fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
09.09.20

Quem dá mais?

Há quem diga que o diretor geral de varejo do Itaú, Márcio Schettini, cometerá o harakiri se não for nomeado sucessor de Candido Botelho Bracher na presidência do banco. Schettini era um dos nomes mais prováveis na última rodada de mudanças. Agora é tido como certo. Pois bem, entenda-se o harakiri como a troca do Itaú por outra instituição financeira.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.08.20

Baixa caloria

Itaú e XP Gestão, sócios da IMC, não têm demonstrado apetite para acompanhar o aumento de capital da holding de restaurantes. O mais provável é a diluição de suas participações, que somam 27% da empresa. A capitalização é comandada pelo empresário Carlos Wizard, dono de 13% da IMC.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.05.20

O roto e o esfarrapado

A Rede, leia-se Itaú, estaria abastecendo o Cade com munição de sobra para incriminar o Santander e a Getnet, a empresa de maquininhas do grupo espanhol. Ambas são investigadas por práticas abusivas, entre elas venda casada de serviços. Não deixa de ser curioso: a credenciadora dos Setúbal também é alvo de processo no órgão antitruste.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

A julgar pelas ações compartilhadas no combate ao coronavírus ficou claro quem está na primeira e na segunda divisão da banca nacional. BTG e Safra sequer foram cogitados para participar das medidas conjuntas capitaneadas por Bradesco, Santander e Itaú.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.03.20

Banco de solidariedade

Os grandes bancos privados, capitaneados pelo Bradesco, assinaram uma página de humanidade em sua história. O banco da Cidade de Deus, o Itaú e o Santander vão ceder cinco milhões de testes rápidos de detecção do coronavírus, tomógrafos e respiradores. É uma iniciativa inédita que poderia se tornar frequente em um Brasil desigual, onde a miséria grassa e a saúde é uma dádiva de algumas minorias. Afinal, não dói nadinha, como está comprovando a banca. Palmas para todos eles.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.02.20

Enrosco bancário

O BTG acha que pode fazer um rolo com a XP, envolvendo o Itaú, que já tem 49,9% da corretora. O banco dos Setúbal está impedido de elevar sua participação. O BTG acredita que pode transformar a XP em um negócio muito maior. Vira daqui, entra ali, capitaliza acolá. Procurado, o BTG nega qualquer negociação. Está feito o registro. Itaú e XP não se pronunciaram.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.01.20

Candinho

O presidente do Itaú, Cândido Botelho Bracher, é uma das estrelas do depoimento que Eike Batista negocia com o MPF. Mr. Batista vai dizer que aprendeu muito com “Candinho”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.10.19

Guerra das “maquininhas”

A Rede, leia-se Itaú, vai recorrer ao Cade e à Justiça contra a GetNet, leia-se Santander. Uma fonte ligada à empresa informou ao RR que a disposição interna é partir para a guerra. A Rede acusa a GetNet de concorrência desleal por conta de um aplicativo recém lançado, que promete um arrastão sobre a clientela alheia. A tecnologia permite a portabilidade de estabelecimentos comerciais e pessoas físicas que utilizem “maquininhas” de cartão de outras operadoras. Ao anunciar a novidade, o presidente da GetNet, Pedro Coutinho, disse que queria provocar a concorrência. Já conseguiu.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.08.19

Uma união muito além das canções

Na contramão do marketing da beatitude disseminado pelo Itaú, o Bradesco buscou um tema terreno para a campanha motivacional junto aos seus funcionários. Não custa lembrar que, em maio, Candido Botelho Bracher estrelou uma peça publicitária que satanizava a concorrência e afirmava que o banco dos Setúbal tinha conexão com o céu. O Bradesco preferiu colocar os pés no chão. Usou a simplicidade como mote do filme protagonizado pelo presidente do Conselho de Administração, Luiz Carlos Trabuco, e pelo presidente do banco, Octavio de Lazari Junior. Ambos interpretam canções populares. A ideia é mostrar que as lideranças do Bradesco não diferem na essência dos seus comandados. Parafraseando Nietzsche, ficou demasiadamente humano assistir à dupla soltando a voz.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.07.19

Construção

O Kinea, braço de private equity do Itaú, concluiu a montagem de um novo fundo para investimentos em real estate. Calibre da munição: R$ 1,1 bilhão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.