fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
17.11.20

Veredito falho

A capacidade do CNJ de avaliar a segurança dos sistemas de tecnologia do Judiciário está “sub judice”. Em recente estudo intitulado “Governança, Gestão e Infraestrutura de TI”, o Conselho conferiu a nota 0,81 (o equivalente a “muito bom” em uma escala de 0 a 0,90) à rede do STJ. Menos de um mês depois, o Tribunal seria devassado por um ataque hacker.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.11.20

PF investiga dupla de hackers no ataque ao STJ

O RR apurou com exclusividade que a Polícia Federal identificou não apenas um, mas dois responsáveis pelo ataque hacker ao sistema do Superior Tribunal de Justiça (STJ), na semana passada. De acordo com informações apuradas junto a uma fonte da própria corporação, a invasão foi feita por meio de servidores instalados no exterior. Ao mesmo tempo, a PF investiga a possibilidade de participação no crime de pessoas com acesso autorizado à rede de tecnologia do STJ. No momento em que os dados da Corte foram criptografados e roubados, não havia qualquer mecanismo de monitoramento do sistema acionado. Trata-se de algo raríssimo: centros de processamento de dados são vigiados 24 horas por dia. Procurada, a Polícia Federal disse que “não comenta investigações em andamento”. Por sua vez, o STJ informou que “a PF está apurando os efeitos do ataque hacker à rede do tribunal, inclusive com relação à extensão do acesso aos arquivos, bem como sobre eventual cópia de dados. A investigação do crime segue em inquérito sigiloso.”

Em tempo: o Serviço de Repressão a Crimes Cibernéticos da Polícia Federal identificou que os sistemas do Judiciário ficaram mais fragilizados com a prática do home office. O trabalho doméstico, sem as regras e cuidados impostos por cada Tribunal, aumentou o número de acessos de magistrados e funcionários a sites com baixos requisitos de segurança no mesmo momento em que o computador está conectado à rede da Corte.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.11.20

O nome para o STJ

Nos gabinetes do Palácio do Planalto, o nome do desembargador Abel Gomes circula como o favorito para a próxima vaga no superior Tribunal de Justiça (STJ), em substituição ao ministro Napoleão Maia, que se aposentará em dezembro. Línguas ferinas do Judiciário dizem que seria uma maneira de Jair Bolsonaro esvaziar ainda mais a Lava Jato. Gomes é o rigoroso relator dos processos da Operação no Tribunal Regional Federal da 2a Região, no Rio de Janeiro. Gomes tem negado recursos e pedidos de habeas corpus de vários condenados em primeira instância.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.10.20

Em “campanha”

O presidente do STJ, Humberto Martins, está convidando grupos da sociedade civil para audiências na Corte. Segundo o RR apurou, já há três datas reservadas para os encontros: 28 de outubro, 30 de novembro e 14 de dezembro. Nos corredores do STJ, os colegas de Corte de Martins dizem se tratar de “agenda de candidato”. No caso à próxima vaga no STF.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.08.20

Missões a cumprir

De volta ao STJ, após duas licenças médicas em sequência, o ministro Felix Fisher fez questão de conversar com seus próprios pares para dissipar os boatos de que iria antecipar sua aposentadoria. Em um gesto eivado de simbolismo, aceitou o convite do novo presidente da Corte, Humberto Martins, para comandar o futuro comitê de Gestão Estratégica do STJ. Em tempo: Fisher tem um papel fundamental na engrenagem – ainda que com vários pontos de corrosão – da Lava Jato: é o relator dos casos ligados à operação no STJ.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.07.20

Contra-informação

O STJ e o Facebook rastrearam e identificaram os autores de quatro páginas inteiramente dedicadas a ataques à mídia. A maior delas reúne aproximadamente 92 mil seguidores e tem, em média, cinco mil publicações por dia -entre posts e comentários. Vão ser todas tiradas do ar.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.07.20

Operação Faroeste

Os advogados de Antonio Nascimento Neves – apontado na Operação Faroeste, da Polícia Federal, como o operador de um esquema de vendas de sentenças no TJ da Bahia – vão entrar com um pedido de habeas corpus no Supremo. O STJ já negou a libertação de Neves. Quatro desembargadores e três juízos são acusados de produzirem sentenças ao gosto do freguês.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.06.20

Será o Benedito?

O governador Ibaneis Rocha faz campanha junto a Jair Bolsonaro pela indicação do ministro do STJ, Benedito Gonçalves, para o STF. Pontos pró -Benedito sob a ótica bolsonarista: foi delegado de polícia e autorizou a operação da PF contra Wilson Witzel; pontos contra: foi indicado para o STJ no governo de Lula e esteve cotado para o STF na gestão Dilma.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.05.20

Alforria para o consignado?

O STJ julgará hoje um caso que pode ter impacto sobre a vida de milhões de brasileiros. A Terceira Turma decidirá se recursos de crédito consignado depositados em conta podem ou não ser bloqueados, sob execução, para pagar outras dívidas. A “Maria da Penha” em questão é uma senhora que briga na Justiça para sacar um empréstimo retido para cobrir uma dívida de R$ 2 mil. A sentença deve firmar jurisprudência para casos semelhantes.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.05.20

Em busca do 11º não

A defesa de Flavio Bolsonaro ricocheteia entre os tribunais. Após a negativa do STJ, vai voltar ao STF na tentativa de suspender as investigações do suposto esquema de “rachadinha” no gabinete do “01” na Alerj. A Justiça já negou dez recursos dos advogados do senador.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.