fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
11.05.21

Doria é o astro do filme “o estadista da pandemia”

O RR apurou que João Doria pretende produzir uma série documental em um plataforma de streaming sobre a guerra travada para a imunização em São Paulo. Ou seja: seguiria na esteira do sucesso “A Corrida das Vacinas”, em cartaz na Globoplay. De acordo com a mesma fonte, Doria já teria até um nome para a obra: “O estadista da pandemia”. O governador estuda ainda a edição de um livro, contando com a sua narrativa o que foi o épico da vacinação contra a Covid-19. O objetivo de Doria é marcar sua imagem como a do verdadeiro “anti-bolsonaro”. Na prática, será uma antecipação do horário eleitoral de 2022. O governador acredita que o melhor instrumento de disseminação da sua competência como gestor é o seu desempenho na administração na pandemia.

João Doria pode ter vários defeitos em função da sua trajetória de empresário controverso, à frente do Grupo Lide. É classificado por seus adversários como um político oportunista, além de ter uma personalidade afetada, que o faz ser chamado de “almofadinha”, inclusive por pessoas próximas a ele. Mas o “segundo presidente do Brasil”– São Paulo é o maior país dentro da República – tem desempenhado um papel de indiscutível relevância na pandemia. Nenhuma outra autoridade de governo teve uma performance tão dignificante quanto espetaculosa na gestão da Covid-19. Esse segundo atributo de Doria já era conhecido. O primeiro é que se constitui em uma grande novidade. Desde o início da pandemia, ele tem ido permanentemente às mídias dar explicações sobre as medidas adotadas no estado, sempre ladeado pelos integrantes do comitê de contenção do coronavírus de São Paulo. Ou seja: tudo o que Bolsonaro não fez.

Por mais “doriocêntrico” que o material venha a ser, o governador de São Paulo tem o que contar. João Doria foi, desde o início da pandemia, um dos governadores que mais defendeu de forma contundente as medidas de isolamento social e de fechamento de atividades não essenciais, com várias fases ao longo desse período – o decreto da quarentena já soma 21 renovações. Antes mesmo do primeiro caso comprovado de Covid-19 no Brasil, o governador criou um Plano de Combate ao Coronavírus, já em janeiro de 2020.
Doria intensificou as negociações com a China e fechou o primeiro contrato para a compra de 46 milhões da CoronaVac em 30 de setembro de 2020. Três dias depois, toda a documentação técnica referente à vacina já estava em poder da Anvisa, que deu o aval para o produto em janeiro de 2021. Até o momento, o Instituto Butantan já disponibilizou mais de 41,4 milhões de doses da CoronaVac para o Ministério da Saúde. Até agosto, serão 100 milhões de doses. Além disso, o Butantan já protocolou junto à Anvisa autorização para testar a primeira vacina contra a Covid-19 desenvolvida no Brasil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.04.21

Quem atira em Gabbardo acerta Doria

No Palácio Bandeirantes, há uma preocupação com a possibilidade de João Gabbardo, coordenador do centro de contingência da pandemia de São Paulo, ser convocado pela CPI da Covid. O receio é que aliados de Jair Bolsonaro explorem contradições da época em que Gabbardo ocupava a secretaria executiva do Ministério da Saúde para, mesmo que por tabela, atingir politicamente o governador João Doria. No início da pandemia, Gabbardo flertou com a ideia de isolamento vertical, defendida por Bolsonaro, e foi complacente com o uso da cloroquina.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.04.21

João Doria agradece

A CPI da Covid cogita convocar o governador João Doria. O objetivo seria confrontar o planejamento do Instituto Butantan para a produção da Coronavac à demora do governo federal em fechar a compra de vacinas no exterior. Se não for convocado, é capaz de Doria se oferecer para ir. A CPI seria um belo palanque político para atacar Jair Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.21

Doria articula coalizão para deixar CPI só no colo de Bolsonaro

João Doria está liderando uma coalizão de governadores com o objetivo de esvaziar o peso político da CPI da Pandemia sobre os estados. As unidades da federação já começaram a levantar dados detalhados sobre a utilização dos recursos repassados pela União para o combate à Covid-19, antecipando-se a eventuais solicitações por parte da Comissão Parlamentar. Doria será o responsável por centralizar essas informações. Ontem mesmo, os demais governadores começaram a receber um requerimento encaminhado pelo governo paulista para a coleta dos respectivos dados. O RR conversou com um deles e crava a informação.

João Doria e os demais governadores parecem dispostos a tomar para a si a frase dita pelo presidente Jair Bolsonaro na conversa com o senador Jorge Kajuru. A ideia é fazer do limão uma limonada e jogar todo o apelo político da CPI para cima do próprio Bolsonaro, evitando que o presidente tente empurrar o foco na direção dos entes federativos. Ressalte-se que o escopo da Comissão Parlamentar de Inquérito foi ampliado, abrindo espaço para a eventual investigação do uso das verbas transferidas pelo governo federal para os estados. O que chama a atenção é que esses dados já são regularmente atualizados pelas unidades da federação e enviados ao TCU. Ou seja: nesse ponto, a CPI vai chover no molhado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.04.21

Muy amigo

Segundo fonte próxima a João Doria, a relação entre o governador e o empresário Washington Cinel teria sofrido um abalo sísmico. O motivo seriam os seguidos movimentos de aproximação deste último com Jair Bolsonaro. Na última quarta-feira, por exemplo, Cinel foi anfitrião de um jantar de Bolsonaro com empresários. Dono da companhia de segurança Gocil, Cinel é integrante do Comitê de Gestão do Grupo Lide, criado por Doria.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.03.21

Péssimo sinal

Segundo informações filtradas do Palácio dos Bandeirantes, o governo Doria já tem estudos para a abertura de mais cinco hospitais de campanha no estado. No momento, há 12 unidades temporárias em funcionamento em São Paulo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.03.21

A velha guarda de jaleco

O governo Doria deverá convocar mais médicos e enfermeiros já aposentados para trabalhar na linha de frente contra a Covid-19. A decisão do ministro Dias Toffoli de que os ex-servidores da área de saúde não perderão o direito a aposentadoria e benefícios se voltarem à ativa serve de empurrão para a convocação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.02.21

ACM Neto, o “flex fuel”

Dentro do DEM, ACM Neto vem sendo chamado de “flex fuel”, o combustível que roda em qualquer carro. De olho em 2022, o ex prefeito de Salvador já ensaiou um enlace com Luciano Huck, flertou com João Doria e agora troca juras com Jair Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.02.21

Doria 7 x 1 Bolsonaro

O governador João Doria pretende fazer, nos próximos dias, uma videoconferência com os presidentes da Bolívia, Luiz Arce, e do Peru, e Martín Vizcarra. Os dois países sinalizaram interesse em comprar a CoronaVac produzida pelo Instituto Butantan.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.01.21

Bem na foto

João Doria pretende capitalizar a CoronaVac até a última gota. Já encarregou seus assessores de montarem uma intensa agenda de viagens por São Paulo nos próximos dias. Onde tiver uma campanha de vacinação, Doria quer estar. Vai falar mal de Bolsonaro em todas as oportunidades.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.