fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
26.08.20

Missões a cumprir

De volta ao STJ, após duas licenças médicas em sequência, o ministro Felix Fisher fez questão de conversar com seus próprios pares para dissipar os boatos de que iria antecipar sua aposentadoria. Em um gesto eivado de simbolismo, aceitou o convite do novo presidente da Corte, Humberto Martins, para comandar o futuro comitê de Gestão Estratégica do STJ. Em tempo: Fisher tem um papel fundamental na engrenagem – ainda que com vários pontos de corrosão – da Lava Jato: é o relator dos casos ligados à operação no STJ.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.07.20

Contra-informação

O STJ e o Facebook rastrearam e identificaram os autores de quatro páginas inteiramente dedicadas a ataques à mídia. A maior delas reúne aproximadamente 92 mil seguidores e tem, em média, cinco mil publicações por dia -entre posts e comentários. Vão ser todas tiradas do ar.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.07.20

Operação Faroeste

Os advogados de Antonio Nascimento Neves – apontado na Operação Faroeste, da Polícia Federal, como o operador de um esquema de vendas de sentenças no TJ da Bahia – vão entrar com um pedido de habeas corpus no Supremo. O STJ já negou a libertação de Neves. Quatro desembargadores e três juízos são acusados de produzirem sentenças ao gosto do freguês.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.06.20

Será o Benedito?

O governador Ibaneis Rocha faz campanha junto a Jair Bolsonaro pela indicação do ministro do STJ, Benedito Gonçalves, para o STF. Pontos pró -Benedito sob a ótica bolsonarista: foi delegado de polícia e autorizou a operação da PF contra Wilson Witzel; pontos contra: foi indicado para o STJ no governo de Lula e esteve cotado para o STF na gestão Dilma.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.05.20

Alforria para o consignado?

O STJ julgará hoje um caso que pode ter impacto sobre a vida de milhões de brasileiros. A Terceira Turma decidirá se recursos de crédito consignado depositados em conta podem ou não ser bloqueados, sob execução, para pagar outras dívidas. A “Maria da Penha” em questão é uma senhora que briga na Justiça para sacar um empréstimo retido para cobrir uma dívida de R$ 2 mil. A sentença deve firmar jurisprudência para casos semelhantes.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.05.20

Em busca do 11º não

A defesa de Flavio Bolsonaro ricocheteia entre os tribunais. Após a negativa do STJ, vai voltar ao STF na tentativa de suspender as investigações do suposto esquema de “rachadinha” no gabinete do “01” na Alerj. A Justiça já negou dez recursos dos advogados do senador.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.04.20

Reação imediata

Grandes gestoras de shoppings – a exemplo de Multiplan e BR Malls – deverão recorrer ao STJ contra decisão recente do TJ- Rio, que determinou a redução do aluguel de lojas em 70%.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.03.20

Sete Brasil é um poço sem fundo

A velha novela da Sete Brasil promete novos capítulos. O STJ reúne indícios de que boa parcela das dívidas da companhia foi contraída em operações firmadas no exterior, e não no Brasil. Caso se confirme, uma parte do passivo deverá sair da esfera judicial brasileira, abrindo caminho para uma nova saraivada de ações de bancos e fundos de investimentos internacionais contra a malfadada fabricante de sondas criada e inflada no governo Lula.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

18.02.20

Eflúvios do PanAmericano

O já “esquecido” escândalo do antigo Banco PanAmericano terá um revival hoje no STJ. A Corte vai julgar os embargos de divergência impetrados por um grupo de ex-dirigentes do ex-banco de Silvio Santos. Entre eles figuram o então presidente do Conselho de Administração, Luiz Roberto Sandoval, o presidente executivo, Rafael Palladino, e o diretor financeiro, Wilson Roberto de Aro. Todos recorrem da condenação que sofreram, em 2016, no Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, o Conselhinho. As punições mais pesadas foram impostas a Palladino e Aro. Além da multa financeira, ambos estão impossibilitados de assumir cargos em instituições fiscalizadas pelo BC até 2036.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.02.20

Contra-ataque

O ministro do STJ Humberto Martins deverá acionar o Supremo pedindo a quebra do sigilo da delação de Sergio Cabral. Vazamentos à mídia insistem em apontar Martins como um dos citados por Cabral. Oficialmente, o ministro diz não ter ciência do “acordo supostamente firmado por Sergio Cabral” e que, no STJ, sempre decidiu “contra os interesses” do ex-governador.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.