fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
24.06.20

As portas se fecham para Romeu Zema

Apesar do alinhamento com Jair Bolsonaro, Romeu Zema não tem tido muito sucesso nas tratativas com o governo federal para vender recebíveis da Codemig (Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais). Zema tentou pendurar o negócio no BNDES, mas não conseguiu. Agora, o alvo é o Banco do Brasil. Também vai ser difícil. Os créditos da Codemig são lastreados na venda de nióbio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), dos Moreira Salles, que paga royalties para a estatal. Procurado, o governo de Minas Gerais informou que “mantém a intenção de disponibilizar para venda parte da Codemig ao Governo Federal”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.06.20

Zema recebe apoio a conta-gotas

O alinhamento entre Romeu Zema e Jair Bolsonaro começa a render dividendos para Minas Gerais. O governo federal comprometeu -se em repassar ao estado recursos para a construção da Linha 2 do metrô de BH. O dinheiro virá do acordo entre a AGU e a VLI Logística, que aceitou pagar uma indenização de R$ 1,2 bilhão para encerrar quatro processos movidos pela União contra a Ferrovia
Centro-Atlântica, sua controlada. Não é nada para Zema se animar muito. Estima-se que menos de um terço desse valor será transferido aos cofres mineiros. Além disso, vai ser na base do pinga-pinga, uma vez que a VLI terá 60 meses para pagar indenização. De janeiro até aqui, a empresa desembolsou R$ 135 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.06.20

Pai da criança

O PSD, de Gilberto Kassab, está computando um gol que não marcou. O governador Romeu Zema foi o personagem decisivo na nomeação de Giovanne Gomes, comandante da Polícia Militar de Minas, para a presidência da Fundação Nacional da Saúde (Funasa).

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.06.20

O preço da pandemia

Só mesmo a crise do coronavírus e a asfixia fiscal para fazer com que Romeu Zema tente vender parte da Codemig ao governo federal neste momento. O timing está longe de ser o ideal, devido à queda dos preços do nióbio, que se encontram no menor patamar em quase dois anos. O principal ativo da estatal mineira é a sua participação da CBMM, dos Moreira Salles.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

O cabo de guerra político em torno da Covid-19 se reflete no futebol. João Doria e Bruno Covas articulam nos bastidores contra a retomada do campeonato paulista. Na mão inversa estão Romeu Zema e Marcelo Crivella, que atuam para o reinício dos campeonatos mineiro e carioca.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.05.20

Pacotão

O governador Romeu Zema também quer incluir a Copasa na cesta de ativos que tenta vender para o governo federal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.20

Governadores atiram para todos os lados

A Operação Lava Jato está virando a “cloroquina” para o tratamento dos efeitos fiscais da pandemia. Sem dinheiro em caixa, Romeu Zema deverá ser o próximo governador a requisitar ao STF recursos recuperados pela Lava Jato para custear ações de combate ao coronavírus. Seguirá os passos do governador do Mato Grosso, Mauro Mendes, que entrou com pedido junto ao ministro Alexandre de Moraes para a liberação de R$ 79 milhões.

O governador do Amazonas, Wilson Lima, formalizou junto ao governo da Noruega, na semana passada, um pedido de recursos para a compra de equipamentos médicos. O dinheiro viria do Fundo Amazonas, que está congelado desde o ano passado, no auge do imbróglio com o governo Bolsonaro por conta das queimadas na região. São aproximadamente R$ 133 milhões/ano que se encontram represados.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.05.20

Camisa de força

A indicação do vice-governador de Minas, Paulo Brant, para comandar o Conselho Estadual de Modernização Administrativa – que ainda não se sabe muito bem ao que veio – não deve ser vista exatamente como uma deferência da parte de Romeu Zema. Entre os próprios aliados do governador, a nomeação é interpretada como uma manobra de Zema para neutralizar Brant e reduzir sua área de influência dentro do governo. Ambos têm um relação das mais sinuosas. Recentemente, Brant deixou o Partido Novo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.05.20

Um negócio fora de timing

A Cemig reabriu conversações com a chinesa SPIC para a venda da sua participação na usina de Santo Antônio. As tratativas são conduzidas pelo Bank of America. No ano passado, já com Romeu Zema no governo de Minas Gerais, o conselho de administração da estatal recusou uma oferta do grupo asiático pelo ativo, por considerar o valor baixo. Se arrependimento matasse…

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.05.20

Carga sob escolta

Romeu Zema articula com o governo federal o envio de um avião da FAB à China para transportar os quase 800 respiradores comprados para os hospitais de Minas Gerais. A maior preocupação dos estados tem sido evitar voos comerciais, com suas escalas obrigatórias, para escapar de possíveis bloqueios de equipamentos de saúde por outros países.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.