeicultura #Embrapa

Agronegócio

Produtores de carne suína dos Estados Unidos vasculham aquisições no Brasil

26/03/2024
  • Share

Um grupo de donos de frigoríficos dos Estados Unidos, reunidos sob a égide da National Pork Producers Council (NPPC), tem circulado discretamente no Brasil. Segundo a fonte do RR, já visitou unidades de abate em São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A agenda prevê também compromissos com autoridades. O objetivo dos suinocultores é colocar um pé na cadeia da proteína no Brasil, com a aquisição de frigoríficos. A National Pork Producers Council tem um papel importante nessa investida. A entidade é um híbrido de aparelho de lobby e de agência de negócios para os produtores de suínos norte-americanos, tanto dentro quanto fora dos Estados Unidos. A NPPC administra um fundo de investimentos próprio, com recursos aportados pelos próprios suinocultores, que repassam um percentual do seu faturamento.

#NPPC

Agronegócio

Governo Lula bate cabeça até para anunciar medidas positivas

18/03/2024
  • Share

A apresentação do plano emergencial de apoio ao agronegócio, que será lançado ainda neste mês, está gerando discussões no governo que sequer deveriam existir. O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, quer levar o jogo para a casa do “adversário”, organizando um grande evento com a presença de Lula na região de Rondonópolis (MT), uma das maiores produtoras de grãos do Brasil. Seria uma forma de reunir agricultores, proprietários de terras, dirigentes de entidades empresariais do setor e membros da bancada ruralista ao redor do presidente. No entanto, colaboradores no entorno de Lula, a começar pelo ministro da Casa Civil, Rui Costa, defendem que a divulgação seja feita no próprio Palácio do Planalto, pelo temor de protestos contra o presidente.

#Agronegócio #Carlos Fávaro #Lula #ministro da Agricultura

Agronegócio

Ministro da Agricultura veste o figurino de árbitro entre produtores e tradings

16/02/2024
  • Share

O ministro Carlos Fávaro encampou uma ideia levada a ele pela Frente Parlamentar da Agricultura e pela influente Aprosoja. Trata-se da proposta de que o próprio Ministério da Agricultura atue como mediador junto a grandes tradings para a renegociação de contratos firmados com agricultores. O ponto mais sensível é a cláusula de washout.

O dispositivo permite a recompra de uma posição de venda a futuro, em razão da impossibilidade de honrar a entrega do produto. Por conta dos extremos climáticos, notadamente o El Niño, há o risco de que o gatilho seja acionado em razoável escala no agronegócio brasileiro. Uma parcela significativa dos produtores não conseguirá atender os volumes determinados em contrato, o que daria às tradings o direito de cobrar pesadas multas.

O receio no Ministério é que, dependendo da proporção, a cobrança das indenizações aos agricultores provoque um efeito-dominó, gerando uma espiral de inadimplência no setor.

#Carlos Fávaro #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Tabaco divide governo brasileiro na COP-10

6/02/2024
  • Share

A posição do Brasil na COP-10 (Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco), que vai até o próximo sábado, no Panamá, é objeto de divergências dentro do governo. Segundo o RR apurou, ainda ontem os ministros da Agricultura, Carlos Fávaro, e do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, trabalhavam nos bastidores para suavizar o relatório final que será apresentado na conferência. O Ministério da Saúde, que será representado pela secretária-executiva da Comissão Nacional para Implementação da Convenção-Quadro, Vera Luiza da Costa e Silva, defenderá o rígido fortalecimento do controle do tabagismo.

Fávaro e Teixeira querem contrabalançar o posicionamento da área da Saúde evitando qualquer compromisso que afete diretamente os produtores de cultura. De fato, não é simples se chegar a um denominador comum. Trata-se de um assunto sensível, devido a questões de ordem econômica e social: há mais de 70 mil famílias no Brasil que atual na fumicultura.

#Carlos Fávaro #COP-10 #Ministério da Saúde #Tabaco

Agronegócio

Embrapa vira um importante instrumento de política externa

29/01/2024
  • Share

Os governos do Brasil e de Angola negociam um parceria para o desenvolvimento e plantio de sementes geneticamente modificadas no país africano, a começar por soja. As tratativas se dão no âmbito dos acordos de cooperação firmados entre os dois países durante a visita oficial de Lula a Luanda, em agosto do ano passado. O projeto passa diretamente pela Embrapa, com o fornecimento de tecnologia e o envio de técnicos da empresa ao país africano. Ressalte-se que a estatal já tem um papel importante nas relações entre Brasil e Angola, mais precisamente no desenvolvimento de genética avícola. Recentemente, a Embrapa enviou para Luanda um carregamento de quatro mil pintos.

#Angola #Embrapa #Política Externa

Agronegócio

Transgênicos: um avanço exemplar em duas décadas

22/01/2024
  • Share

Em novembro deste ano, o governo federal vai celebrar 20 anos do desenvolvimento e posterior liberação no uso de sementes geneticamente modificadas no Brasil. A data não vai passar em branco. O feito deve motivar uma campanha publicitária promovida pelos Ministérios da Agricultura e da Ciência, Tecnologia e Inovação, este último a quem o CTNBio está subordinado. Nestas duas décadas, o país avançou bastante nessa área. Estima-se que 100% das sementes de algodão plantadas no Brasil no ano passado eram geneticamente modificadas, assim como 95% das de soja e 80%, das de milho.

#CTNBio #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Cazaquistão quer parceria com a Embrapa para a produção de soja

19/01/2024
  • Share

A Embrapa pode mostrar a qualidade do serviço que realiza em um continente bem distante do Brasil. O Governo do Cazaquistão procurou a estatal interessado em investir no cultivo de soja. A ex-República da União Soviética é grande produtora de petróleo, gás natural e urânio. Mas importa praticamente toda a soja que consome, inclusive com aquisições do cereal no Brasil.

O cultivo comercial em larga escala da soja foi uma das primeiras experiências bem sucedidas da Embrapa no Brasil. Em contato com o RR, a estatal confirmou que “foi procurada, entre os anos de 2019 e 2021,  pelo governo do Cazaquistão, que manifestou interesse em parcerias sobre vários temas: recursos naturais e mudanças climáticas; nanotecnologia e biotecnologia; automação, agricultura de precisão, tecnologia da informação; segurança zoofitossanitária; tecnologia agroindustrial e química verde; segurança dos alimentos, nutrição e saúde.”. Segundo a estatal, até o momento não foi efetivado Projeto de Cooperação Técnica específico. O acordo referente a soja pode ser o adubo que falta para uma parceria mais ampla.

#Agronegócio #Embrapa

Agronegócio

Inpasa consegue licença ambiental para usina de etanol de milho

16/01/2024
  • Share

O RR apurou que o Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) vai emitir este mês a licença ambiental para a usina de etanol de milho que a Inpasa começou a construir em setembro do ano passado, em Sidrolândia. A unidade terá capacidade também de transformar sorgo em biocombustível. Cada armazém a ser erguido pode estocar cerca de 1 milhão de toneladas de milho. Com o aval do Imasul, o plano de iniciar as operações em dezembro deste ano está valendo. A Inpasa quer se embriagar de etanol no estado. A empresa opera uma outra planta em Dourados, com capacidade para cerca de 1 bilhão de litros de etanol por ano e mais 57 mil toneladas/dia de óleo de milho.

