fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
13.06.22

Corsan vai ao mercado

A Corsan estuda uma captação internacional para financiar seus planos de investimento. As verbas orçamentárias do Rio  Grande do Sul praticamente secaram. E o IPO da empresa, com o objetivo de levantar R$ 1 bilhão, foi para o fundo da gaveta pela inapetência dos investidores.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

O general Hamilton Mourão tem feito seguidas aproximações de grandes produtores rurais do Rio Grande do Sul, notadamente por meio da Federação da Agricultura do estado. O apoio do agronegócio virou uma de suas grandes apostas na disputa pelo Senado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.03.22

ICMS da discórdia

O RR apurou que grandes suinocultores do Rio Grande do Sul pressionam o governo do estado a reduzir temporariamente o ICMS sobre o setor. Produtores de Santa Catarina se articulam na mesma direção. Alegam que os gastos dispararam com as secas e seu impacto sobre os preços do milho. O custo de produção está na casa dos R$ 7 por quilo, ao passo que o preço de venda aos frigoríficos estacionou nos R$ 5.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.03.22

Agricultores devem ter seu “auxílio emergencial”

O governo estuda medidas para mitigar os prejuízos impostos pela seca aos médios e grandes produtores rurais.  Uma das ideias discutidas é a concessão de uma linha de crédito emergencial do Banco do Brasil. Outra iniciativa em análise é um waiver temporário para o pagamento de empréstimos realizados no âmbito do Plano Safra 2021-22, leia-se um volume total de R$ 250 bilhões – medida similar foi adotada em 2020 por causa da pandemia. A suspensão dos pagamentos beneficiaria ruralistas das áreas mais afetadas pela estiagem, notadamente a Região Sul.

No Rio Grande do Sul, por exemplo, a quebra da safra de grãos foi a maior em dez anos. Os prejuízos apenas dos produtores de soja e milho superam os R$ 35 bilhões. No Centro-Oeste, por sua vez, as perdas somente com a soja chegam a R$ 15 bilhões. Não obstante os efeitos das secas, sob certo aspecto os agricultores estão pedindo ajuda de gulosos. O carry over é positivo: em fevereiro, por exemplo, as exportações do agronegócio subiram 65% em relação ao mesmo mês em 2021.

Ressalte-se que o governo já deu um refresco para os pequenos agricultores, com a liberação de R$ 1,2 bilhão por meio do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). No entanto, há uma grande pressão do agronegócio, potencializada pela bancada ruralista, por medidas voltadas ao médio e grande produtor. Os pleitos têm sido levados ao presidente Jair Bolsonaro notadamente pelo senador Luiz Carlos Heinze, um dos próceres da Frente Parlamentar da Agricultura.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.03.22

“Auxílio emergencial”

O governo do Rio Grande do Sul avalia conceder uma linha de crédito emergencial para os agricultores, duramente atingidos pelas secas. A situação é grave: estima-se que, somente nas safras de soja e milho, as perdas superem os R$ 33 bilhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.01.22

Troca de guarda nos estados

Os governos do Rio Grande do Sul e do Pará têm feito estudos para a transformação de seus agentes penitenciários em policiais penais. A medida é obrigatória desde 2019, quando foi aprovada uma PEC equiparando as duas categorias. Até hoje, no entanto, apenas 13 unidades da federação aderiram à determinação. O restante ainda resiste à migração por razões de ordem orçamentária. A transformação dos carcereiros em policiais penais traz de arrasto uma série de gastos extras, com correção de salários e um novo plano de aposentadoria.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.12.20

Uma longa estrada

O RR apurou que o governo do Rio Grande do Sul está embalando um pacote de 18 concessões rodoviárias estaduais para serem leiloadas a partir do primeiro semestre de 2021. Isso se o resultado da licitação da RS-287, marcada para a próxima sexta-feira, não jogar água no chimarrão. Ela é considerada no governo um termômetro para 2021.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.