Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
06.08.19
ED. 6172

Polícia do B

O governador Wilson Witzel está em conversações com prefeitos da Baixada Fluminense para estender o programa “Segurança Presente” a todos os municípios da região até o fim de 2020. Trata-se, historicamente, de uma das áreas mais violentas do estado. Pelo menos quatro localidades serão atendidas já neste ano – Nova Iguaçu, Austin, Duque de Caxias e Miguel Couto. A iniciativa, implantada em vários bairros da capital, também seguirá o modelo de PPPs, com a simbiose entre contribuições de empresários locais e recursos públicos. Consultado, o governo do Rio informou que vai desembolsar R$ 50 milhões na expansão do “Segurança Presente” aos quatro municípios da Baixada e a outras seis cidades do estado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.07.19
ED. 6161

Depois do samba, o ronco dos motores

O governador Wilson Witzel, que já levou a concessão do Sambódromo, está disposto a assumir também a responsabilidade sobre o projeto de construção do novo autódromo do Rio de Janeiro. O empreendimento é tocado pela Prefeitura. Além do autódromo, o estado passaria a ser dono também do terreno no bairro de Deodoro que deverá ser doado pelo Exército.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.07.19
ED. 6152

Duas caras

Rodrigo Maia tem criticado duramente o jogo de cena de alguns governadores, que, à luz do dia, entoam discursos contundentes a favor da reforma da Previdência e, na penumbra, pouco fazem para incluir estados e municípios no projeto. As orelhas de João Doria e Wilson Witzel devem estar pelando

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

03.07.19
ED. 6148

Bolso-Witzel

Há, desde já, uma articulação para que o PSC, partido do governador Wilson Witzel, não lance candidatura à Prefeitura do Rio de Janeiro em 2020. A sigla apoiaria o candidato lançado pelo PSL. Caberia ao PSC indicar o vice, possivelmente o Pastor Everaldo. Seria a repetição da dobradinha Bolsonaro-Witzel que provocou um tsunami eleitoral no Rio em 2018.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.06.19
ED. 6141

Operação anti-Crivella

O PRB já discute a possibilidade de ter outro candidato à prefeitura do Rio de Janeiro em 2020, mesmo que o processo de impeachment dê com os burros n´água e Marcelo Crivella possa disputar a reeleição. Uma das hipóteses seria apoiar a candidatura do Pastor Everaldo, do PSC, que deverá ter a bênção do governador Wilson Witzel.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.06.19
ED. 6132

O “Bope do Bope” de Wilson Witzel

O governador Wilson Witzel prepara um leque de medidas de forte impacto na área de segurança pública. Uma dessas ideias é a criação de uma polícia de elite no Rio, uma espécie de “Bope do Bope“. Seria uma equipe restrita, escolhida a dedo, que reuniria a nata dos policiais do estado, tanto delegados quanto oficiais da PM.

A inspiração são forças especiais de segurança dos Estados Unidos e da Europa, a exemplo da SWAT, da francesa Le Raid ou da alemã GSG9. Este esquadrão teria autonomia para formulação das suas próprias estratégias assim como das ações de campo, sendo que estas últimas deverão ser sua principal característica. O grupamento teria, digamos assim, licença para agir e alcançar os objetivos traçados. Procurado, o governo do Rio nega o projeto. Está feito o registro.

Desde que assumiu, Wilson Witzel tem buscado ações mais contundentes no combate ao crime. O cartão de visitas foi a autorização para o uso de snipers no confronto com bandidos portando fuzis, notadamente em comunidades. Paralelamente, o governo tem procurado dar legitimidade à adoção de medidas mais duras contra a criminalidade. No caso específico dos snipers, por exemplo, o ex-juiz federal Witzel evocou os excludentes de ilicitude previstos no Código Penal para embasar a medida e atenuar a possível responsabilização criminal dos atiradores de elite por mortes em combate. Segundo o Artigo 23, não há crime quando o agente pratica o ato: I – em estado de necessidade; II – em legítima defesa; III – em estrito cumprimento de dever legal ou no exercício regular de direito.