#Imasul #Inpasa #licença ambiental #usina

Agronegócio

Agricultores e a indústria do fumo tem semana decisiva na venda do produto

15/01/2024
  • Share

A British American Tobacco (ex-Souza Cruz) é uma das sete empresas fumageiras que têm reunião marcada com representantes das federações de agricultura do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, mais a Associação dos Fumicultores do Brasil, amanhã, para tratar da compra de fumo da safra 2023-2024. Conforme o RR antecipou, em dezembro a Japan Tobacco International (JTI) saiu na frente da concorrência, colocou uma proposta na mesa e um acordo deve ser selado até sexta-feira. Além da BAT, vão iniciar tratativas com os produtores a China Brasil, a Continental Tobaccos Aliance, a Alliance One, a Tabacos Marasca, a Universal Leaf e a Brasil Indústria e Comércio de Tabaco. As conversas vão acontecer no Vale do Rio Pardo (RS), maior região produtora de fumo do Brasil.

#indústria do fumo #safra 2023-24

Agronegócio

Uruguai deve aumentar importações de frango brasileiro

9/01/2024
  • Share

O Ministério da Agricultura e grandes grupos frigoríficos brasileiros têm recebido saborosas informações de bastidores da diplomacia brasileira no Uruguai. O relato, em petit comité, é que o governo do país vizinho deverá liberar novas licenças para a importação de carne de frango do Brasil. Há uma pressão do varejo local pelo aumento das compras externas, em reação ao aumento dos preços do produto – 15% desde outubro.

#Agronegócio #frigoríficos #Importações #Ministério da Agricultura #Uruguai

Agronegócio

Frente da Agricultura prepara a terra para o aumento do seguro-rural

5/01/2024
  • Share

A Frente Parlamentar da Agricultura está conduzindo uma engenhosa operação para garantir o aumento do seguro-rural em 2024. O primeiro passo se deu com a inclusão de uma emenda na Lei de Diretriz Orçamentária (LDO), assegurando que os recursos destinados ao Programa de Subvenção do Seguro Rural (PSR) não poderão sofrer contingenciamento.

Agora, vem a segunda parte da estratégia. O RR apurou que a bancada ruralista negocia com o ministro Carlos Fávaro uma significativa elevação do valor previsto no orçamento para o PSR. Alguns parlamentares falam até na duplicação da cifra, hoje de R$ 1,06 bilhão. Valem-se do argumento de que o governo terá de esticar o cobertor para cobrir os danos dos extremos climáticos sobre alguns segmentos do agronegócio. O El Niño, por exemplo, que age intensamente há quase seis meses, deverá perdurar até abril, com efeitos ainda incertos sobre a próxima safra. Com o gatilho estrategicamente incluído na LDO, caso consigam dobrar o orçamento do seguro-rural, os ruralistas teriam a sua disposição o valor integral de R$ 2 bilhões sem risco de cortes.

Consultado, o Ministério da Agricultura e Pecuária corroborou a apuração do RR, embora sem falar em valores, salientando que “a partir da abertura dos devidos prazos, mediante a confirmação de valores na Lei Orçamentária, poderá ser solicitada a recomposição e acréscimo de dotações para o custeio das referidas atividades”. 

#Bancada Ruralista #Frente Parlamentar da Agricultura #seguro-rural

Agronegócio

Estimativas para a próxima safra de soja são pouco animadoras

2/01/2024
  • Share

O RR apurou que a Conab vai divulgar na segunda semana de janeiro uma estimativa para a safra de soja 2023/24. De acordo com uma fonte do Ministério da Agricultura, a expectativa é de uma projeção próxima de 158 milhões toneladas. Ou seja: sem grande variação em relação à safra ora em curso, de 154,6 milhões de toneladas. O empate com a safra anterior já é uma derrota. E as sucessivas reduções da estimativa de produção reforçam o revés. Não custa lembrar que o ciclo atual foi duramente atingido por extremos climáticos, notadamente o El Niño. O fenômeno, por sinal, ainda impacta o agronegócio, com excessos de chuva no Rio Grande do Sul.

Agronegócio

Bancada ruralista exige aumento de subsídios para produtores de trigo

19/12/2023
  • Share

Líderes da Frente Parlamentar da Agricultura têm cobrado do ministro Carlos Fávaro um aumento das subvenções aos produtores de trigo. Entre os pleitos da bancada ruralista está o aumento do número de leilões da Conab para o apoio à comercialização do cereal da safra 2023/24. Nos últimos 40 dias, a estatal já realizou seis rodadas para subsidiar o escoamento do produto e garantir um preço mínimo ao agricultor. Nesse período, mais de 700 mil toneladas de trigo foram vendidas com o financiamento do governo. O pleito é justo. As secas atingiram duramente a produção de trigo – no Rio Grande do Sul, a quebra de safra passa dos 30%. O problema é que o custo dessa ajuda não está previsto no Orçamento de 2024. E os R$ 400 milhões liberados ao Ministério da Agricultura para subsidiar a comercialização já foram quase todos consumidos.

#Bancada Ruralista #Carlos Fávaro #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Embrapa cria aplicativo de medição de emissões de carbono

12/12/2023
  • Share

De primeira: no rastro da COP 28, a Embrapa vai lançar hoje um aplicativo para a medição de estoques de carbono e emissões de gases de efeito estufa (GEE) nas plantações de erva-mate. A ferramenta foi desenvolvida em parceria com a Fundação Soledad. A ideia da estatal é elaborar sistemas similares para outras culturas agrícolas. A erva-mate está entre as 13 práticas mitigadoras de GEE dentro do Plano ABC+, elaborado pelo Ministério da Agricultura para estimular a adoção de sistema e processos de produção sustentável no agronegócio.

#carbono #COP 28 #Embrapa #erva-mate #Fundação Soledad

Agronegócio

Grupo chinês ensaia investimento bilionário em amido no Brasil

8/12/2023
  • Share

A Ningxia Eppen, empresa de agrobiotecnologia da China, já bateu o martelo: vai instar uma fábrica de aminoácidos a partir do milho no Brasil. A questão é onde? Mato Grosso saiu na frente. Mas, nas últimas semanas, os governos de Goiás e Rio Grande do Sul entraram na disputa. Emissários da empresa devem visitar os dois estados ainda neste ano. A queda de braço federativa se justifica pelo tamanho da “colheita”. Tem governador disposto a ajoelhar no milho para fisgar o projeto, orçado em aproximadamente R$ 3 bilhões.

#agrobiotecnologia #Investimento #Ningxia Eppen

Agronegócio

Fávaro vai in loco buscar recursos na China

4/12/2023
  • Share

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, está articulando uma viagem à China no início de 2024. Fávaro quer voltar de lá com um acordo assinado para investimentos na recuperação e conversão de pastagens em áreas plantáveis. Há ironias no Ministério que Fávaro é capaz de ir a China e ficar por lá mesmo. Aqui seu cargo seria entregue a algum outro postulante do Centrão com uma moeda de troca mais valiosa.

