fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
13.06.22

Beirada

A subsidiária brasileira da Techint monitora com especial atenção o projeto de construção do gasoduto de Va Muerta, na Argentina, empreendimento de quase US$ 4 bilhões. O grupo argentino está na disputa para fornecer equipamentos, notadamente tubos. Dada a dimensão do projeto, é grande a chance de que a Techint use suas fábricas no Brasil para atender à encomenda.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

A Votorantim estaria em conversações com a Techint para a venda da Acerbrag, uma das três maiores produtoras de aços longos da Argentina. É o último ativo dos Ermírio de Moraes na siderurgia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.04.19

Uma questão geoeconômica

A aquisição da fabricante de tubos de aço norte-americana Ipsco tem gerado apreensão entre executivos da Tenaris, no Brasil. O temor é que a Techint, controladora do grupo, passe a transferir para os Estados Unidos recursos antes alocados na operação brasileira. Motivo não falta: seria uma forma de driblar as cotas impostas pelo governo Trump para a importação de tubos de aço. Procurada, a Tenaris afirma que seu avanço nos EUA “não tem relação com os investimentos no Brasil”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.12.17

Gerdau bate em retirada do Canadá e do México

Os Gerdau estão desmontando o seu “Nafta da siderurgia”. Segundo o RR apurou, o Grupo Gerdau abriu conversações para a venda de suas duas usinas de aços longos no Canadá. Em outra raia, avançam as negociações para a transferência das duas fábricas no México. Neste caso, o principal candidato seria a Ternium, leia-se a ítalo-argentina Techint, sócia da Usiminas. Estima-se que a alienação das quatro unidades possa gerar mais de US$ 500 milhões. Depois da venda da espanhola Sidenor, a operação é o ponto mais agudo do processo de desmobilização de ativos da Gerdau no exterior. O eixo Estados Unidos/Canadá/México sempre foi o núcleo duro da operação internacional do grupo. Sobrarão os Estados Unidos – se bem que até por lá a Gerdau já vendeu cinco minimills.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Para o lamento de dirigentes sindicais, concorrente e alguns acionistas – a exemplo de Benjamin Steinbruch – nos últimos dois meses tem reinado a paz entre a Techint e a Nippon Steel na Usiminas. Vai ver é a proximidade do Natal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.04.17

Fato raro na Usiminas

Entre um round e outro da disputa entre Techint e Nippon Steel, uma boa notícia para a Usiminas. Segundo projeções da companhia, o Ebitda do primeiro trimestre poderá bater nos R$ 350 milhões, contra R$ 50 milhões em março de 2016. Obra e graça do aumento dos preços do aço.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.04.17

Apólice da Techint

A Techint teria incluído no contrato de compra da CSA uma espécie de cláusula “anti-Lava Jato”. O dispositivo permitiria ao grupo ítalo-argentino cancelar a operação sem multa caso a siderúrgica seja condenada no processo movido pelo Ministério Público do Rio. O MP acusa a CSA de ter recebido incentivos fiscais indevidos do governo Cabral na gestão da ThyssenKrupp. A Thyssen afirma que todos os benefícios atenderam às contrapartidas legais.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.02.17

Usiminas

Em breve, mais um capítulo inédito da novela “A perseguição da Techint a Rômel de Souza”. O episódio promete fortes emoções.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.02.16

Techint

 Discórdia, soberba, animosidade societária, recusa de capitalização. A Techint, fundada pelo fascista Agostino Rocca, foi a pior coisa que aconteceu na vida da Usiminas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.01.16

Usiminas

 Os acionistas da Usiminas encontram problemas em todas as áreas. Além da grave crise na atividade siderúrgica, Techint e Nippon Steel ainda não receberam qualquer oferta pela Usiminas Mecânica, à venda há quase um ano. Sobre o assunto a Usiminas diz apenas que “está atenta às oportunidades de mercado”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.