fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos

Além da possibilidade de liberar a importação de milho transgênico, notadamente dos Estados Unidos, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, defende a concessão de uma linha de crédito especial para a compra da commodity. Seria uma medida mais aguda para aumentar a oferta do produto e conter a disparada dos preços no mercado interno. Na quarta-feira passada, Tereza participou de uma reunião remota com técnicos da Conab e do Instituto Nacional de Meteorologia. O quadro para a próxima safra de milho é preocupante.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.03.21

O milho de cada dia

O RR tem informações de que o governo deverá anunciar nos próximos dias a liberação das importações de milho transgênico. A principal voz favorável à proposta é a da própria ministra da Agricultura, Tereza Cristina. A medida ampliaria as possibilidades de importação da commodity para suprir a escassez interna e a disparada dos preços o valor da saca duplicou nos últimos 12 meses. A princípio, a autorização seria em caráter temporário, por até três meses.

Avicultores reivindicam à Tereza Cristina que o governo zere as alíquotas de PIS e Cofins sobre a importação de milho. A isenção tributária valeria para o cereal destinado à produção de frangos. A pressão por conta dos preços da commodity chegou a tal ponto que alguns avicultores já relataram que terão de matar aves antes do tempo de abate por falta de ração

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

A própria Tereza Cristina desarticulou o lobby que vinha sendo feito em Brasília pela sua nomeação para o Ministério das Relações Exteriores. Aos olhos de Tereza, era coisa de quem queria vê-la longe do Ministério da Agricultura e não necessariamente no Itamaraty.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.02.21

Porteiras abertas

Segundo informações filtradas do Ministério da Agricultura, a ministra Tereza Cristina está inclinada a autorizar a importação de gado vivo do Paraguai. A medida atenderia a um pleito dos próprios pecuaristas brasileiros, com o objetivo de compensar a escassez de animais prontos para abate no país. O problema se arrasta desde o fim do ano passado devido à alta demanda dos frigoríficos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.02.21

Salvo conduto

A BRF já teria solicitado à ministra Tereza Cristina que interceda junto ao governo da China para debelar o quanto antes as suspeições sobre seus produtos. Na semana passada, a imprensa chinesa noticiou que traços do coronavírus foram encontrados em carne suína da companhia. Na BRF, o receio é que os chineses usem a suposta contaminação como pretexto para pressionar os preços do produto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.02.21

Crédito de sobra

A ministra Tereza Cristina vem pleiteando ao presidente do Banco do Brasil, André Brandão, a redução dos juros para o financiamento rural. O foco é o Plano Safra 2021/22, que será anunciado em junho. Tereza, por sinal, está com crédito na casa: foi uma das responsáveis por interceder junto ao presidente Jair Bolsonaro para evitar a demissão de Brandão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, estuda a criação de uma cota mínima para a venda de carne bovina no front doméstico, que teria de ser cumprida pelos pecuaristas. Trata-se de uma medida polêmica, devido ao seu caráter intervencionista. Mas, seria uma trava de segurança. No ano passado, as exportações de carne subiram quase 20%, puxadas principalmente pela demanda chinesa. Resultado: redução da oferta interna e aumentos de preços de até 30%.

O Ministério da Agricultura cogita a retomada dos estoques oficiais de grãos, política abandonada pelo governo Bolsonaro. A proposta sobre a mesa passa pela concessão de subsídios a agricultores que venderem uma parcela da sua produção para o Ministério. Os estoques passariam a ter um papel importante para regular os preços dos produtos agrícolas, amortecendo, por exemplo, o impacto de variáveis climáticas. É o que está acontecendo com o milho. Os preços ao consumidor subiram quase 50% ao longo de 2020 por conta da forte estiagem na Região Sul, que provocou a quebra de aproximadamente 20% da safra.

Em tempo: a ministra Tereza Cristina tenta arrancar do Ministério da Economia crédito suplementar para repassar aos produtores de milho do sul do país, atingidos pelas secas. Tarefa difícil. A equipe econômica entende que já irrigou suficientemente o agronegócio com a prorrogação do pagamento das operações de crédito rural de custeio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

18.12.20

Que casca de banana

A ministra Tereza Cristina está com uma bananosa para resolver. Por conta de uma praga que atingiu boa parte das plantações do país, produtores brasileiros de banana correm o risco de perder espaço no mercado sul-americano. Grandes importadores da fruta, como Argentina, Chile e Uruguai, já saíram em busca de novos fornecedores para suprir a queda da safra brasileira.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.12.20

Arroz nada doce

A Bolívia sinalizou ao governo brasileiro que vai suspender as exportações de arroz para garantir o abastecimento do mercado interno. Uma dor de cabeça a mais para a ministra Tereza Cristina, que precisa lidar com a escassez e alta dos preços do cereal no Brasil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.12.20

“Chanceler”

A ministra Tereza Cristina vem atuando nos bastidores junto ao embaixador chinês Yang Wanming na tentativa de baixar a temperatura diplomática entre os dois países. Missão difícil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.