#Agricultura #Carlos Fávaro #China

Agronegócio

Blairo Maggi constrói pontes entre o Planalto e o campo

28/11/2023
  • Share

O presidente Lula vem mantendo interlocução permanente com Blairo Maggi. O ex-ministro da Agricultura tem atuado nos bastidores para distensionar as relações entre o governo e o agronegócio. É uma missão cheia de sensibilidades, como a agenda das invasões de terra. Em uma das conversas mais recentes, segundo o RR apurou, Maggi levou ao presidente da República o pleito do agro para que “Lula segure o MST”.

#Blairo Maggi #Lula #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Brasil fecha um arco de investimentos soberanos para ampliar sua área agrícola

21/11/2023
  • Share

O governo Lula quer aproveitar a COP 28, entre os dias 30 de novembro e 12 de dezembro, em Dubai, para anunciar um cinturão de parcerias bilaterais voltadas à recuperação e conversão de pastagens no Brasil. Segundo o RR apurou, além do acordo já engatilhado com o Salic (Saudi Agricultural and Livestock Investment Company), fundo da família real da Arábia Saudita, há negociações avançadas com os Emirados Árabes e a China. No primeiro caso, os aportes serão feitos pelo ADQ (Abu Dhabi Developmental Holding Company).

O fundo soberano, que administra aproximadamente US$ 170 bilhões em ativos, tem sido o veículo usado pelos Emirados Árabes para investimentos globais em projetos vinculados a metas ESG. Nos últimos dois anos, o ADQ vem se notabilizando por aportes em empresas e iniciativas da cadeia de abastecimento alimentar. Do lado chinês, de acordo com informações que circulam no Ministério da Agricultura, o projeto deverá ter a participação da Cofco.

Maior processador e fabricante de alimentos da China, a companhia estatal tem expressivos investimentos no Brasil na produção de grãos. No Ministério da Agricultura, a estimativa é que os acordos com Arábia Saudita, Emirados e China permitirão a recuperação e conversão de até 30 milhões de hectares para a agricultura, o equivalente à metade de toda a área plantada do país. Ressalte-se que Lula chegará à Dubai, para a COP 28, na crista da onda.

Um ano após a sua participação na COP 27 como presidente eleito, quando assumiu uma série de compromissos ambientais, vai capitalizar aos olhos do mundo a queda de 22% do desmatamento na Amazônia Legal.  

#Agricultura #Amazônia legal #Cofco #COP 28 #ESG #Lula

Agronegócio

Governo avalia propostas para mitigar prejuízos dos produtores de trigo

17/11/2023
  • Share

A Frente Parlamentar da Agricultura pressiona o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, para que o governo lance medidas de apoio aos produtores de trigo, notadamente do Rio Grande do Sul. Após as secas do ano passado, a safra atual foi duramente atingida pelas chuvas provocadas pelo El Niño. O principal pleito da bancada ruralista é para que a Conab faça leilões públicos para a compra do trigo tipo exportação. Seria uma forma de conter a queda dos preços e cobrir parte das perdas impostas aos agricultores. Nos últimos 12 meses, o valor do trigo acumula uma redução em torno de 25% no mercado interno. Estimativas da própria Conab indicam uma queda de 30% na produção no comparativo com a safra anterior. O El Niño é duplamente danoso: além de afetar o desenvolvimento das plantas, as fortes chuvas impedem o acesso de máquinas às lavouras, atrasando o cronograma de colheita.

#Agricultura #Bancada Ruralista #Trigo

Agronegócio

Minerva e Marfrig buscam no Paraguai uma cabeça de ponte para os EUA

16/11/2023
  • Share

Minerva e Marfrig têm se movimentado para comprar frigoríficos no Paraguai. A corrida por ativos se deve à recente decisão dos Estados Unidos de liberar as importações de carne in natura do país sul-americano a partir do mês que vem. Os paraguaios estavam fora do mercado norte-americano desde 1998.

#Marfrig #Minerva

Agronegócio

China vai irrigar as lavouras de Goiás

14/11/2023
  • Share

Uma comitiva enviada pelo ministro da Agricultura e Assuntos Rurais da China, Han Changfu, é aguardada em Goiás na primeira semana de dezembro. Em pauta, um grande projeto de manejo sustentável de lavouras e recuperação de terras para plantio com recursos do governo chinês. Trata-se do primeiro fruto da recente viagem do governador Ronaldo Caiado a Pequim.

#Agronegócio #China #Han Changfu #Ronaldo Caiado

Agronegócio

Produtores brasileiros de óleo de soja acirram disputa pelo mercado indiano

6/11/2023
  • Share

O agronegócio brasileiro fez um movimento pontual, mas absolutamente estratégico. Segundo informação publicada há pouco pelo veículo indiano The Economic Times (https://economictimes.indiatimes.com/industry/cons-products/food/indias-sea-sign-mou-with-brazils-abiove-for-soyabean-oil-imports/articleshow/105014585.cms), a Solvent Extractor’s Association of India (SEA) assinou um memorando de entendimento com a Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais) para a importação do óleo de soja. A SEA é a principal entidade representativa do segmento de óleos vegetais da Índia, respondendo por mais de 800 empresas locais. O país asiático é o maior comprador de óleos comestíveis do mundo – 15 milhões de toneladas por ano. Em 2022, o Brasil exportou 1,4 milhão de toneladas do óleo para a Índia, número que deverá ser suplantado neste ano. Até setembro, as vendas somam a 1,2 milhão de toneladas. 

 

Obs RR: O acordo com os indianos é um importante movimento defensivo da agroindústria brasileira. O objetivo é proteger seu mercado, que começa a ser ameaçado por outros grandes produtores globais. Players como Malásia, Indonésia e Tailândia têm comercializado volumes cada vez maiores de óleo de palma na Índia, o que, no médio prazo, pode afetar significativamente as vendas de óleo de soja do Brasil. Trata-se de uma disputa razoavelmente acirrada. Os produtores da Malásia e da Indonésia costumam adotar uma política agressiva de descontos, quase um dumping, para ganhar mercado na Índia. Para não falar dos custos logísticos mais competitivos, em razão das menores distâncias. 

#Agronegócio #Brasil #Índia #Óleo de Soja

Agronegócio

“COP do tabaco” provoca divisões dentro do governo

6/11/2023
  • Share

Há fissuras no governo em relação à posição que o Brasil adotará na 10ª Conferência das Partes (COP 10) da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco, de 20 a 25 de novembro, no Panamá. O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, defende uma postura de neutralidade, devido à importância econômica do fumo para o agronegócio. O Brasil é o maior exportador mundial do produto, para não falar mais de 70 mil famílias dependentes da fumicultura. Do lado oposto, está Marina Silva. No que depender da ministra do Meio Ambiente, o Brasil vai referendar o voto dado na COP 27, no Egito, a favor de restrições à cadeia produtiva. Marina tem um histórico de pouca simpatia, para dizer o mínimo, pelo setor tabagista. Em 2014, então candidata à Presidência da República, negou-se a receber doações de campanha de fabricantes de cigarros e bebidas alcoólicas.

