fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos

O Palácio do Planalto trabalha nos bastidores para minar a possível aliança entre o senador Luiz Carlos Heinze, candidato ao governo do Rio Grande do Sul, e o general Hamilton Mourão, que vai disputar uma vaga no Senado. Não se sabe se é mais para ajudar Onyx Lorenzoni, que também concorre ao governo gaúcho, ou para atrapalhar o general Mourão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.04.22

Grudado no presidente

Onyx Lorenzoni deixou o Ministério do Trabalho, mas manteve raízes fincadas junto ao presidente Jair Bolsonaro. Mesmo em campanha no Rio Grande do Sul, vai participar da elaboração do novo programa de governo de Bolsonaro. Amanhã, por exemplo, deverá se reunir com o presidente e assessores mais próximos para tratar do assunto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

31.03.22

O último ato de Onyx Lorenzoni?

Prestes a deixar o Ministério do Trabalho e da Previdência, Onyx Lorenzoni ainda tenta uma última cartada junto à equipe econômica com o objetivo de obter uma verba adicional para o INSS. O pleito gira em torno de R$ 200 milhões. O orçamento do Instituto para este ano é aproximadamente R$ 1 bilhão inferior ao de 2021. Uma das áreas mais afetadas pelo corte foi o Conselho de Recursos da Previdência Social. Além do salário fixo, boa parte dos analistas recebe uma gratificação proporcional ao número de processos averiguados e de pareceres emitidos. Com a restrição orçamentária, o INSS tem sido obrigado a reduzir o volume de recursos analisados por não ter como arcar com a remuneração extra.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.03.22

Candidata itinerante

Agora é Ônyx Lorenzoni que quer que Damares Alves dispute uma vaga na Câmara pelo Rio Grande do Sul. O ioiô Damares já cogitou disputar as eleições por São Paulo e pelo Amapá.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.03.22

“Advogado Geral do Bolsonaro”

O presidente Jair Bolsonaro cogita entregar um ministério ao Advogado-Geral da União, Bruno Bianco. Seria um reconhecimento à lealdade e sintonia de Bianco com Bolsonaro. Uma das hipóteses aventadas é a Pasta do Trabalho e da Previdência, no lugar de Onyx Lorenzoni, que sairá do cargo para concorrer ao governo do Rio Grande do Sul. Ressalte-se que o próprio Lorenzoni teria outro nome preferido para sucedê-lo, o do atual presidente do INSS, José Carlos Oliveira. E daí?

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.03.22

O “dono” da ideia

O ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni, tratou de capitalizar politicamente a decisão do governo de antecipar o 13º dos aposentados – informação divulgada com exclusividade pelo RR em 17 de fevereiro. Antes do anúncio, levou a boa nova aos presidentes da Câmara, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.03.22

“Parabéns para mim”

Onyx Lorenzoni sonha com a ideia de anunciar oficialmente sua candidatura ao governo gaúcho em um evento com a presença de Jair Bolsonaro, no dia 21 de março. É exatamente a data de aniversário do presidente.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

07.02.22

INSS vira uma ameaça eleitoral

O RR apurou que o ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni, tem feito articulações junto ao presidente Jair Bolsonaro para recuperar parte do Orçamento ceifado do INSS, da ordem de R$ 1 bilhão. De acordo com a mesma fonte, Lorenzoni trabalha também pela realização de concurso público para o Instituto. Ressalte-se que, na PLOA (Proposta de Lei Orçamentária Anual) para 2022 estão previstos gastos referentes à realização de concursos para a abertura de até 73 mil vagas no funcionalismo federal. Quantos serão efetivamente contratados e quantos irão para os quadros do INSS é outra história.

Nas conversas com Bolsonaro, o ministro tem alertado para o risco eleitoral embutido na crise orçamentária da Previdência. Mantido o ritmo atual, o número de pedidos de aposentadoria represados no INSS deve bater, em breve, nos dois milhões – hoje a fila de espera soma aproximadamente 1,8 milhão de solicitações. A tendência é que o descaso com os “velhinhos” vire munição contra Bolsonaro na campanha eleitoral. O objetivo de Lorenzoni seria contratar ao menos dois mil novos servidores para o INSS.

O déficit de mão de obra no Instituto é tratado como razão direta para a morosidade na concessão dos benefícios. Estima-se que a lacuna seja da ordem de 20 mil servidores. Só nos últimos cinco anos, mais de 10 mil funcionários lotados na Previdência Social se aposentaram. O INSS tem se escorado em soluções-tampão. No ano passado, requisitou cerca de mil servidores da Infraero. Recebeu pouco mais de 250.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

O senador Marcos Rogério (União Brasil-RO), um dos parlamentares mais fiéis a Jair Bolsonaro, desponta como candidato a assumir o Ministério do Trabalho em abril, quando Onyx Lorenzoni deve deixar a Pasta para concorrer ao governo do Rio Grande do Sul.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.01.22

Furando a fila

Onyx Lorenzoni, pré-candidato ao governo gaúcho, confidenciou a um senador, fonte do RR, que pretende deixar o Ministério do Trabalho em meados de março, duas semanas antes do prazo limite para a desincompatibilização (5 de abril). A saída coincidiria com a troca do União Brasil/DEM pelo PL, que deve ser formalizada no dia 22 de março. O motivo? 22 é o número do partido.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.