Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
04.06.19
ED. 6128

Muito mais do que 16o km

Os 160 quilômetros que o ministro Tarcisio Freitas pretende adicionar à concessão da Fiol podem unir a Bahia a Moscou e Pequim. A extensão é fundamental para assegurar a presença da russa RZD e da China Railway no leilão da Fiol. Os estudos de viabilidade  dos dois grupos apontam que o negócio só é rentável com a construção de um ramal entre Ilhéus e Caetité.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.04.19
ED. 6104

Orient Express

A russa RZD montou um grupo técnico para esmiuçar o modelo de negócio da Ferrovia Integração Oeste-Leste. O leilão está previsto para este ano. Ressalte-se que a RZD chegou a entrar na disputa pela Norte-Sul, mas pulou fora por discordar das regras do jogo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.03.19
ED. 6071

Mudança de Rumo

A russa RZD desistiu da licitação da Norte-Sul, mas não do Brasil. O novo alvo é uma associação com a Malha Paulista, concessão controlada pela Rumo Logística, de Rubens Ometto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.02.19
ED. 6061

RZD na Norte-Sul

A russa RZD abriu um canal de interlocução com o Ministério de Infraestrutura. O assunto sobre a mesa é a privatização da Norte-Sul, prevista para o fim de março. O grupo já acenou com financiamento de bancos internacionais – o investimento mínimo obrigatório é de quase R$ 3 bilhões. Os russos entrariam na licitação lado a lado da Rumo Logística.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

07.01.19
ED. 6027

RZD vai de norte a sul e leste a oeste

A russa RZD, ao que parece, quer estar nos pontos cardeais do mapa ferroviário brasileiro. Segundo o RR apurou, além da Norte-Sul, a companhia já fez chegar ao governo seu interesse na Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol). A licitação do trecho entre as cidades de Caetité e Ilhéus, na Bahia, deverá ser realizada no segundo semestre. O empreendimento está orçado em cerca de R$ 6 bilhões. Em tempo: o representante da RZD no Brasil é Bernardo Figueiredo, que foi colega do atual ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas, no governo Dilma. Freitas era diretor do DNIT. Já Figueiredo comandava a Empresa de Planejamento e Logística.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

07.12.18
ED. 6010

Transiberiana

A RZD, uma das maiores concessionárias de ferrovias da Rússia, já colocou na mesa da equipe de transição um estudo de viabilidade para a construção e operação da Norte-Sul. O leilão de um dos trechos, com extensão de 1,5 mil km, está marcado para março de 2019. O investimento beira os R$ 3 bilhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.04.18
ED. 5851

China Railway e RZD exigem que Norte-Sul desvie da Lava Jato

A China Railway e a russa RZD Railways, apontadas como as principais candidatas à concessão da Norte-Sul, ameaçam ficar de fora do leilão. A dupla exige mudanças no modelo da licitação. Da forma como o script está montado, há o risco de a Norte-Sul arrastar seu futuro concessionário para dentro da Lava Jato. O motivo é a obrigatoriedade de que o investidor privado assuma antigos contratos firmados pela estatal Valec – boa parte deles alvo de investigações do Ministério Público e do TCU.

Segundo o RR apurou, China Railways e RZD consideram como caso de maior risco o acordo de R$ 166 milhões com a Constran, leia-se UTC, e a Carioca Engenharia para a construção de um trecho de 140 quilômetros da via férrea, o chamado Lote 4. No ano passado, o TCU determinou o bloqueio de bens da Constran devido a fraudes e superfaturamento na montagem de outro trecho da ferrovia – na ocasião o Tribunal ainda puniu a empresa, um de seus executivos e dois ex-dirigentes da Valec a ressarcir os cofres públicos em cerca de R$ 70 milhões. O governo chegou a reduzir o preço de outorga da Norte-Sul em 30% como contrapartida à transferência dos contratos e demais obrigações da ferrovia ao futuro concessionário.

China Railway e RZD, no entanto, entendem que não há desconto que pague o risco potencial das ossadas guardadas na Valec. Para os investidores a estatal deveria suspender os antigos contratos – a maioria deles firmada na gestão de seu antigo presidente, José Francisco das Neves, o “Juquinha”, já condenado por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Por sinal, se há alguém que, por dever de ofício, conhece os labirintos da Valec e as ameaças embutidas na Norte-Sul é Bernardo Figueiredo, representante da RZD no Brasil e principal interlocutor entre os investidores e os ministros Moreira Franco – que, mesmo nas Minas e Energia, mantém um pé nas PPIs – e Valter Casimiro, titular da Pasta dos Transportes. Ex-presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Figueiredo foi o homem-forte da área de logística do governo Dilma I.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.12.17
ED. 5771

“Putin Railway”

Os russos estão chegando. Além da RZD, assessorada no país por Bernardo Figueiredo, que foi braço direito de Dilma Rousseff para o setor ferroviário, a Transmashholding também tem interesse no leilão da Norte-Sul – previsto para 2018.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.