#Marina Silva #Ministério da Agricultura #Tabaco

Agronegócio

Governo amplia o socorro aos produtores de trigo

30/10/2023
  • Share

O Ministério da Agricultura decidiu aumentar o pacote de ajuda aos produtores de trigo. Segundo o RR apurou, além dos dois leilões de compra do cereal previstos para amanhã, a Conab vai realizar ao menos mais duas operações semelhantes na primeira quinzena de novembro. Os recursos reservados pelo governo para a aquisição de trigo, por meio do Prêmio de Escoamento de Produto (PEP), deverão subir dos R$ 400 milhões previstos inicialmente para cerca de R$ 600 milhões.

Nos leilões de amanhã, a estatal pagará R$ 79,17 pela saca de 60 kg, mas há forte pressão da bancada ruralista para que esse valor seja aumentado nas próximas aquisições, como forma de compensar os agricultores pelas fortes perdas acumuladas. Atualmente, a saca do trigo no mercado interno está cotada por volta dos R$ 55. Trata-se de um preço muito abaixo do patamar mínimo estabelecido pelo Ministério da Agricultura para a safra de 2023: R$ 87,77 para o trigo Tipo 1 e R$ 75,19 para o Tipo 2.

#Ministério da Agricultura #Trigo

Agronegócio

Brasil e China semeiam acordo bilateral para produção e exportação de milho

24/10/2023
  • Share

A estratégia da China de fazer do Brasil o seu grande supridor de alimentos agrícolas vai avançar mais alguns hectares. Os dois países negociam um acordo com o objetivo de aumentar a área de plantio de milho em terras brasileiras e consequentemente as exportações do cereal. As tratativas, conduzidas pelo Ministério da Agricultura, envolvem investimentos chineses em manejo sustentável de lavouras e pesquisas em agrociência, que poderão ser realizadas em conjunto com a Embrapa.

De acordo com a mesma fonte, companhias da China deverão participar do projeto. É o caso da Ningxia Eppen Biotech, uma das maiores empresas locais de agrobiotecnologia. Um importante passo para a parceria será dado nesta semana. O RR apurou que uma comitiva com quatro emissários do governo chinês e representantes de empresas do país asiático está no Brasil para reuniões e visitas técnicas. Hoje, o grupo terá uma agenda em Goiás.

O milho é a semente de um projeto ainda maior, que começou a ser cultivado em abril, quando da visita de Lula a Xi Jinping, em Pequim. Os chineses já sinalizaram o interesse em investir na conversão de grandes extensões de pastagens brasileiras em áreas de plantio de grãos, mediante a garantia de fornecimento de parte da produção. Trata-se de um movimento bastante engenhoso de Pequim em seu projeto de ocupação de espaços no agronegócio brasileiro.

A China não vai se limitar à importação do produto final. O país está literalmente comprando o Brasil na raiz, colocando dinheiro em agrociência, no manejo de terras e na expansão das lavouras, de onde sairão alimentos para a população chinesa.

A China tem fome de Brasil e o milho representa bem esse apetite comercial. Que o diga a balança comercial. Apenas um ano após o início dos embarques, a China já é o maior importador de milho do Brasil, deixando para trás “clientes” que há anos ocupavam as primeiras posições do ranking, como Japão, Vietnã e Coreia do Sul. Neste ano, os chineses deverão comprar algo em torno de sete milhões de toneladas do cereal. Com isso, o Brasil passou a ocupar um lugar privilegiado, deslocando países como Estados Unidos e Ucrânia, que, até o ano passado, lideravam o fornecimento de milho para o país asiático.

#Agricultura #China #Embrapa #Milho #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Depois da carne, fundo árabe avança sobre a soja brasileira

23/10/2023
  • Share

O Salic, fundo soberano da Arábia Saudita para o agronegócio, já elegeu sua próxima investida no Brasil. Vai financiar projetos de manejo sustentável do solo para a produção de soja. O ponto de partida será o Centro-Oeste. É mais um movimento do Salic para fazer do Brasil uma grande base de suprimento alimentar para a Arábia Saudita. Na cadeia da proteína animal, os árabes já são acionistas da Minerva Foods e da BRF. Recentemente, fecharam também um acordo com o governo brasileiro para financiar a recuperação de mais de 40 milhões de hectares de pastagens no país.

#Arábia Saudita #Salic #Soja

Agronegócio

Agricultura prepara campanha para conter avanço da gripe aviária

19/10/2023
  • Share

No rastro do aumento dos casos de influenza aviária, o Ministério da Agricultura planeja uma campanha nacional de alerta contra a doença. Com a proximidade das férias de fim de ano, o fluxo de turistas, notadamente em reservas ambientais, passa a ser uma preocupação adicional para os órgãos de controle fitossanitário. O receio da Agricultura é que o vírus se espalhe a partir do contato de viajantes com aves silvestres. Até ontem, o Ministério da Agricultura contabilizava 127 focos comprovados, ou seja, com ao menos um caso confirmado de contaminação. Trata-se de uma ameaça ao agronegócio e à balança comercial. À medida que o número de registros cresce, sobe junto o risco de embargos a frigoríficos brasileiros. Entre julho e setembro, o Japão, segundo maior comprador de carne de frango do Brasil, chegou a suspender as importações de Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

#campanha nacional #gripe aviária #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Fumo ganha mais peso nas relações comerciais entre Brasil e China

3/10/2023
  • Share

O Brasil negocia um acordo com a China para aumentar as exportações de fumo a partir de 2024. As tratativas se dão no âmbito do protocolo bilateral de comércio entre os dois países. Segundo informações filtradas do Ministério da Agricultura, nas últimas três semanas técnicos do governo chinês conduziram uma inspeção das lavouras brasileiras, notadamente no Rio Grande do Sul, que responde por pouco mais da metade da safra brasileira de tabaco. A partir da auditoria, a China deverá habilitar novos produtores. No ano passado, as exportações de fumo para o país asiático totalizaram 62 mil toneladas (ou cerca de US$ 400 milhões), 19% a mais do que em 2021. Na Pasta da Agricultura, a estimativa é de um aumento médio de 30% nos próximos dois anos, o que colocará o Brasil em condições de tirar o lugar do Zimbábue, hoje o maior vendedor de tabaco para os chineses.  

O acordo, ressalte-se, não mexe apenas com a balança comercial brasileira. O aumento das vendas para a China pode ter um impacto razoável no mercado interno, com a alta dos preços cobrados pelos agricultores aos dois grandes compradores de fumo no país: a Philip Morris e, sobretudo, a BAT Brasil. Neste ano, os produtores conseguiram, a duras penas, arrancar um reajuste de 6,5% à mesa de negociações com os dois fabricantes. No setor, há projeções de que esse índice pode chegar perto dos 10%, puxado pela maior demanda por parte da China.

#Brasil #China

Agronegócio

Produtores de fumo tentam brecar queda dos preços na próxima safra

20/09/2023
  • Share

Os grandes produtores de fumo do Brasil estão recalibrando o tamanho da safra 2023-24. A própria Associação dos Fumicultores do Brasil tem orientado agricultores a não elevaram a área plantada e o número de pés por hectare. O objetivo é evitar um aumento excessivo da oferta e consequentemente uma forte queda das cotações no próximo ciclo. Além das exportações, os produtores miram também na sempre dura negociação de preço com as fabricantes de cigarros do país, leia-se BAT, Philip Morris e o “resto”.

