fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
21.06.22

Perdas da Tiger Global cravam suas garras no Brasil

A crise do Tiger Global está ricocheteando no Brasil. Segundo o RR apurou, a gestora decidiu reduzir seus aportes no país. Pelo menos duas operações já engatilhadas – uma delas envolvendo uma companhia da área de TI – foram engavetadas. A Tiger Global estaria analisando também antecipar desinvestimentos no Brasil, a exemplo do que já tem feito em outros países da América Latina. Há cerca de um mês, os norte-americanos reduziram sua posição na dLocal, empresa de pagamentos do Uruguai.

Trata-se de uma reação às fortes perdas sofridas pela gestora do bilionário investidor norte-americano Chase Coleman em todo o mundo. Somente neste ano, os fundos da Tiger Global acumulam uma perda de patrimônio superior a 50%. De janeiro a abril, a queda do volume de ativos em suas carteiras superou os US$ 16 bilhões.

O recuo da Tiger Global já estaria impactando startups que compõem seu ecossistema de investimentos no Brasil. No mercado, as recentes demissões anunciadas pela Loft, plataforma de compra e venda de imóveis, e pela Zak, especializada na gestão de restaurantes, são atribuídos à certeza de que a gestora norte-americana não puxará novas rodadas de investimento tão cedo. Daí a necessidade de preservar caixa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.05.22

Má notícia

Corre no mercado a informação de que o Tiger Global deverá reduzir suas participações em startups brasileiras. Entre outros negócios, a gestora norte-americana é acionista do Nubank. O Tiger tem sido castigado por duas perdas globais: nos quatro primeiros meses do ano, teve um prejuízo da ordem de US$ 17 bilhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

31.01.22

Garras afiadas

A gestora norte-americana Tiger Global e a escocesa Baillie Gifford estão com o dedo no gatilho para mais uma injeção de capital na Loft, uma das maiores startups do setor imobiliário no país. A empresa já recebeu mais de US$ 600 milhões em aportes. Seu valuation supera os R$ 16 bilhões.

Por falar em Tiger Global: a gestora, que administra quase US$ 100 bilhões em ativos, deverá aumentar sua participação na VTEX, uma das maiores fornecedoras de sistemas para e-commerce do Brasil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.11.21

Três vezes unicórnio

Um grupo de investidores liderado pela americana Tiger Global estaria preparando mais um aporte na Nuvemshop, startup do setor de e-commerce. Hoje, o valor de mercado da empresa já supera a marca de US$ 3 bilhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.01.17

IPO da Netshoes: será que agora vai?

Os principais acionistas da Netshoes – leia-se o Temasek, fundo soberano de Cingapura, e as gestoras norte americanas Tiger Global e Iconiq Capital – pretendem decidir até março se levam ou não adiante o IPO da companhia prometido para este ano. O mercado está cético. A empresa de e-commerce costuma anunciar sua abertura de capital nos anos pares para suspendê-la nos anos ímpares. Ou vice-versa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.09.16

Private label

 A gestora Tiger Global se movimenta para ampliar sua participação na startup brasileira Nubank. Os norte-americanos já colocaram mais de US$ 50 milhões na emissora de cartão de crédito.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

08.01.16

Táxi!!

 O fundo norte-americano Tiger Global, acionista da 99 Taxis, deverá aportar mais US$ 40 milhões e aumentar sua participação na empresa. Os recursos seriam usados para duplicar o número de cidades atendidas. A 99 Taxis nega mudanças em seu capital.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.