fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos

Ciro Nogueira trabalha para emplacar a deputada Celina Leão (PP-DF) no Ministério da Cidadania. Celina já esteve cotada para o lugar de Flavia Arruda na Secretaria de Governo e até para um renascido Ministério dos Esportes.

Por falar em Ciro Nogueira, o ministro da Casa Civil tem trabalhado a quatro mãos com Onyx Lorenzoni para preencher as 27 superintendências regionais do novo Ministério do Trabalho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.06.21

Flavio Bolsonaro está a dois passos do Palácio do Planalto

Você topa assumir?
– Quando o senhor quiser.

A existência do diálogo curto entre Jair Bolsonaro e Flavio Bolsonaro foi garantida ao RR. A conversa teria ocorrido no Palácio do Planalto, na semana passada. Flavio (Patriota-RJ) substituiria a deputada Flávia Arruda (PL-DF) na Secretaria de Governo. Com a medida, Bolsonaro faria um movimento inicial para a formalização da função dos filhos no seu governo. A ideia não é nova.

A presença dos rebentos em cargos na gestão Bolsonaro já foi aventada em outras ocasiões, a mais notória delas com a quase nomeação de Eduardo Bolsonaro como embaixador do Brasil em Washington. Por sua vez, Carlos Bolsonaro, o “Carluxo”, como se sabe, já tem um cargo no Palácio do Planalto, ainda que não oficialmente: “comandante-em-chefe do gabinete do ódio”. Na equação formulada por Jair Bolsonaro, os prós da presença de Flavio Bolsonaro no Palácio do Planalto são superiores aos contras da sua ausência no Senado, como defensor do governo.

Flavio é reconhecido pelos próprios ministros e assessores palacianos como aquele que tem mais condições de ocupar a Secretaria de Governo em um ano eleitoral. O senador carrega um handicap que nenhum outro candidato ao cargo – como a deputada Celina Leão (PP-DF) – tem: falar com Flavio é a certeza de estar se falando diretamente com o presidente da República. O “01” não seria nomeado pela cota do Patriota e muito menos do Centrão, mas, sim, pela cota pessoal – e consanguínea – de Bolsonaro.

A ideia de Jair Bolsonaro não é rifar Flavia Arruda do governo. Até porque é preciso satisfazer Artur Lira e Valdemar da Costa Neto. O Palácio do Planalto estuda abrigá-la em outra Pasta. Entre as hipóteses aventadas estão os Ministérios do Turismo e até a recriação da Pasta do Esporte. Mas o destino mais provável da deputada é o Ministério da Cidadania. Consultado sobre a possível substituição de João Roma por Flavia Arruda, o Ministério da Cidadania disse que a resposta deveria ser dada pela Presidência da República. No entanto, até o fechamento desta edição, o Palácio do Planalto não se pronunciou sobre as mudanças e tampouco sobre a possível nomeação de Flavio Bolsonaro para a Secretaria de Governo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.02.21

Efeito colateral

A nomeação de João Roma para o Ministério da Cidadania vai trazer de volta ao cenário político a figura de Tia Eron. Suplente do parlamentar, ela teve passagem polêmica pelo governo Bolsonaro. Em maio de 2019, foi demitida da Secretaria de Política para Mulheres do Ministério da Família. O que se diz na Pasta é que não fez nada em cinco meses no cargo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.02.21

Prêmio ou castigo? Lorenzoni tem a resposta

Um interlocutor privilegiado de Onyx Lorenzoni revelou ao RR que ele encarou a mudança do Ministério da Cidadania para a Secretária-Geral da Presidência como um castigo. Lorenzoni considera o cargo burocrático e de baixa visibilidade. No quesito orçamento, então, é covardia: na Cidadania, ele tinha sob si os R$ 35 bilhões do Bolsa Família. E ainda tem a proximidade com Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto, que pode ser um prêmio ou uma punição.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.01.21

Programa eleitoral

O Ministério da Cidadania planeja lançar um programa nas redes sociais. Convidados escolhidos a dedo vão debater projetos e entrevistar membros da Pasta, a começar pelo próprio Onyx Lorenzoni. Nos corredores do Ministério, o programa já é ironicamente chamado de “horário eleitoral”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.20

DEM que não tem I

Surpreende que o Programa de Aquisição de Alimentos do Ministério da Cidadania até hoje não tenha sido lançado no Amapá, um dos estados com mais baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do Brasil. Lá o governador é Waldez Góes (PDT), mas também é a terra do todo-poderoso Davi Alcolumbre, presidente do Senado. Ele e o ministro Onyx Lorenzoni são filiados ao DEM.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Onyx Lorezoni tem propalado aos quatro cantos de Brasília que, se deixar o Ministério da Cidadania, no dia seguinte assume uma Secretaria no governo de Eduardo Leite, no Rio Grande do Sul. Ninguém que ouve a história leva muita fé.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.11.20

Chave do cofre

Uma raposa política de Brasília espalhava ontem que Jair Bolsonaro cogita transferir a gestão do Bolsa Família do Ministério da Cidadania para a Pasta da Família. Seria uma forma humilhante de demitir Onyx Lorenzoni com ele ainda no cargo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

O deputado Arthur Lira, unha e carne de Jair Bolsonaro, é forte candidato a assumir o Ministério da Cidadania caso o presidente decida detonar Onyx Lorenzoni, como se diz em Brasília. Lorenzoni já sabe e está se mexendo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.08.20

O pastor de Damares

O raio de influência do procurador da Fazenda e pastor evangélico Sergio Queiroz vai além do Ministério da Cidadania, onde ele ocupa a Secretaria Especial de Desenvolvimento Social. Ele foi o responsável pela recente indicação da advogada Emilly Coelho para o comando da Secretaria Nacional da Juventude, vinculada ao Ministério da Família. Está tudo em casa: durante sua formação religiosa, Queiroz foi discípulo da ministra Damares Alves.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.