A medida tem um caráter emergencial diante dos pesados prejuízos que os fumicultores têm acumulado na atual safra. Em algumas regiões do Rio Grande do Sul, onde estão as maiores plantações do país, mais de 20% das lavouras foram devastadas pelo ciclone que passou pelo estado há duas semanas. Na atual safra, a situação só não foi pior por conta do aumento das exportações para a Índia – algo em torno de 6% – devido à seca que assolou o país asiático.

#BAT #Philip Morris

Agronegócio

Camil e Josapar correm atrás de cada grão de arroz

13/09/2023
  • Share

As maiores processadoras de arroz do país, a exemplo da Camil e da Josapar, enfrentam problemas para manter seus níveis de estoque, notadamente para o fim do ano. De um lado, está a queda da safra brasileira 2022-2023, cerca de 7% menor do que a anterior; do outro, as dificuldades encontradas para a importação do produto. No Paraguai, o maior fornecedor de arroz para o Brasil (quase 60% do volume total), os preços subiram 20% nos últimos 12 meses. No Uruguai, de onde vêm aproximadamente 25% das importações brasileiras, as empresas brasileiras também se deparam com um cenário adverso. As cotações dispararam e praticamente não há arroz disponível. “Culpa” da Índia, comprou uma parcela expressiva dos estoques uruguaios.

#Camil #Josapar

Agronegócio

A Índia está trocando de óleo. O que pode ser uma má notícia para o agro brasileiro

4/09/2023
  • Share

Segundo notícia publicada há pouco pelo The Times of India, um dos grandes jornais locais, o país asiático importou em agosto cerca de 1,12 milhão de óleo de palma, o maior volume em nove meses. O produto veio, sobretudo, de Indonésia, Malásia e Tailândia. O número tende a crescer nos próximos meses, em razão dos preços globais mais baixos se comparados aos “concorrentes” óleo de soja e óleo de girassol. Some-se o fato de que a Índia teve o agosto mais seco em um século, com 36% a menos do que a média histórica de chuvas no mês. A seca afetou a produção local de soja, aumentando a necessidade de importações.

Obs RR: As notícias que vêm da Índia são um alerta para o agronegócio brasileiro. Os preços mais baixos e a alta oferta de óleo de palma nos países asiáticos podem levar os indianos a reduzirem as importações globais de óleo de soja, com impacto direto sobre o Brasil. Seria um revés justo no momento em que a agroindústria brasileira vive – ou vivia – um momento bastante favorável nas vendas da commodity para aquele país. No ano passado, as exportações de óleo de soja do Brasil para a Índia duplicaram em relação a 2021 – saindo de 642 toneladas para 1,2 mil toneladas. Na comparação com 2020, o salto chega a 235%. O Brasil é o quinto maior fornecedor de óleo vegetal comestível para os indianos. Agora, no entanto, corre o risco de ser deslocado pelos grandes produtores asiáticos de óleo de palma. Com os valores mais baixos, Indonésia, Malásia e Tailândia tendem a se beneficiar da decisão do governo indiano de reduzir as alíquotas para a importação de óleo de 24,5% para 5,5%, tomada no ano passado. O Brasil se aproveitou muito bem dessa janela em 2022. Agora são os asiáticos que começam a ocupar esse espaço.

#Agronegócio #Indonésia #Malásia #Tailândia

Agronegócio

Embate entre Marina Silva e agronegócio vai parar no Supremo

1/09/2023
  • Share

A ministra Marina Silva e o “ogronegócio” – como ela própria costuma se referir ao setor agropecuário – têm um novo embate marcado. Segundo o RR apurou, a Frente Parlamentar da Agricultura (FPA) já se articula para entrar com uma ação no STF contra o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), presidido por Marina. A reação é liderada por pesos-pesados do Congresso, a começar pela ex-ministra da Agricultura e senadora Tereza Cristina (PL-MS) e pelo senador Jayme Campos (União-MT). O objetivo é questionar a constitucionalidade da resolução já elaborada e prestes a ser editada pelo Conama com o intuito de brecar o desmatamento no Pantanal.

Na prática, a normativa suspende os efeitos do decreto estadual nº 14.273/2015, no Mato Grosso do Sul, e da Lei Estadual nº 8.390/2008, do Mato Grosso, que flexibilizou as regras para o plantio de grãos e a atividade pecuária na bacia pantaneira. A bancada ruralista alega que o Conama, vinculado à Pasta do Meio Ambiente, não tem poderes para interferir em legislações estaduais. Não é o entendimento do Ministério, que se ampara em consulta feita à AGU.

A ministra Marina Silva envolveu-se diretamente na elaboração da resolução. Para levar o projeto adiante, já comprou briga dentro de “casa”, ou seja, entre os próprios integrantes do Conama, um ecossistema da mais alta biodiversidade, que reúne ministérios, governos estaduais, prefeituras, entidades da área ambiental e representantes do próprio agronegócio. Os conselheiros indicados pela Confederação Nacional da Agricultura já se opuseram à determinação do órgão.

O governo do Mato Grosso também. Curiosamente, o governador do Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, tem adotado uma postura conciliadora: já sinalizou à ministra Marina Silva a intenção de rever pontos da legislação ambiental do estado. Só não disse o que e quando.  

Como de hábito, Marina Silva não está disposta a ceder um palmo de terreno em suas convicções. Quer aprovar a resolução ainda na primeira quinzena de setembro. A ministra leva na ponta da língua os números que justificam a interferência sobre a legislação do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul. Segundo levantamento do próprio Conama, do total de área desmatada no Pantanal nos últimos sete anos, mais de 90% foram registrados a partir de 2021, quando os respectivos decretos entraram em vigor nos dois estados.

#AGU #Confederação Nacional da Agricultura #Marina Silva #Tereza Cristina

Agronegócio

Produtores de leite vão ao Confaz em busca de um alívio tributário

31/08/2023
  • Share

A Frente Parlamentar da Agricultura e a Abraleite (Associação Brasileira dos Produtores de Leite) vão encaminhar um pleito ao Confaz. Em pauta, o pedido de redução do ICMS na cadeia do leite, ainda que de forma temporária. O alvo principal é Minas Gerais, responsável por aproximadamente 22% da produção brasileira. A pecuária leiteira aravessa uma grave crise. Os preços ao produtor acumulam queda de quase 40% no ano em razão da enxurrada de importações. Neste mês, o governo federal anunciou a compra de aproximadamente R$ 200 milhões em leite em pó com o objetivo de reduzir os estoques em circulação.  

#Confaz #ICMS

Agronegócio

Embrapa se cerca de startups para afinar o monitoramento de lavouras

17/08/2023
  • Share

A Embrapa vai partir para uma forte estratégia de parcerias com agtechs. O objetivo principal é intensificar o mapeamento de lavouras em todo o Brasil. Além de guiar investimentos da própria estatal, os dados coletados serão de grande serventia também para a Conab. Servirão de subsídios para a produção das estimativas de safra. Nos últimos anos, há seguidas críticas no agronegócio à descalibragem das projeções feitas pela Conab, especialmente no segmento de café.

