fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
29.04.22

José Dirceu propõe a Lula uma marcha da pacificação

Se existe alguém no PT extremamente preocupado com as tensões existentes nas Forças Armadas é José Dirceu. O ex-ministro manteve pelo menos duas conversas sigilosas com Lula sobre o assunto. Dirceu considera que os militares pros-seguirão em sua escalada belicosa contra o STF, em sintonia com o presidente Jair Bolsonaro. O ex- guerrilheiro acha que a hora é de dialogar, dialogar e dialogar.

Dirceu teria recomendado ao ex-presidente a criação de uma espécie de força- tarefa para conduzir um trabalho de diplomacia junto aos militares. Alguns nomes óbvios foram sugeridos para a missão, a exemplo dos ex-ministros da Defesa Nelson Jobim, Jaques Wagner e Celso Amorim. Outro citado seria o deputado federal Carlos Zarattini, de São Paulo. Ainda que sem o status de carregar a patente de ex-ministro de Estado, Zarattini tem bom trânsito junto aos círculos castrenses, especialmente entre assessores das Forças Armadas dentro do Congresso.

O fato é que Dirceu e Lula tratam como prioridade um esforço de aproximação com o estamento militar, na tentativa de amainar as notórias animosidades do oficialato em relação ao PT. As circunstâncias não dão margem para erro. Ambos entendem que esse movimento deve ser feito de forma extremamente cirúrgica, com o máximo de discrição possível. A questão é como conduzir essa manobra sem que ela seja vazada junto ao Palácio do Planalto pelos generais mais próximos ao presidente Bolsonaro. É praticamente impossível.

Para José Dirceu, essa é uma questão que deve ser trabalhada entre brumas, quase aos sussurros. Em conversas reservadas, o ex-ministro criticou, por exemplo, a recente declaração de Lula, dizendo que, uma vez eleito, vai tirar oito mil militares de cargos comissionados no Executivo Federal. No que depender de Dirceu, o ex-presidente não deve mais fazer qualquer manifestação pública sobre as Forças Armadas. A seu juízo, falas como essa só alimentam fantasias dos militares sobre a volta do comunismo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

03.02.22

Discrição

Ao que parece, José Dirceu está evitando aeroportos. Mesmo em deslocamentos a outros estados, tem optado por viajar de carro, a exemplo do que fez em sua ida ao Rio, na semana passada.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.01.22

Jogo duplo

Nos últimos dias, José Dirceu tem se dedicado mais intensamente a articulações políticas para as eleições no Rio de Janeiro. Nas conversas, Dirceu deixa claro que o jogo ainda está em aberto. Ou seja, no que depender dele, o PT pode apoiar Marcelo Freixo (PSB) ou Rodrigo Neves (PDT). Quem sabe até ambos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.01.22

PT dá uma guinada em direção ao “trumpismo de esquerda”

O cavalo de pau do PT, radicalizando o discurso na direção de um “trumpismo de esquerda”, tem um artífice. O dono da bola se chama José Dirceu, que permanece mandando e desmandando no partido. A estratégia é insuflar a base agora, inclusive para não perder o apoio dos eleitores de esquerda, para soltar aos poucos, mais à frente, na medida em que as pesquisas forem se tornando praticamente definitivas. A manobra também empurraria Jair Bolsonaro para a radicalização, aumentando a polarização. Essa é o movimento de campanha que interessa a Lula. É o clássico “morde e assopra”. Quem se lembra das eleições de 2002 sabe o que o “comandante” Dirceu está pensando.

As hostes do partido avançarão com o recado de que o governo Lula será francamente de esquerda. O ex-presidente desmentirá aqui e amenizará acolá. Como se o PT e ele fossem, em diversos momentos, duas coisas diferentes. Quem viu a troca de chumbo do artigo de Guido Mantega, resgatando a política econômica do governo Dilma, e a imediata desautorização da assessoria de Lula tem um exemplo nítido de como o jogo será jogado. A provável reação negativa do mercado está contemplada na virada petista. As medidas para segurar a volatilidade dos ativos e o transtorno nas expectativas ficariam por conta do governo Bolsonaro. Essa conjuntura dificultaria o plano do presidente em usar a caneta, ou seja, o assistencialismo, como estratagema eleitoral.

O mercado teme Lula, mas penalizaria também Bolsonaro por ignorar os fundamentos da economia e fazer uma política fiscal frouxa. Dirceu aposta na queda de braço até porque, no momento adequado, Lula surgiria com um programa ameno, parafraseando a máxima de Lampedusa: mudar pouco, não para parecer que não mudou, mas que mudou para algo parecido. O “comandante” acredita que o aggiornamento do “trumpismo à esquerda” pode render frutos mesmo na hipótese, meio que  desacreditada, da derrota de Lula. A dúvida é se levar Bolsonaro para o canto do ringue é uma boa escolha.

Polarização por polarização, o capitão tem um track records positivo. E há a questão do timing do recuo de Lula e como reagirão seus legionários ao verificar que gastaram o verbo em vão. O exemplo das eleições de 2002 é, sem dúvida, algo a ser revisitado. Mas não custa rememorar o dito da maior lideraça intelectual da esquerda em todos os tempos, um filósofo obstinado que afirmava não ter dúvida sobre o rumo da História: ela só se repete duas vezes, a primeira como tragédia e a segunda como farsa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.10.21

Efeito Lula

Em conversa com uma fonte do RR, José Dirceu cravou que o PT vai fazer mais de 70 parlamentares no ano que vem. Em 2018, a bancada eleita somou 54 deputados e quatro senadores. Dirceu não costuma errar esse tipo de previsão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.09.21

Prefácio eleitoral

José Dirceu pretende lançar em 2022 o segundo tomo de suas memórias. A obra do “Comandante”, com toda a certeza, estará alinhada com a campanha do “Lula lá”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.21

Sempre Dirceu

José Dirceu está a pleno vapor, na linha de frente das articulações das alianças estaduais do PT. Dois locais em especial têm merecido
maior atenção do ex-ministro: Ceará e Pernambuco, devido às arestas, respectivamente, com o PDT e o PSB.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.06.21

Dirceu ficha limpa?

A defesa de José Dirceu também vai entrar com um pedido para que o STF julgue a parcialidade de Sergio Moro nos processos contra o ex-ministro. Uma eventual decisão favorável abriria caminho para a anulação das condenações de Dirceu. Ou seja: Lula e o ex-ministro ficariam em condições de igualdade. Quem sabe Dirceu não volta à Casa Civil?

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.02.21

Queimou a largada

Guilherme Boulos tem um “aliado” dentro do PT. Em conversas reservadas, José Dirceu também considerou que Lula se precipitou ao anunciar a candidatura de Fernando Haddad à Presidência em 2022.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.01.21

Mojito

José Dirceu tem dito a velhos companheiros do PT que Lula está perdendo uma oportunidade de ouro de avançar sobre a jugular de
Jair Bolsonaro. Nas últimas semanas, enquanto João Doria deita e rola no episódio da vacina, o ex-presidente está em Cuba, gravando cenas para um documentário de Oliver Stone.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.