fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
15.02.22

O bombeiro de Bolsonaro

Ciro Nogueira foi escalado pelo presidente Jair Bolsonaro para tentar amansar o funcionalismo público e administrar a pressão por reajuste de salários. Nos próximos dias, deverá se encontrar com representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário e do Ministério Público da União (Fenajufe). Ainda mais tensa promete ser a conversa com a Anfip (Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita). Bem, poderia ser pior se o encarregado da missão fosse Paulo Guedes, com seu notório pavio curto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

31.01.22

Um furo a mais no caixa da OAB?

A Associação Nacional dos Analistas, Técnicos e Auxiliares do Poder Judiciário e do Ministério Público da União estuda entrar com uma ação no STF para livrar as respectivas categorias do pagamento obrigatório de anuidade à OAB. Seria uma perda a mais na arrecadação da Ordem. Os defensores públicos já conseguiram na Justiça isenção do pagamento à OAB.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.01.22

Capital e trabalho voltam ao ringue

Segundo o RR apurou, a Fenajufe (Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário e do Ministério Público da União) estuda entrar no STF para exigir o reajuste salarial da categoria caso as tratativas com o governo não avancem. Do lado do MP, o PGR Augusto Aras já foi convocado para buscar um diálogo com os procuradores. Missão árdua. A insatisfação entre os servidores do órgão é grande. Estudos da Fenajufe mostram que a defasagem salarial da categoria desde 2019 já ultrapassa os 15% em relação à inflação do período.

A Ford vai ser alvo de uma enxurrada de ações trabalhistas. Segundo uma fonte do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari, ex-funcionários de empresas terceirizadas estão se mobilizando para entrar na Justiça contra a montadora. O entendimento do sindicato é que eles têm direito a indenização por quebra de contrato, assim como os empregados da antiga fábrica de Camaçari. Ao todo, são 1,5 mil trabalhadores terceirizados.

Os dirigentes da Força Sindical e da CUT articulam uma audiência com Josué Gomes da Silva. Uma vez confirmado, será o primeiro encontro de Josué com representantes dos trabalhadores como novo presidente da Fiesp. Ressalte-se que o relacionamento entre
as centrais e seu antecessor, Paulo Skaf, se deteriorou depois que o então no1 da Fiesp apoiou a reforma trabalhista e, sobretudo, o fim do imposto sindical. E foi de vez para o vinagre com a proximidade política entre Skaf e o presidente Jair Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

08.12.21

“Exílio” forçado no Ministério Público

O procurador da República Guilherme Schelb, que já foi um dos nomes mais badalados do MPF e chegou a ser cotado para ministro da Educação no início do governo Bolsonaro, vive seu ostracismo na gestão de Augusto Aras. Schelb cumpre seu “exílio” como membro da Escola Superior do Ministério Público da União. No colegiado, participa de decisões mais prosaicas, como a inclusão de cursos na grade da instituição. De trajetória conturbada no MPF, o procurador chegou a ser suspenso pelo Conselho Nacional do Ministério Público após abrir uma empresa e pedir patrocínios a companhias privadas, como Souza Cruz e Coca-Cola.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.