A Embrapa tem feito avanços significativos no uso de alta tecnologia. Ao lado da Visiona Tecnologia Espacial, da Faped (Fundação de Apoio à Pesquisa e ao Desenvolvimento) e de uma miríade de outros parceiros, atuou no desenvolvimento do nanossatélite VCUB 1. Lançado em abril pela Space X, de Elon Musk, o equipamento está em um período de testes, com o monitoramento de lavouras de milho e soja no Maranhão.

#Embrapa

Agronegócio

Agricultura vai retomar estoques reguladores de leite

9/08/2023
  • Share

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, discute com a sua equipe a retomada dos estoques públicos de leite. A médio e longo prazo, seria uma forma do governo voltar a ter alguma dose ingerência sobre a formação de preços no mercado interno. A curtíssimo prazo, a medida teria um caráter emergencial de frear as fortes perdas dos produtores brasileiros de leite e derivados. É subsídio na veia. O setor tem sofrido duras perdas com a disparada das importações. No primeiro trimestre, as compras no mercado internacional cresceram 240% em relação ao mesmo período no ano passado. A maior parcela vem da Argentina e do Uruguai, que vivem hoje uma super oferta do produto. As importações de leite em pó, por sua vez, subiram quase 300%.  

A própria bancada ruralista tem feito pressão sobre o governo para que a Conab volte a formar estoques de leite. A crise do setor, ressalte-se, tem um forte impacto econômico, mas também social. Mais de 60% da produção vêm da pecuária familiar. Em março de 2019, no terceiro mês de mandato de Jair Bolsonaro, a Conab zerou os estoques reguladores de leite. Desde então, não comprou sequer uma gota. Na série histórica dos últimos 18 anos, as reservas lácteas da estatal atingiram seu pico em agosto de 2010, último ano do Lula II, com quase 3,8 mil toneladas.  

#Carlos Fávaro #Conab #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Queda nas importações de fertilizantes acende alerta na Agricultura

3/08/2023
  • Share

A três meses do início do plantio da safra 2023-2024, um dado preocupante circula entre nos gabinetes do Ministério da Agricultura. Segundo levantamento feito pela Pasta, entre janeiro e junho deste ano houve uma queda de 5% no desembarque de fertilizantes em portos brasileiros na comparação com os primeiros seis meses de 2022. Esse declínio deve pressionar para cima os preços do insumo para o começo do período de plantio.

A principal razão para a queda é a guerra entre Rússia e Ucrânia. Só no primeiro trimestre do ano, a produção russa caiu 8,3%. Na Agricultura, há um receio de que a redução da oferta na Rússia, de onde vem um quarto do fertilizante consumido no Brasil, afete o agronegócio em um momento-chave. O pico das importações brasileiras ocorre justamente entre agosto e outubro. Os números do segundo semestre costumam superar com alguma folga os desembarques dos seis primeiros meses do ano. Tanto que o relatório Visão Agro, do Itaú BBA, divulgado na última segunda-feira, prevê um aumento das importações de adubo de 7% a 10% no acumulado de 2023. Ocorre que há fatores que ameaçam essa estimativa. A Rússia rompeu um acordo com a Ucrânia que permitia o escoamento de insumos agrícolas pelo Mar Negro. O governo Putin acusa a Ucrânia de não ter cumprido termos do tratado que permitiam a exportação de fertilizantes russos, o que pode pressionar ainda mais a oferta global do produto.

#Fertilizantes #Itaú BBA #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Produtores de leite batem à porta de Carlos Fávaro

21/07/2023
  • Share

Grandes produtores de leite, notadamente de Minas Gerais e Rio Grande do Sul, articulam uma reunião, para a próxima semana, com o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro. Vão levar a Fávaro reivindicações e propostas na tentativa de reduzir a crise no setor. Na proa dos pedidos, estará a elevação da tarifa de importação de leite, notadamente dos países do Mercosul. Entre janeiro e maio, as compras no mercado externo cresceram 214% em comparação com igual período no ano passado, como resultado da forte queda dos preços do produto no Uruguai e na Argentina. No rol das medidas emergenciais, o setor vai sugerir ainda que o governo aumente a aquisição de leite para a merenda escolar na rede pública, uma forma de subsídio cruzado.  

Em tempo: a reação dos produtores, segundo o RR apurou, não ficará restrita à mesa de negociações com o ministro Carlos Fávaro. Entidades do setor, à frente da Fetag-RS (Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul), está organizando uma manifestação em Brasília, provavelmente para o dia 1º de agosto. 

 

#Carlos Fávaro #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Ministério da Agricultura entra em cena para “regular” os preços do milho

7/07/2023
  • Share

O Ministério da Agricultura deverá autorizar, ainda neste mês, o aumento dos volumes de milho comprados pela Conab. Há duas motivações, até certo ponto paradoxais: brecar as perdas dos produtores rurais com a forte redução dos preços do cereal e aproveitar justamente essa queda para a formação de estoques oficiais – uma política praticamente abolida no governo Bolsonaro. Nos últimos 12 meses, o valor médio da saca de 60 quilos caiu da casa dos R$ 82 para algo ao redor de R$ 55. E a tendência é de mais reduções com a segunda safra, estimada em mais de 100 milhões de toneladas. Técnicos do Ministério da Agricultura temem que as perdas financeiras levem os produtores, notadamente do segmento de agricultura familiar, a reduzir o cultivo de milho na safra 2023-24, pela incapacidade de comprar insumos ou de arcar com empréstimos.

#Conab #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Governo aumenta verba para enfrentar a gripe aviária

22/06/2023
  • Share

O governo estuda aumentar a linha de crédito para o combate à gripe aviária, originalmente de R$ 200 milhões. A situação é mais preocupante do que o Ministério da Agricultura calculou inicialmente. Até o momento já foram identificados 36 focos da doença em aves silvestres, número que deve aumentar nos próximos dias. De acordo com informações obtidas pelo RR, a Pasta espera resultados para cinco testes já realizados em animais suspeitos de contrair influenza aviária de alta patogenicidade (H5N1)Diante do estado de emergência zoossanitária em vigor no país, o ministro Carlos Fávaro tem sido pressionado tanto por produtores de frango como por grandes grupos frigoríficos do país, a exemplo de JBS e BRF, a ampliar as verbas para detecção e enfrentamento da doença. A balança comercial brasileira agradece. 

#Carlos Fávaro #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Produtores vão a Haddad pedir sobretaxa para leite importado

21/06/2023
  • Share

Uma rara união entre o “capital” e o “trabalho” no campo: a bancada ruralista e a Federação dos Trabalhadores na Agricultura estão reivindicando ao ministro Fernando Haddad uma sobretaxa para as importações de leite. O pedido é para que o governo adote, em caráter temporário, uma Tarifa Externa Comum (TEC) para o produto oriundo dos demais países do Mercosul. Com a redução da demanda da China, Argentina e Uruguai estão despejando seus estoques de leite no Brasil. Entre janeiro e maio, por exemplo, as importações brasileiras de lácteos cresceram 38% em relação a igual período em 2022.  O resultado é uma derrubada dos preços e fortes prejuízos para os produtores locais. A situação é delicada, sobretudo, na Região Sul. A Federação dos Trabalhadores na Agricultura fez chegar ao governo que centenas de famílias que atuam na pecuária leiteira não estão conseguindo pagar fornecedores e honrar seus financiamentos por conta da queda das vendas. 

