Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
19.09.18
ED. 5956

Você esfola daí que eu fuzilo daqui

Jair Bolsonaro vai gravar um vídeo agradecendo pela manifestação de apoio do jogador Felipe Mello, do Palmeiras. A julgar pelo trackrecords da dupla, será algo na linha “Você esfola daí que eu fuzilo daqui”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.18
ED. 5807

Palmeiras e WTorre só jogam de canela

A relação entre o Palmeiras e a WTorre, responsável pela gestão do Allianz Parque, vai de mal a pior. Como se não bastassem as draconianas regras impostas pela construtora, que dispõe do estádio em mais de 300 dias do ano, o novo ponto de atrito é o uso indiscriminado da arena e a dificuldade do clube em controlar o fluxo financeiro do negócio. Além de shows e eventos, WTorre está locando o Allianz Parque para “peladeiros” mais abastados. A empresa nega qualquer divergência com o Palmeiras. Confirma, no entanto, o lançamento do produto “Dia de Craque”. O torcedor pagará R$ 1.850 para bater uma bolinha no estádio – a primeira edição está prevista para 11 de março. O projeto irritou ainda mais a diretoria do Palmeiras, uma vez que esse faturamento picadinho dificulta o controle sobre as receitas geradas pela WTorre – o clube tem direito a 5% de toda a arrecadação da arena. Isso para não falar dos estragos no gramado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.04.17
ED. 5594

O “dono” do Palestra

Carlos Lamacchia, dono da Faculdades da América e da Crefisa, quer não só comprar o Allianz Parque da WTorre como topa até assumir sozinho a gestão do estádio do Palmeiras, sem parceiros. Coisas de Lamacchia, híbrido de torcedor, patrocinador e “dono” do clube paulista.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

31.01.17
ED. 5550

O “dono” do Palmeiras

O empresário José Roberto Lamacchia – dono da Crefisa e da Faculdade das Américas, ambas patrocinadoras do Palmeiras – já revelou a pessoas próximas a disposição de também assumir a gestão da Allianz Arena. É praticamente um projeto de “take over” do clube paulista, que passa pelo caixa e pelo poder político. Além do patrocínio, de R$ 78 milhões/ano, a esposa de Lamacchia, Leila Pereira, já anunciou publicamente que vai se candidatar à presidência do Palmeiras em 2019. Em tempo: hoje a gestão da Allianz Arena está nas mãos do empresário Walter Torre, citado na Lava Jato. Lamacchia tem, digamos assim, um currículo mais modesto: é acusado de ter fraudado uma assembleia de acionistas para assumir o controle da Faculdade das Américas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.11.16
ED. 5506

Marca do pênalti

Eleito no último sábado, o novo presidente do Palmeiras, Mauricio Galliote, já teria um grupo de investidores para financiar a compra da Allianz Arena, tirando da jogada a WTorre. Recentemente, aliás, o clube ganhou um processo de arbitragem contra a construtora, que alegava ter prioridade na venda dos 44 mil lugares do estádio. Teve de se contentar com dez mil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.