fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
10.01.22

Mapa da vacina

O Ministério da Saúde concluiu na última semana um levantamento sobre os estoques de vacinas contra as gripes H1N1 e H3N2 nos estados e municípios. O mapeamento servirá como base para a distribuição de uma nova leva de imunizantes nos próximos dias. Antes tarde do que nunca: faltam vacinas contra a influenza em várias capitais, entre as quais o Rio de Janeiro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

O deputado Jonathan de Jesus (Republicanos-RR) desponta como o favorito do Palácio do Planalto para o posto de ministro do TCU por indicação da Câmara. Em tempo: se Jesus for erigido ao Tribunal, abrirá vaga no Congresso para seu suplente, o notório Airton Soligo, vulgo “Cascavel”. Assessor direto do general Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde, Soligo foi investigado pela CPI da Covid e ainda é réu por suspeita de estupro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.12.21

Estava escrito nas estrelas e no RR

Não é de hoje que o TCU vem alertando sobre a fragilidade da plataforma Conecta SUS, do Ministério da Saúde, alvo de um ataque hacker na última sexta-feira. O assinante do RR sabe bem da gravidade do assunto: na edição de 8 de outubro, a newsletter informou sobre a realização de uma nova auditoria nos sistemas da Pasta pelo Tribunal de Contas. Em uma averiguação anterior, a Corte identificou 24 “riscos significativos” na proteção de dados do SUS. Ou seja: a invasão de sexta-feira era pedra mais do que cantada.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.21

Perigo na fronteira

O Ministério da Saúde recebeu um preocupante informe do governo da Bolívia sobre a iminência de uma nova onda de Covid-19 naquele país. O comunicado acendeu um sinal de alerta na Pasta: não por coincidência, nos últimos dias, houve um aumento do número de casos da doença em cidades fronteiriças à Bolívia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.11.21

Onde está a reciprocidade?

O embaixador da Argentina em Brasília, Daniel Scioli, tem feito gestões junto ao Itamaraty para que o governo brasileiro permita a entrada de argentinos no país por terra. Por ora, apenas o ingresso por avião está autorizado. Uma portaria publicada no início do mês passado pelos ministérios da Saúde, Casa Civil e Justiça determinou a continuidade do bloqueio da fronteira terrestre por conta da pandemia. Os argentinos cobram direito à reciprocidade, uma vez que, desde outubro, a entrada de brasileiros por essa via está liberada. Alegam ainda que os dois países estão no mesmo patamar em suas campanhas de vacinação, com algo em torno de 61% da população completamente imunizados.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.11.21

Mais Tarcísio do que Queiroga

O atual secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, que foi indicado para o cargo por Tarcísio Freitas, está cotado para voltar à Pasta de Infraestrutura. Homem de confiança de Freitas, ele atuaria à frente do programa de concessões programado para o ano que vem. Em tempo: sua transferência seria uma solução sob medida também para o ministro Marcelo Queiroga, que, segundo a rádio-corredor da Saúde, não morre de amores pelo no 2 da Pasta.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.10.21

Uma relação cheia de comorbidades na Pasta da Saúde

As relações entre a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra Pinheiro, mais conhecida como “Capitã Cloroquina”, e o corpo Técnico do Ministério da Saúde estão em ponto de ebulição. A divergência mais recente se deu por conta da defesa do “kit covid” no âmbito da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec). A Secretaria comandada por Mayra votou a favor do tratamento preventivo, com aval do ministro Marcelo Queiroga, a quem a “capitã cloroquina” é alinhadíssima.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Segundo fonte do Itamaraty, os governos da Argentina e do Uruguai estão reivindicando ao Brasil que libere a circulação de cruzeiros marítimos internacionais. Por conta da pandemia, a travessia de navios de passageiros está restrita a águas territoriais brasileiras, notadamente em cidades do Sudeste e do Nordeste. Por tabela, a medida tem atingido duramente o setor turístico na Argentina e no Uruguai: historicamente, os dois países recebem muitos cruzeiros internacionais que partem ou passam pelo Brasil. Procurado, o Itamaraty não se pronunciou. Já a Pasta do Turismo informou que “os Ministérios da Saúde, Infraestrutura e Justiça, juntamente com a Anvisa, seguem definindo os critérios técnicos e protocolos, de modo a possibilitar uma retomada gradual e segura (dos cruzeiros) para todos.”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

08.10.21

Ministério da Saúde precisa de uma imunização cibernética

Segundo uma fonte do Tribunal de Contas da União, a Corte deverá realizar uma ampla auditoria em toda a estrutura de TI do Ministério da Saúde. Há indícios de falhas graves na plataforma da Pasta. O sinal de alerta veio da inspeção realizada recentemente pelo próprio TCU no Conecta SUS, que interliga o Sistema Único de Saúde.

A averiguação escancarou uma série de fragilidades (24 riscos significativos) na proteção dos dados do SUS, que lançam dúvidas sobre a segurança dos sistemas da própria Pasta. Procurado pelo RR, o Tribunal de Contas limitou-se a informar que a inspeção do Conecta SUS é “objeto do processo TC 017.774/2020-9”. Perguntado especificamente sobre uma nova auditoria em todo o sistema do Ministério, o TCU não se manifestou.

Também consultada, a Pasta da Saúde não se pronunciou. Como se não bastasse a auditoria no Conecta SUS, o histórico recente coloca o Ministério da Saúde como um dos principais focos de vulnerabilidade na segurança cibernética do Estado brasileiro. Em novembro do ano passado, senhas que davam acesso aos dados de 16 milhões pacientes de Covid-19 vazaram na internet. Poucas semanas depois, uma nova falha expôs informações pessoais de 243 milhões de brasileiros cadastrados no SUS.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.21

Governo Bolsonaro lança o “Menos Médicos”

Em plena pandemia, o Médicos pelo Brasil, sucessor do programa Mais Médicos, só encolhe. O Ministério da Saúde não está repondo os profissionais dispensados ao fim do contrato. De acordo com a mesma fonte, só no último mês mais de 200 médicos teriam deixado o programa. Procurado, o Ministério confirmou que os médicos são “automaticamente desligados” quando “o tempo de adesão dos profissionais se encerra”. Perguntado sobre o número de profissionais dispensados, a Pasta não se pronunciou.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.