Como se não bastasse essa questão de ordem social, há ainda a pressão dos grandes produtores para “sensibilizar” o governo. No passado recente, o setor já deu demonstrações de sua força. Que o diga o antecessor de Haddad. Em 2019, Paulo Guedes decidiu não renovar a taxa de antidumping para as importações de leite em pó da União Europeia e da Nova Zelândia. Teve de voltar atrás após levar um puxão de orelhas de Jair Bolsonaro.  

#Federação dos Trabalhadore #Fernando Haddad #Mercosul #TEC

Agronegócio

Bancada ruralista se arma contra possível taxação de commodities agrícolas

9/06/2023
  • Share

O imposto disfarçado sobre a exportação de petróleo – como são chamadas as medidas que a Receita prepara para aumentar a arrecadação do comércio exterior da commodity em R$ 30 bilhões – acendeu a luz vermelha do lobby do agrobusiness – disparado o maior do Congresso. A preocupação dos ruralistas tem motivos de sobra. Não é de hoje que os elevadores da Receita sobem e descem com a proposta de tributar as exportações agrícolas e pecuárias. Não seria nada que reduzisse a competitividade dos nossos campeões. Afinal, a diferença entre o Brasil e seus concorrentes é larga. Mas um pouquinho ali e um pouquinho acolá de imposto poderiam contribuir para o ajuste fiscal com uma soma maior do que os R$ 30 bilhões carreados com as exportações de petróleo.  

A medida de gravar as vendas externas da commodity tem sido vista como um potencial destampatório para a tributação do agro, que é pop, mas paga pouco imposto. O argumento do lobby é que a cadeia de valor adicionado do agrobusiness é imensa, portanto haveria um grande imposto pago, indiretamente, pelos fornecedores. Por essa lógica, o agro pode ter o lucro que for que não pagará mais imposto nunca,  já que o argumento da cadeia de valor permanece para sempre. O RR tem acompanhado de perto essa discussão. No mundo inteiro há países com vocação agrícola, muito menos competitivos do que o Brasil, que contribuem com um quinhão maior que o nosso. O agro é “popíssimo”, gera divisas, faz crescer o PIB e incrementa a venda de bens de capital (tratores, colheitadeiras etc), mas é avaro como só ele quando se trata de pagar uns trocados para reduzir o buraco fiscal do país.  

#Agricultura #Petróleo #PIB

Agronegócio

Frente Parlamentar da Agricultura pressiona governo por um “Bolsa Pecuária”

5/06/2023
  • Share

Informação que circula a boca miúda nos corredores da Câmara: a bancada ruralista vai formalizar ao Ministério da Agricultura um pedido de auxílio financeiro aos pecuaristas. Entre os pleitos estão a antecipação de recursos do Plano Safra e a ampliação do Proagro (Programa de Garantia da Atividade Agropecuária), do Banco do Brasil. A alegação é que os pecuaristas têm sofrido fortes prejuízos, em meio a uma tempestade perfeita: aumento dos insumos, notadamente ração, e queda dos preços do boi. Desde o início do ano, o valor da arroba cedeu de R$ 290 para a casa dos R$ 240, uma queda acumulada de 17%.

#Banco do Brasil #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Brasil busca um waiver fitossanitário para a América do Sul

29/05/2023
  • Share

O governo brasileiro, mais precisamente o Ministério da Agricultura, está liderando a formação de uma força-tarefa fitossanitária na América do Sul. A ideia é negociar em bloco junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) para que toda a região seja declarada área livre da febre aftosa. O último caso da doença registrado em território brasileiro data de 2006. Desde 2018, o país é reconhecido como zona livre da febre aftosa. Ainda assim, há mais de 40 países que não compram carne bovina do Brasil e de nenhum outro país da América do Sul devido à falta do imprimatur da OIE. Nesse caso, o maior fator de risco aos interesses comerciais do Brasil e dos países vizinhos é a Venezuela. O país tem notórias fragilidades em sua política fitossanitária e é visto como o principal óbice para a OIE declarar toda a região como área livre da febre aftosa. O Brasil tem feito o que pode: já doou aos venezuelanos mais de 20 milhões de doses de vacina contra a moléstia.

#Ministério da Agricultura #OIE #Organização Mundial de Saúde Animal

Agronegócio

Próxima safra de café deve bater nas 57 milhões de sacas

23/05/2023
  • Share

Informação extraída pelo RR de fonte graduada do Ministério da Agricultura: o próximo levantamento da safra brasileira de café, previsto para setembro, deverá apontar uma estimativa de produção da ordem de 57 milhões de sacas. A se confirmar, será um avanço de 4% sobre a projeção divulgada pela Conab na semana passada (54,7 milhões de sacas). Mais importante ainda: em relação à última safra, o número representará um aumento de 12%. Olhando-se para a geoeconomia global do café, a circunstância é ainda mais positiva devido aos recentes problemas climáticos na Colômbia, de forte impacto sobre a produção local. Em 2022, a safra colombiana caiu 12% em relação à colheita anterior, atingindo o menor volume em nove anos.   

#Conab #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Prosperidade da agricultura pode ser o pavio para a tributação do setor

8/05/2023
  • Share

O jornal Valor de hoje deu a dica para uma iniciativa que está no gatilho do governo desde a gestão Bolsonaro: gravar o agrobusiness. O jornal divulga estimativas de que a renda agropecuária vai alcançar R$ 1 trilhão neste ano. É um dinheiro que sacode uma economia andando devagar. Mas são recursos que passam praticamente ao largo do Fisco. A estrutura tributária do país no que concerne ao agrobusiness é tremendamente regressiva. O setor é um dos grandes colaboradores para concentração da renda nacional. O ministro Fernando Haddad está de olho na baixa colaboração fiscal do agro, que não é pop para a Receita Federal. Um imposto ou contribuição está sendo estudado pela equipe econômica. A questão é que a resistência é grande. O lobby do agrobusiness é o maior do Congresso. Não é por outro motivo que os gigantes do setor não dão pelota para a Receita. São proporcionalmente poucos e cada vez mais ricos.

#agrobusiness

Agronegócio

Mais um campo minado entre o governo e o agronegócio

4/05/2023
  • Share

Além da CPI do MST, surge um novo ponto de fricção entre a bancada ruralista e o governo no Congresso. A Frente Parlamentar da Agricultura vai apresentar um projeto de lei determinado a recomposição do Ministério da Agricultura, cindido no governo Lula em três – Agricultura e Pecuária, Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar e Pesca e Aquicultura. O presidente da FPA, deputado Pedro Lupion (Progressistas-PR), já sondou o presidente da Câmara, Arthur Lira, sobre a possibilidade de o PL ser votado em regime de urgência antes do recesso do meio do ano, ou seja, até a primeira quinzena de julho. Entidades do setor, como a Sociedade Rural Brasileira e a Aprosoja, se empenharam em apoiar publicamente o projeto, aumentando o barulho em torno da proposta. Entre os principais argumentos para o meia-volta, volver, a FPA alega que a cisão do Ministério da Agricultura enfraquece a Secretaria de Política Agrícola e a definição de estratégias transversais para o setor. Pode ser. Mas, na prática, a semente do movimento, ao que tudo indica, é mesmo política.

