Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
assuntos

Universidade Candido Mendes

Relacionados

22.09.19

Candido Mendes fica em recuperação no MEC

A Universidade Candido Mendes (UCAM) recorreu ao Conselho Nacional de Educação na tentativa de evitar o seu downgrade. Após uma inspeção técnica do MEC, a UCAM foi rebaixada à categoria de centro universitário, um andar inferior na escala de classificação das instituições de ensino superior. Pesou, e muito, na decisão a fragilidade financeira da Candido, um dos critérios de avaliação dos auditores do Ministério. A instituição soma cerca de R$ 1 bilhão em dívidas. Somente o passivo trabalhista gira em torno dos R$ 200 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.02.17

Candido Mendes só paga dívida com o bolso alheio

Conforme o RR antecipou na edição de 25 de janeiro, a Microsoft aceitou o acordo com a Universidade Candido Mendes (UCAM): em vez de pagar integralmente uma dívida de R$ 43 milhões referente ao uso de cópias de softwares não autorizadas, a UCAM terá de desembolsar apenas R$ 6 milhões. Caso encerrado? Tratando-se de Candido Mendes, jamais. O empresário e acadêmico não quer nem quitar os R$ 6 milhões. Está passando o chapéu em entidades empresariais na tentativa de arrecadar os recursos. Do próprio bolso, nem pensar.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.01.17

Bill Gates dá um alívio à devedora Candido Mendes

A Microsoft reduziu o bombardeio à Universidade Candido Mendes e já aceita fazer um acordo sobre os débitos não pagos por uso indevido de softwares sem cobrar os juros. O valor orbitaria em torno de R$ 6 milhões. Na fatura atualizada, passa de R$ 42 milhões. A Microsoft executou a universidade, que teve seu prédio em Ipanema levado a leilão no mês passado. O imóvel foi avaliado em R$ 128 milhões e o lance inicial ficou em R$ 64,5 milhões, mas não houve interessados. A quitação da dívida ou um acordo evitará o novo leilão, previsto para o próximo dia 6. A Microsoft diz que sempre “esteve aberta para um acordo e essa continua sendo sua posição”, embora não exista “uma negociação em curso.” Os executivos de Bill Gates no Brasil têm sido aconselhados a ir devagar com o andor e colocar na balança, de um lado a recuperação do montante não pago, de outro, a fama de ter destruído uma tradicional instituição de ensino.  Os capítulos finais dessa disputa dirão se David – adepto que é do modelo “devo, sim, mas não pago nunca” – continuará enrolando Golias.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.