fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
04.01.22

Novas fronteiras

A Previc tem feito estudos para aumentar o limite para investimentos de fundos de pensão no exterior. A ideia é subir esse sarrafo dos atuais 10% para 20% das aplicações totais. É justamente o teto reivindicado por Previ e Funcef, os dois principais articuladores da mudança nas regras.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.11.21

Previ vai apagando a luz em etapas

A Previ estuda a venda de uma parcela da sua participação acionária na Neoenergia (30,2% do capital total). Recentemente, não custa lembrar, o fundo de pensão já reduziu sua exposure em empresas controladas pelo grupo. Em um só pacote, a Previ vendeu para a própria Neoenergia ações das distribuidoras Coelba e Cosern e da transmissora Afluente, embolsando aproximadamente R$ 220 milhões. Procurada, a fundação não se pronunciou.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.11.21

Marcos Molina avança em seu projeto de ocupação da BRF

Marcos Molina, dono da Marfrig, começa a dar as cartas na BRF. Na condição de maior acionista individual (31,6%), Molina articula com outros sócios relevantes, a exemplo da Previ e da Petros, mudanças na gestão da companhia. Segundo uma fonte próxima ao empresário, ele estaria aguardando apenas o fim do mandato de Pedro Parente como chairman da BRF, em abril de 2022, para substituir o atual CEO do grupo, Lorival Luz.

Entende-se a cautela com o timing. Luz é bastante ligado a Parente. Qualquer mexida agora abriria um desnecessário flanco de atrito com o ex-ministro da Casa Civil, hoje o principal “avalista” da empresa junto ao mercado. A própria dupla Previ e Petros sempre esteve alinhada a Parente, mas joga o jogo, à medida em que o quadro de forças na companhia vai se alterar de forma mais substancial a partir do ano que vem.

No mercado, há quem aposte que a compra de uma parcela da fatia dos fundos de pensão seria a próxima tacada de Molina. Procuradas pelo RR, Marfrig e BRF não quiseram se manifestar. Além de assumir as rédeas da gestão executiva, outra preocupação de Marcos Molina é povoar o Conselho da companhia com nomes de sua confiança para fortalecer ainda mais sua posição. Na prática, é como se Molina já estivesse transformando a BRF e a Marfrig em um só grupo, sob a sua regência, sem necessariamente promover uma fusão entre as duas – até o momento, uma possibilidade ainda envolta em brumas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.10.21

Sinistro

O RR apurou que a Previ estaria preparando a venda da sua participação no IRB (Instituto de Resseguros do Brasil). A fatia gira em torno de 3% do capital.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.09.21

Uma fatura previdenciária para o BB

A federalização de bancos estaduais, a maioria dos fim dos anos 1990, traz ônus ao governo até hoje. A Primeira Turma do TST reconheceu a competência da Justiça do Trabalho para julgar a ação civil pública em que funcionários do Banco do Brasil egressos dos antigos Banco do Estado do Piauí, Nossa Caixa e Banco do Estado de Santa Catarina reivindicam o direito de associação retroativa aos planos da Previ. Segundo fontes do TST, seriam grandes as chances de que a Corte dê ganho de causa aos trabalhadores. Com isso, o Banco do Brasil teria de arcar com parte da contribuição previdenciária desses funcionários. O prejuízo chegaria a algumas centenas de milhões de reais. Procurado, o BB disse ter conhecimento da posição do TST “por meio de publicação oficial” e que “está recorrendo da decisão.”

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

08.09.21

Convergência divergente

O Yosemite, uma espécie de condomínio de credores que ficou com a participação da OAS na Invepar, voltou a fazer pressão pela venda do controle da empresa. Não que Petros, Previ e Funcef, donas de 75%, não queiram. A questão é o momento: os ativos de infraestrutura de transporte estão longe do seu melhor valuation em meio à pandemia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.08.21

Previ verde

Uma parcela expressiva dos recursos que a Previ reservou para investimentos no exterior deverá ser destinada à compra de green bonds.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.07.21

Só falta a Petros…

Após as trocas de comando na Previ e na Funcef, o novo alvo do governo é o presidente da Petros, Bruno Dias. O assunto já estaria sobre a mesa do ministro da Casa Civil, general Luiz Eduardo Ramos, que, em breve, passará a ser de Ciro Nogueira. Dias é próximo da superintendente da Susep, Solange Vieira. O que, ainda que indiretamente, significa ser próximo de Paulo Guedes.

 

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

07.07.21

Troca-troca na Previ

O novo presidente da Previ, Daniel Stieler, prepara uma dança das cadeiras nos representantes da fundação em conselhos de administração.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.07.21

Saída em bloco

Previ, Petros e Funcef reabriram conversações para a venda conjunta das suas participações na Invepar. Segundo o RR apurou, a maior pressão pelo negócio vem do fundo de pensão do BB.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.