Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
08.07.19
ED. 6151

Custo OEA

Diante do racha dos países americanos em relação à crise na Venezuela, um dos raros consensos da recém-encerrada 49ª Assembleia Geral da OEA foi a definição do orçamento da entidade para 2020: US$ 80 milhões. O Brasil será responsável pela segunda maior contribuição – US$ 10 milhões –, atrás apenas dos Estados Unidos (US$ 30 milhões). Foi a primeira revisão dos valores em cinco anos. A cota de cada país é definida com base em critérios como PIB e tamanho da população.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.07.19
ED. 6146

OEA deixa Lula pelo caminho

Além do duplo revés no STF, Lula sofreu outra derrota, dessa vez na OEA. Segundo alta fonte do Itamaraty, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da entidade arquivou o pedido dos advogados do ex-presidente para que o governo brasileiro fosse considerado responsável pela prisão “arbitrária” do petista. De acordo com a fonte do RR, o colegiado tomou a decisão depois que os advogados de Lula entraram com pedido similar na Comissão de Direitos Humanos da ONU, sem aguardar pelo julgamento da OEA. Ainda que sem efeito prático sobre a Justiça brasileira, a decisão da OEA tem um impacto simbólico razoável, pois enfraquece a estratégia do PT de caracterizar Lula como preso político e de mobilizar a comunidade internacional.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.06.19
ED. 6143

Diplomacia do rancor?

O chanceler Ernesto Araújo não deverá participar da 49ª Assembleia Geral da OEA, que vai de hoje à sexta-feira, em Medellin. Segundo uma fonte do Itamaraty, o Brasil será representado durante os três dias apenas pelo embaixador na entidade, Fernando Simas. Não será por falta de importância do evento. A Assembleia da OEA discutirá um tema de interesse direto do Brasil: a crise na Venezuela e seu impacto migratório sobre os países vizinhos. Pode ser só uma coincidência, mas, na semana passada, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA (CIDH) criticou duramente o governo Bolsonaro pela exoneração dos 11 peritos do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.