Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
09.07.18
ED. 5905

O sertão de Flavio Rocha

Flavio Rocha, pré-candidato à Presidência pelo PRB, está decidido a carregar o Pró-Sertão para a sua campanha, com a promessa de estendê-lo a todo o país. Trata-se de um programa de incentivo à geração de empregos na indústria têxtil no semiárido criado em 2013. A ideia, no entanto, provoca calafrios em seus assessores, que enxergam a iniciativa, no mínimo, como uma enorme imprudência. O Grupo Guararapes, da família de Rocha, é acusado de usar o Pró Sertão como uma nuvem de fumaça para terceirizar postos de trabalho e contratar funcionários de pequenas tecelagens do Nordeste com menor remuneração e sem uma série de direitos trabalhistas. O MPT pede à Justiça que multe a empresa em R$ 38 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.07.18
ED. 5905

Sobremesa

Após o tenso jantar com Geraldo Alckmin na última quarta-feira, líderes do PRB, SD, DEM e PP marcaram nova reunião, para depois de amanhã. Dessa vez, sem nenhum presidenciável por perto. O DEM, no entanto, periga roer a corda do Centrão e apoiar Ciro Gomes.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.06.18
ED. 5879

“Temer do Rio”

O PRB já considera não ter  candidato próprio ao governo do Rio dada a rasante popularidade do prefeito Marcelo Crivella.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.05.18
ED. 5867

Coalizão de festim

Na semana passada, as paredes do Palácio do Planalto testemunharam a conversa de dois “fantasmas eleitorais”. O ex-ministro e presidente do PRB, Marcos Pereira, ofereceu a Michel Temer a candidatura do empresário Flavio Rocha em “sacrifício” para a formação de uma chapa única de centro-direita capitaneada pelo MDB. Foi uma tertúlia de cínicos. Pereira vendeu o que não tem; e Temer – com seus 4% de popularidade – fingiu comprar algo em que nem mesmo ele acredita mais: uma candidatura chancelada pelo governo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.05.18
ED. 5866

O “Riquinho” da campanha eleitoral

Em conversa na semana passada, Flavio Rocha confirmou à direção do PRB que não pretende usar um centavo do fundo partidário e financiará sua campanha à Presidência com “recursos próprios”. O empresário garante que manterá uma estrutura de custos “enxuta” – as estimativas giram entre R$ 50 milhões e R$ 60 milhões. No que diz respeito à capacidade de bancar a própria campanha, ressalte- se, o herdeiro da Riachuelo é quase imbatível. Entre os presidenciáveis, só encontra paralelo no ex-ministro Henrique Meirelles.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.05.18
ED. 5864

Doria & Rocha

João Doria tem costurado sua estratégia de campanha para o governo de São Paulo em sintonia com o amigo Flavio Rocha, pré candidato do PRB à Presidência. Ambos dão pitaco um no programa do outro e já articulam uma agenda de eventos conjuntos no interior de São Paulo. Geraldo Alckmin é apenas um detalhe para Doria.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.04.18
ED. 5851

Homem de fé

O pastor evangélico Marcos Pereira, ex-ministro do Desenvolvimento e presidente do PRB, é um homem sincrético. Embora seu partido tenha candidato próprio à Presidência, o empresário Flavio Rocha, Pereira conversou nos últimos dias com Michel Temer e Henrique Meirelles. Disse que o PRB e a Igreja Universal estão abertos para os dois candidatos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.04.18
ED. 5841

Candidato da fé

O pastor Marcos Pereira, presidente do PRB e ex-ministro de Michel Temer, está cotado para ser o vice o empresário Flavio Rocha. Seria a chapa “Nós na Terra e Deus no Céu” – o próprio empresário frequenta a Igreja Sara Nossa Terra.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.03.18
ED. 5829

PRB flerta com Maia

O ex-ministro da Indústria e Comércio, o pastor Marcos Pereira, tem participado assiduamente de conversas com parlamentares do DEM em torno da candidatura de Rodrigo Maia à Presidência. Parece não estar nem aí para o fato de o seu partido, o PRB, negociar a indicação do vice de Alvaro Dias, pré-candidato do Podemos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.18
ED. 5807