O direito de fazer “o que deve ser feito” na segurança

O RR manteve contato com um consultor jurídico do governo do Rio, que não confirmou nem negou a proposta de criação deste grupamento de elite. Ainda assim, o jurista discorreu sobre a necessidade de o governo buscar um estofo legal mais ampliado para respaldar ações policiais, o que certamente ganharia ainda mais relevância e premência no caso da montagem de uma tropa especial dentro da polícia. O consultor chama a atenção, por exemplo, para a figura da “Coação irresistível e obediência hierárquica”.

Diz o Artigo 22 do Código Penal que “Se o fato é cometido sob coação irresistível ou em estrita obediência à ordem, não manifestamente ilegal, de superior hierárquico, só é punível o autor da coação ou da ordem”. Ou seja: à luz da lei, ações mais radicais deste grupamento especial estariam amparadas por uma permissão manifesta da autoridade máxima do estado. As diversas declarações na mídia dadas por Witzel estimulando ou autorizando a execução de criminosos em confronto já seriam suficientes para caracterizar, do ponto de vista jurídico, que o policial agiu sob “Coação irresistível ou obediência hierárquica”.

A construção de um arcabouço legal que permita ações mais radicais por parte da polícia tem outro de seus pilares na Súmula 70 editada pelo TJ-RJ. Ela reza que “O fato de restringir-se a prova oral a depoimentos de autoridades policiais e seus agentes não desautoriza a condenação”. Trata-se de um pacto entre o Judiciário e o Legislativo do Rio. Em outras palavras, cria-se a jurisprudência para que o depoimento policial tenha um peso decisivo em um tribunal do júri. Pela lógica, assim, como a prova oral de uma autoridade pode ser o bastante para a condenação de um réu, também pode ser para a absolvição de um colega de farda.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

03.06.19
ED. 6127

Witzel precisa de um head hunter

O ex-deputado André Moura, novo “embaixador” do Rio em Brasília, não é o único político sob suspeição recém-chegado à equipe de Wilson Witzel. Candidato derrotado ao governo do Piauí no ano passado, Valter Alencar tornou-se uma espécie de assessor informal de Witzel. Tem participado de seguidas reuniões no Palácio Guanabara. Assim como Moura, que assumiu a representação do governo do Rio na capital federal, Alencar é investigado pela Justiça. Ele é acusado de inscrever uma funcionária do PSC, partido de Witzel, como candidata-laranja da sigla em 2018. Izete Abreu teria recebido indevidamente cerca de R$ 280 mil do fundo eleitoral.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.04.19
ED. 6098

Pressa de uns, cautela de outros

A criação do Complexo Metalmecânico de Volta Redonda, anunciada no fim do ano passado, está na corda bamba. As empresas envolvidas no empreendimento ameaçam levar o projeto para São Paulo, carregando um investimento da ordem de R$ 300 milhões e a promessa de mais de três mil postos de trabalho. Elas reclamam da demora da gestão de Wilson Witzel em tocar a iniciativa. Procurado, o governo do Rio de Janeiro informou que “tem interesse no projeto e está trabalhando para viabilizá-lo.” Diz que, no momento estão sendo cumpridas as etapas para a concessão dos benefícios fiscais, “processo que requer atenção, responsabilidade e rigor”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.04.19
ED. 6096

Do limão uma limonada

O governador Wilson Witzel estuda restituir o IPVA de proprietários de veículos destruídos pelas chuvas da semana passada no Rio. Witzel também foi aconselhado por assessores a isentar do tributo os veículos novos adquiridos em substituição a esses automóveis. O argumento é que a renúncia fiscal será uma gotícula vis-àvis o impacto positivo sobre a imagem do governo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.04.19
ED. 6091

Escola Bolsonaro

O governador do Rio, Wilson Witzel, também tem planos de realizar uma live semanal nas redes sociais.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.04.19
ED. 6090

“Embaixada” vazia

Dois meses após a sua posse, parlamentares da bancada fluminense já pressionam Wilson Witzel pela substituição de Simão Sessim, que comanda a representação do governo do Rio em Brasília. Até o momento, o ex-deputado vem tendo um papel meramente decorativo no posto, com participação quase nula na articulação política e em assuntos de interesse do Rio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.04.19
ED. 6085

