fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
10.03.22

Círculo restrito

Jair Bolsonaro está articulando um encontro com o presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, um dos poucos aliados que lhe restaram na América do Sul.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.01.22

Diplomacia de farpas 1

chanceler Carlos Alberto França trabalha pelo retorno do Brasil à Celac (Comunidade de Estados da América Latina). Tarefa difícil. Ainda mais agora que o presidente da Argentina, Alberto Fernández, desafeto de Jair Bolsonaro – a exemplo de todos os líderes da esquerda) -, assumiu o comando da Organização. O Brasil deixou a Celac em janeiro de 2020. Foi um dos grandes “feitos” da gestão Ernesto Araújo à frente do Itamaraty.

Diplomacia de farpas 2

Segundo informações filtradas do Itamaraty, Paraguai e Uruguai pressionam o governo brasileiro a permanecer no Fundo de Convergência Estrutural do Mercosul (Focem). A gestão Bolsonaro ameaça deixar o Focem, destinado, principalmente, a financiar investimentos em infraestrutura. Será praticamente a extinção do fundo: o Brasil responde por 70% das contribuições, algo em torno de R$ 400 milhões por ano.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.12.21

Sangue latino

A Dasa avança a passos largos em seu processo de internacionalização. Após abrir laboratórios na Argentina e no Uruguai, a empresa prepara sua entrada no Chile e na Colômbia. É projeto para o primeiro semestre de 2022. Consultada, a empresa não se pronunciou.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.12.21

Brasil e Uruguai costuram um “toma lá, dá cá” no Mercosul

Segundo uma fonte do Itamaraty, Brasil e Uruguai estão costurando uma “coalizão” para a reunião de cúpula do Mercosul, prevista para a terceira semana de dezembro. Pelo acordo que vem sendo alinhavado, o governo brasileiro deverá apoiar a proposta de que os países membros do bloco possam fechar acordos bilaterais, sem as amarras tarifárias impostas pelo Mercosul. A curtíssimo prazo, a flexibilização tem endereço certo: as negociações que o próprio Uruguai vem mantendo com a China. Em contrapartida, o governo do presidente Luis Alberto Lacalle Pou endossaria o pleito do Brasil de redução da Tarifa Externa Comum (TEC), ponto polêmico que enfrenta resistência da Argentina. As conversações têm sido conduzidas por assessores do chanceler Carlos Alberto França e do ministro Paulo Guedes – em especial Roberto Fendt Junior, secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais da Economia. Sob a ótica de Guedes, o “toma lá, dá cá” é, na verdade, um “dá cá, dá cá”. Notório adversário do Mercosul, o ministro defende tanto a redução da TEC como a flexibilização das regras para o fechamento de acordos bilaterais. Procurados pelo RR, os Ministérios da Economia e das Relações Exteriores não se pronunciaram.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

03.12.21

Rastreamento total

Segundo o RR apurou, autoridades sanitárias do Uruguai solicitaram ao Ministério da Saúde todas as informações possíveis sobre os dois pacientes internados em São Paulo com a variante ômicron. Os uruguaios estão tentando cruzar os dados de circulação dos contaminados nos dias anteriores. O receio do país vizinho é que 27 mil brasileiros estiveram em Montevidéu no último fim de semana para a decisão da Libertadores entre Palmeiras e Flamengo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

18.11.21

Al mare

A reivindicação dos governos da Argentina e do Uruguai (ver RR de 25 de outubro) surtiu efeito. Para alívio do setor turístico, o governo brasileiro vai baixar uma portaria estendendo a rota dos cruzeiros que circulam pela costa do Brasil aos dois países. A travessia está suspensa por conta da pandemia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Segundo fonte do Itamaraty, os governos da Argentina e do Uruguai estão reivindicando ao Brasil que libere a circulação de cruzeiros marítimos internacionais. Por conta da pandemia, a travessia de navios de passageiros está restrita a águas territoriais brasileiras, notadamente em cidades do Sudeste e do Nordeste. Por tabela, a medida tem atingido duramente o setor turístico na Argentina e no Uruguai: historicamente, os dois países recebem muitos cruzeiros internacionais que partem ou passam pelo Brasil. Procurado, o Itamaraty não se pronunciou. Já a Pasta do Turismo informou que “os Ministérios da Saúde, Infraestrutura e Justiça, juntamente com a Anvisa, seguem definindo os critérios técnicos e protocolos, de modo a possibilitar uma retomada gradual e segura (dos cruzeiros) para todos.”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.10.21

Um cabo sem tormentas

O Uruguai vai entrar no projeto Humboldt, leia-se a construção de um mega cabo de fibra óptica de 15 mil km. A decisão foi duplamente celebrada no Ministério das Comunicações. Primeiro porque o Uruguai era a peça que faltava para enfeixar a rede no Cone Sul. Depois porque o ingresso do país pode ser considerado um tento do governo Bolsonaro. De acordo com a mesma fonte, as autoridades brasileiras tiveram uma atuação determinante nos bastidores para que os uruguaios integrassem o projeto, orçado em aproximadamente meio bilhão de dólares. O cabo interligará também Chile, Argentina, Austrália e Nova Zelândia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.09.21

O inimigo número 1 do Mercosul ataca novamente

A conversa entre Paulo Guedes e a ministra da Economia do Uruguai, Azucena Arbeleche, na semana passada, ainda ecoa nos meios diplomáticos. Segundo a fonte do RR, Guedes passou toda a reunião estimulando o acordo bilateral entre o Uruguai e a China – na contramão do que prega o Itamaraty. Se é contra o Mercosul, o ministro está a favor.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.19

Marcha à direita

O governo Bolsonaro aguarda a posse do novo presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, para retomar uma proposta da maior “prioridade” no Mercosul: a criação de uma comissão permanente para discutir questões de ordem religiosa. O Palácio do Planalto acredita que terá em Lacalle Pou, de centro-direita, um aliado para pendurar a agenda de costumes no Mercosul.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.