Cadeira cativa do PRB

Michel Temer deverá confirmar neste fim de semana a efetivação do interino Marcos Jorge como ministro da Indústria e Comércio Exterior. Às vésperas da votação da reforma da Previdência, será um carinho a mais no PRB.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.05.17
ED. 5628

Brigas de condomínio

Mesmo no apocalipse, ou talvez por causa dele, Brasília não perde de vista seus interesses mais paroquiais. Dois exemplos dessas miudezas:

_________

Na semana passada, o Palácio do Planalto decidiu, às pressas, fatiar a Suframa entre o PSD, de Gilberto Kassab, e o PRB, partidos que têm votado com o governo no Congresso. Dias antes, já havia exonerado Rebecca Garcia da superintendência da Zona Franca de Manaus. A razão? Ela foi indicada para o cargo pelo senador Eduardo Braga, que faz parte da ala fugidia do PMDB.

________

O deputado Jovair Arantes, um dos líderes da bancarada ruralista, briga para manter Francisco Bezerra na presidência da Conab. O ministro Blairo Maggi quer arrastar o cargo para a sua cota.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.08.16
ED. 5427

Portas abertas

 PDT e PRB já abriram as portas ao senador Romário. A permanência do ex-jogador no PSB tornou-se uma incógnita após a sua mal contada desistência de concorrer à Prefeitura do Rio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.04.16
ED. 5356

Temer corre para apagar o nome de Caiado

 A possível indicação de Marcos Pereira, presidente do PRB, para o Ministério da Agricultura de Michel Temer atende a dois propósitos: quitar o apoio do partido ao impeachment de Dilma Rousseff e debelar um princípio de incêndio junto ao agronegócio, importante aliado da “candidatura Temer”. O incêndio em questão tem nome e sobrenome: Ronaldo Caiado. Segundo o RR apurou, em 14 de abril, dois dias antes da votação do impeachment na Câmara, Temer convidou Caiado para ocupar um super Ministério da Agricultura, unificado à Pasta do Desenvolvimento Agrário. A escolha provocou uma forte reação no setor, que se uniu contra o nome de Caiado e, tudo indica, alcançou seu intento, obrigando Temer a mudar de direção.  De acordo com uma fonte ligada à Confederação Nacional da Agricultura (CNA), o presidente em exercício da entidade, João Martins, teria conversado com Temer na última quarta-feira para manifestar o descontentamento do setor com a então iminente indicação de Caiado. Fundamental na votação do impeachment de Dilma Rousseff, a bancada ruralista também já atirou suas lanças contra a ida do senador para o Ministério da Agricultura. Neste caso, a insatisfação teria chegado ao pé do ouvido de Temer na voz dos deputados do PP gaúcho Luiz Carlos Heinze e Jerônimo Goergen.  Ronaldo Caiado é dose até mesmo para os grandes proprietários rurais. Há um consenso de que sua eventual indicação para o Ministério, caso Temer volte uma casa e insista no seu nome, poderá se voltar contra o próprio setor, dada a forte resistência que o senador encontra junto à mídia e mesmo a pequenos e médios agricultores. Estes últimos sempre acusaram a UDR, a casa de Caiado, de defender os interesses do andar de cima do campo. Além disso, o senador carrega a pecha de explorador de mão de obra rural. Ressalte-se, que, em 2013, quando era deputado federal, votou contra a chamada PEC do Trabalho Escravo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.11.15
ED. 5253

Nostalgia olímpica

 Aproveitando-se do estremecimento nas relações do Planalto com o PRB e o ministro dos Esportes, George Hilton, o PC do B se articula para retomar a Pasta. Seu nome para o cargo é o deputado Orlando Silva. Seria um déjá vu olímpico: Silva era ministro dos Esportes quando o Rio foi escolhido para sediar os Jogos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.