fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
assuntos

Justiça Militar

Relacionados

16.10.20

Voo final

Um caso que se arrasta na Justiça Militar desde o primeiro mandato de Lula está perto do seu epílogo. Quatro controladores de voo envolvidos numa paralisação ocorrida em 2006 serão julgados pelo Supremo Tribunal Militar na próxima segunda-feira. O RR conversou com um dos procuradores que trabalham no caso. As chances de condenação do quarteto por motim e risco à navegação aérea são considerada altas. O caso teve muita repercussão à época. O presidente Lula desautorizou a ordem de ordem de prisão dos grevistas, dada pelo então comandante da Força Aérea, Juiniti Saito.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.03.19

Uma avis rara no banco dos réus

O RR apurou que o Superior Tribunal Militar vai retomar no dia 9 de abril o julgamento do ex-diretor de Engenharia da Aeronáutica, major-brigadeiro Herman Rubens Walenkamp. Trata-se de um caso delicado, um raro flagrante de porosidade na conduta de um oficial das Forças Armadas. Walenkamp foi denunciado pela Procuradoria- Geral da Justiça Militar por supostamente ter ordenado pagamentos irregulares à construtora Prescon, referentes a serviços que não foram efetivamente feitos pela empresa. O Julgamento na Corte Militar foi interrompido pelo pedido de vistas do ministro Artur Vidigal de Oliveira. Dois executivos da construtora Prescon e o ex-presidente da Comissão de Fiscalização da Diretoria de Engenharia da Aeronáutica, major Amilton de Albuquerque Santos, também foram arrolados no processo. No entanto, nos três casos, as ações penais foram encaminhadas para a primeira instância. Os dirigentes da Prescon teriam repassado cerca de R$ 100 mil a Santos. À época, a construtora tinha 16 contratos de prestação de serviço com a Força Aérea. Procurado, o Superior Tribunal Militar informou que não comenta ações ainda pendentes de julgamento. A Aeronáutica também declarou que não se pronuncia sobre processos em andamento.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.