fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos

O núcleo duro político em torno de Jair Bolsonaro já cogita deslocar a candidatura de Damares Alves ao Senado do Amapá para São Paulo. Nesse caso faria dobradinha com Tarcísio Freitas, candidato ao governo.

Por falar em Damares: bolsonarista de carteirinha, o senador Jorginho Mello (PL-SC) está cotado para assumir a Pasta da Família na reforma ministerial de abril. Em julho do ano passado, o parlamentar quase desembarcou no Ministério do Turismo. Na hora H, no entanto, foi preterido por Gilson Machado. Talvez agora Bolsonaro pague a “dívida”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.01.22

Visto negado

A equipe econômica já trabalha para derrubar a proposta do ministro do Turismo, Gilson Machado, de reduzir a alíquota de Imposto de Renda sobre os pagamentos de agências turísticas no exterior. O lobby do setor é para cortar o gravame de 25% para 6%.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.01.22

Sucessão “caseira”

O presidente da Embratur, Carlos Brito, está cotado para assumir o Ministério do Turismo em abril, quando Gilson Machado deverá  deixar o cargo para disputar uma vaga na Câmara.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.01.22

Prêmio de consolação

O nome do senador Marcos Rogério está cotado no Palácio do Planalto para assumir o Ministério do Turismo. Seria um prêmio acridoce para o aliado: o parlamentar bem que tentou, mas não conseguiu apoio de Jair Bolsonaro para sair candidato ao governo de Rondônia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

03.09.21

Pacote de viagens

Não deixa de ser um alento: o Ministério do Turismo contabiliza cerca de 60 projetos de médio e grande porte país relacionados ao setor, com investimentos na casa dos R$ 20 bilhões. Entram nesse cesto principalmente empreendimentos no setor hoteleiro e aportes em infraestrutura aeroportuária.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.01.21

Um ministro apenas a passeio

Jair Bolsonaro já fala em despejar do cargo o ministro do Turismo, Gilson Machado, que assumiu há menos de um mês. A troca relâmpago abriria espaço para uma indicação do Centrão. Restaria a Machado a honra de seguir participando das lives do presidente Bolsonaro, com sua inseparável sanfona.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.03.20

Classificados

O Ministério do Turismo já consultou a AGU sobre a viabilidade legal do projeto de transformar edifícios de interesse patrimonial e histórico em hotéis. A concessão sobre o patrimônio da União seria transferida à iniciativa privada, por um tempo determinado. Uma das obrigatoriedades seria a manutenção de fachadas e outros legados arquitetônicos. Antes, o Ministério vai trabalhar na recuperação desses imóveis, em parceria com o governo de Portugal, como confirmado ao RR pela Pasta do Turismo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.20

Agente laranja

O ministro do Turismo, Marcelo Alvaro Antonio, fez de tudo para dinamitar a nomeação do arquiteto alagoano Flavio Moura como presidente do Iphan. A indicação partiu de seu desafeto Roberto Alvim, secretário especial de Cultura. Em tese – e apenas em tese –, Antonio é o superior hierárquico. Mas foi aconselhado por emissários do Palácio do Planalto a desistir da briga. Para o seu próprio bem.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.12.19

Trégua de araque

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, selou um armistício de fachada com o secretário especial de Cultura, Ricardo Alvim – em tese, seu subordinado. Em público, ambos passaram a defender a integração das duas áreas; internamente, cada um cuida da sua “Pasta” e sequer dirige a palavra ao outro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.19

Ministério marcado para morrer

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, já sente um forte cheiro de enxofre no seu gabinete. A transferência, de uma só vez, de sete autarquias e fundações que estavam sob seu guarda-chuva para o Ministério do Turismo é vista dentro da própria Pasta como o início do fim.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.