As águas vão rolar

O governo de Wilson Witzel deverá apresentar até junho um modelo de PPPs para a Cedae, a empresa de saneamento do Rio de Janeiro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

07.03.19
ED. 6067

Roleta carioca

O governo do Rio decidiu frear a venda de um palacete localizado na Ilha de Brocoió, na Baía de Guanabara. Qualquer semelhança entre a decisão e a expectativa de aprovação da lei que libera o jogo no Brasil não é mera coincidência. Wilson Witzel acha que o local daria um belo cassino.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.02.19
ED. 6060

Estradas à venda

O governo de Wilson Witzel pretende privatizar ao menos duas concessões rodoviárias ainda neste ano. As prioridades são a Linha Vermelha e a Via Light, ambas na Região Metropolitana do Rio. A Invepar, que já opera a Linha Amarela, é tida na própria equipe de Witzel como forte candidata. Procurado pelo RR, o governo do Rio confirmou a licitação e informou que “o tipo de concessão só será detalhado após a conclusão de estudos técnicos que estão em andamento e serão recebidos em abril. A aferição de valores também depende da conclusão desses estudos.”

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

18.01.19
ED. 6036

Amil abala a saúde econômica do Rio

Pelo sim, pelo não, recomenda-se que o governador do Rio, Wilson Witzel, comece a fazer suas gestões junto ao comando da Amil e da sua controladora, o grupo norte-americano UnitedHealth Group (UHG). O RR tem a informação firme de que a direção da empresa trabalha celeremente para transferi-la integralmente para São Paulo, deixando mais uma cratera lunar na área corporativa da cidade. Consultada, a UHG nega a remoção de novas áreas para a capital paulista e o encerramento definitivo das atividades da Amil no Rio. Diz, inclusive, que está concentrando todos os funcionários na cidade em um único edifício, o Vista Guanabara, na Zona Portuária. O fato é que o precedente diz o contrário. Segundo a fonte do RR, a maior entusiasta da mudança definitiva da sede é a CEO da Amil, Molly Joseph, que já despachou mais de 50% da companhia para a pauliceia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

Embaixador do Rio

O governador Wilson Witzel teria convidado o deputado Simão Sessim (PP-RJ) para assumir a “embaixada” do Rio em Brasília. Caberia a ele acompanhar os assuntos de interesse do estado junto ao Executivo e, notadamente, ao Congresso. Soa como prêmio de consolação. Após dez mandatos consecutivos na Câmara, Sessim, 83 anos, não conseguiu se reeleger.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.12.18
ED. 6015

Benchmarking

Israel periga se tornar o “centro de comando” da segurança pública nos grandes estados brasileiros. Seguindo os passos de Wilson Witzel, João Doria deverá visitar o país logo no início do seu governo em busca de acordos para o aparelhamento da polícia paulista.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.11.18
ED. 6002

A bola vai rolar

O governador eleito Wilson Witzel já se comprometeu com os grandes clubes do Rio a realizar a nova concessão do Maracanã até junho de 2019.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.11.18
ED. 5998

O “Moro do Rio”

O ex-delegado Leandro Daiello, que comandou a Polícia Federal no auge da Lava Jato, está cotado para integrar a equipe de Wilson Witzel. Guardadas as devidas proporções, Daiello seria o “Sérgio Moro” do governador do Rio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

08.11.18
ED. 5990

Classificados

A equipe de Wilson Witzel está fazendo um levantamento de imóveis pertencentes ao governo do Rio. Estimativas preliminares indicam que a venda destes ativos pode gerar cerca de R$ 1,5 bilhão. A lista vai de edifícios comerciais e terrenos baldios a um palacete na Ilha de Brocoió.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.11.18
ED. 5988

Cidade de Deus

Empolgado com a eleição de Wilson Witzel, o Pastor Everaldo, presidente do PSC, já cogita lançar sua candidatura à Prefeitura do Rio, em 2020. Seria um embate dos céus contra o Bispo Crivella.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.10.18
ED. 5980

O voo próprio de Witzel

A relação entre o Pastor Everaldo, presidente do PSC e artífice da candidatura de Wilson Witzel ao governo do Rio de Janeiro, e o ex- juiz está estremecida. A criatura tem se afastado cada vez mais do criador.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.