fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
17.08.20

Candidato-relâmpago

Uma ala mais radical e impaciente do PT já defende a troca do pré- candidato à Prefeitura de São Paulo. Em pesquisas recentes feitas pelo partido, Tatto aparece atrás de Guilherme Boulos, com menos de 5% dos votos. É verdade que ainda falta muito para a eleição e, a rigor, a campanha sequer começou. Mas esse é justamente o argumento utilizado pelos “oposicionistas” do candidato: a hora da substituição é agora.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.08.20

Perda de prestígio

Lurian da Silva, filha de Lula, já esteve mais em alta. Ela vai coordenar o programa de governo do candidato do PT à Prefeitura de Itabaiana (SE), Olivier Chagas. Entre outras missões, dentro e fora do partido, Lurian integrou o comitê de campanha de Gabriel Chalita, candidato derrotado à Prefeitura de São Paulo. Por sinal, a jornalista não é exatamente uma pé quente: não se elegeu vereadora em São Bernardo do Campo mesmo no auge da popularidade do pai.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.07.20

Uma semente no PT

O PT tem feito acenos à senadora Katia Abreu. Sua filiação daria ao partido uma ponte para o agronegócio, já pensando na eleição de 2022. Não custa lembrar que Katia foi uma das mais fiéis, se não a mais fiel aliada da presidente Dilma Rousseff até o último minuto do seu governo. Em tempo: resiliência partidária não é o forte da senadora. Hoje no PPB, Katia Abreu já passou por PPB, PFL, depois DEM, PSD, MDB, PDT e agora bate ponto no PP.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.07.20

Lisboa e a ressurreição de Haddad

O presidente do Insper, Marcos Lisboa, atira para todos os lados, sem maiores pruridos. Lisboa quer ser ministro da Fazenda. De qualquer governo. Ofereceu-se para colaborar com o professor e virtual candidato às eleições presidenciais pelo PT Fernando Haddad. O petista pertence aos quadros da instituição de ensino. Não há nada que indique, hoje, uma vantagem comparativa de Haddad em relação à única candidatura certa ao sufrágio de 2022, a do presidente Jair Bolsonaro; nem sobre os demais potenciais aspirantes, Luciano Huck, Ciro Gomes, Sergio Moro, João Dória e Flavio Dino. É puro oportunismo. Se surgir algum candidato de última hora, “Marquinhos” está pronto para contribuir no seu programa econômico.

Por falar em Insper, a instituição tem namorado o ex-ministro da Educação Carlos Alberto Decotelli. As conversas se dariam em torno do ingresso do professor nos cursos de educação continuada. Ao que parece, nada que seja necessário um bom diploma. Tudo indica que há terceiras ou quartas intenções entre as partes, caso se concretize o convite. Procurado pelo RR, o Insper não retornou até o fechamento desta edição.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.07.20

Fake news

Ontem, no fim da tarde, deputados do PT e do PSOL já tentavam recolher assinaturas para a abertura de um processo contra Eduardo Bolsonaro no Conselho de Ética da Câmara. O motivo é a vinculação de contas bloqueadas pelo Facebook a funcionários do gabinete do parlamentar.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.06.20

Dirceu deixa “quarentena” e se une à Frente Ampla

Acabou o confinamento da esquerda. José Dirceu vai se unir à “Frente Ampla pela Democracia”. Dirceu fez chegar às lideranças políticas que estão à frente do movimento a sua disposição de participar das articulações para – sejamos honestos – precipitar o despejo de Jair Bolsonaro da Presidência. A mexida de Dirceu é um movimento político calculado.

Ele se apresentará como um cidadão combativo pela democracia e não como dirigente do PT. Com essa dubiedade, pretende criar uma saída para as inevitáveis narrativas de que rachou com Lula ou está cindindo o PT. O truque é o seguinte: o “comandante” representa si próprio nas conversas suprapartidárias. Mas, ainda que subliminarmente, continua representando também o partido. A posição do PT é a de seguir isolado na oposição ao governo.

Dirceu, não é de hoje, não concorda com esse “pensamento único”. Tem atirado aqui e acolá flechas com endereço certo. Em recente entrevista, por exemplo, declarou que “temos de constituir uma frente das esquerdas para lutar contra Bolsonaro e para ser alternativa ao Brasil”. Como diria o mestre Eliezer Batista, “seja como for, tudo tem que acabar com bom humor”. O engajamento de José Dirceu nas conversas já pontificadas por Fernando Henrique Cardoso, Marina Silva e Ciro Gomes criaria uma curiosa aliança: um ex-presidente aristocrata, uma ex-seringueira, um “cangaceiro” extremante preparado e um ex-guerrilheiro juntos contra Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.06.20

Bicudos

A exemplo de José Dirceu, o economista Eduardo Moreira também tenta costurar uma aproximação entre Lula e Ciro Gomes. Vai gastar saliva para nada. Conselheiro emergente do campo da esquerda, Moreira é fundador do movimento Somos 70, de oposição a Jair Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.06.20

Gabinete do amor

Ideia soprada ao pé do ouvido de Lula por um velho marqueteiro do PT: encapsular toda a sua comunicação nas redes sociais com o termo “gabinete do amor”. É cada uma…

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.06.20

T de trabalho

Em uma aliança rara ultimamente, PT e PDT se uniram pela mudança da MP 927. O objetivo é permitir aos trabalhadores que aderiram ao FGTS no regime de saque- aniversário e foram demitidos na pandemia o direito de sacar todo o fundo. Pela lei, eles só podem retirar 40% do FGTS.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.05.20

Coalizão de esquerda

Os presidentes do PSB, Carlos Siqueira, e do PC do B, Luciana Santos, conversam sobre a possibilidade de lançamento de candidaturas conjuntas em pelo menos cinco capitais do país nas eleições municipais. Seria a prévia de uma possível tabelinha na eleição presidencial de 2022. E o PT? Esse segue conversando consigo próprio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.