#Arthur Lira #Frente Parlamentar da Agricultura #Lula #Ministério da Agricultura #MST

Agronegócio

Uma semente chinesa em solo brasileiro

28/03/2023
  • Share

A estatal Hope Full Grain, um dos grandes grupos agroindustriais da China, estaria em busca de terras no Centro-Oeste. A prioridade da empresa é o cultivo de soja, de olho no abastecimento do seu mercado doméstico. Há também a possibilidade da companhia investir em logística de armazenagem de grãos. Há cerca uma década, a Hope Full ensaiou se instalar em Goiás e no Mato Grosso, mas o projeto não andou. De lá para cá, a demanda chinesa por grãos cresceu mais de 50%. 

#China #Hope Full Grain

Agronegócio

Agricultura tenta destravar crédito extra para produtores de fumo

22/03/2023
  • Share

O RR apurou que o Ministério da Agricultura está articulando junto à equipe econômica a liberação de recursos adicionais, via Banco do Brasil, para os produtores de fumo da Região Sul. A falta de chuvas está impondo severos prejuízos aos fumicultores, especialmente no Rio Grande do Sul. Há um apelo de ordem social para o crédito extra: parte expressiva da produção é proveniente da agricultura familiar. O setor, ressalte-se, já vem uma safra esfumaçada. No ciclo 2021/22, a produção brasileira de fumo caiu 11%, também afetada por condições climáticas. A queda afeta também o desempenho do Brasil no mercado internacional. Quarto maior produtor de fumo do mundo, o Zimbábue vem adotando uma agressiva estratégia comercial. O país africano tem avançado em mercados consumidores importantes, especialmente Bélgica e Estados Unidos, os dois maiores importadores do fumo brasileiro. O RR apurou que o Ministério da Agricultura está articulando junto à equipe econômica a liberação de recursos adicionais, via Banco do Brasil, para os produtores de fumo da Região Sul. A falta de chuvas está impondo severos prejuízos aos fumicultores, especialmente no Rio Grande do Sul. Há um apelo de ordem social para o crédito extra: parte expressiva da produção é proveniente da agricultura familiar. O setor, ressalte-se, já vem uma safra esfumaçada. No ciclo 2021/22, a produção brasileira de fumo caiu 11%, também afetada por condições climáticas. A queda afeta também o desempenho do Brasil no mercado internacional. Quarto maior produtor de fumo do mundo, o Zimbábue vem adotando uma agressiva estratégia comercial. O país africano tem avançado em mercados consumidores importantes, especialmente Bélgica e Estados Unidos, os dois maiores importadores do fumo brasileiro. 

#Banco do Brasil #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Agricultura sofre com a falta de fertilizantes da Bolívia

20/03/2023
  • Share

O RR apurou que o Ministério da Agricultura e o Itamaraty têm feito gestões junto ao governo da Bolívia na tentativa de equacionar um gargalo no fornecimento de fertilizantes para o Brasil. Segundo informações filtradas da Pasta da Agricultura, a estatal Depósitos de Lítio da Bolívia vem atrasando os embarques de cloreto de potássio, notadamente para a região Centro-Oeste. A companhia vem tendo sistemáticas interrupções na sua produção devido aos protestos da população da região de Potosí, onde fica sua fábrica. Os manifestantes têm feito bloqueios em estradas próximas, atrapalhando a chegada de matérias-primas e o escoamento da produção. O Brasil é um dos cinco maiores importadores de cloreto de potássio da Bolívia. No Ministério da Agricultura, já se discute um Plano B, com a importação do fertilizante de outros países, notadamente do Canadá.

#Bolívia #Fertilizantes #Ministério da Agricultura

Agronegócio

Colômbia quer ter um cluster cafeeiro no Brasil

16/03/2023
  • Share

A rede de cafeteiras colombiana Juan Valdez planeja se instalar no Brasil. Segundo informações que circulam no setor cafeeiro, as primeiras lojas serão abertas em São Paulo. Esta é uma operação que vai além das raias do varejo. Trata-se de um movimento eivado de simbolismo. Os colombianos vão fincar bandeira no Brasil, um dos seus maiores concorrentes no mercado mundial de café. De certa forma, é para isso que a Juan Valdez existe. A marca de cafeterias é controlada pela Procafecol, por sua vez vinculada à poderosa Federação de Cafeicultores da Colômbia. A entidade responde por mais de um terço das exportações colombianas de café, o equivalente a US$ 1,2 bilhão por ano. Nesse contexto, a Juan Valdez é uma peça de marketing da própria indústria cafeeira colombiana. Durante os Jogos Olímpicos do Rio, por exemplo, a marca foi distribuída na Casa Colômbia, representação oficial do país no evento.

#Colômbia #Procafecol

Agronegócio

Plano Safra vira adubo em campo minado  

10/03/2023
  • Share

O governo quer usar o anúncio do Plano Safra 2023/24 para adubar o relacionamento entre Lula e o agronegócio. O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, está articulando um grande evento, provavelmente em maio, fora do Palácio do Planalto, onde tradicionalmente se dá a cerimônia de lançamento do programa agrícola. A ideia é que Lula, simbolicamente, anuncie o Plano Safra em alguma “capital” do agronegócio – a favorita é a cidade de Sorriso (MT), considerada a maior produtora de soja do mundo. O valor do Plano Safra 2023/24 deverá superar os R$ 400 bilhões. Até lá, o Ministério da Agricultura tenta arrancar da área econômica recursos suplementares para o crédito rural. No momento, o ministro Fávaro negocia a liberação de R$ 1 bilhão para retomar a oferta de linhas de financiamento para investimento e custeio. Parte expressiva será destinada ao Moderfrota, programa de incentivo à compra de máquinas e equipamentos. 

Agronegócio

Ministério da Agricultura reforça segurança sanitária nas fronteiras

16/02/2023
  • Share

O Ministério da Agricultura vai reforçar o esquema de vigilância sanitária nas fronteiras. Segundo a mesma fonte, a Pasta pretende também emitir um alerta aos governos estaduais em regiões de divisa recomendando a adoção de procedimento semelhante. A ameaça da gripe aviária, que parecia razoavelmente distante, chegou às franjas do território brasileiro, com a confirmação dos primeiros casos da doença no Uruguai e na Argentina, anunciados ontem pelas autoridades dos dois países. As ações profiláticas do Ministério da Agricultura se somam a medidas que já vinham sendo adotadas pelos maiores frigoríficos do país, entre as quais a suspensão de visitas em aviários. O Brasil tem uma invencibilidade para defender: jamais foi registrado um caso de gripe aviária no país. A balança comercial agradece.

#ameaça #Argentina #frigoríficos #fronteiras #gripe aviária #Ministério da Agricultura #Uruguai #vigilância sanitária

Todos os direitos reservados 1966-2024.