fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
14.04.20

O Senado e a liderança na reação ao coronavírus

Termômetro

POLÍTICA

O Senado e a liderança na reação ao coronavírus

 

A reação do Senado a projeto de ajuda a estados apresentado hoje pelo ministério da economia pode definir a relação entre o governo e o Congresso durante a pandemia de coronavírus. O Planalto oferece R$ 77 bilhões (R$ 40 bilhões em novos recursos e e R$ 27,4 bilhões em suspensão de dívidas) como tentativa de evitar a aplicação de medida aprovada ontem pela Câmara, que tem como peça central a reposição de perdas de arrecadação com ICMS e ISS.

Estará em jogo, na verdade, a condução do programa de estímulo econômico e a liderança em articulação com os estados.

 

ECONOMIA

Varejo e indústria nos EUA e panorama global

 

Nos indicadores, destaque amanhã para números dos EUA, com a divulgação das Vendas no Varejo para março (previsão de forte queda, na casa de -8%); da Produção Industrial também para março (recuo na ordem de -4%) e do índice Empire State de Atividade Industrial de Nova Iorque (deve vir em torno de -35 pontos, após -21,50 em março). Dados negativos já são esperados, mas terão impacto no mercado, especialmente se vierem acima do previsto, como tem ocorrido repetidamente desde o início da pandemia de coronavírus.

Os números alimentarão, ainda, debate crescente nos EUA sobre definição de um cronograma para diminuição de medidas de isolamento social e reativação econômica, aventado pelo presidente Trump. A ideia causa polemica e recebe críticas de governadores, especialmente o de Nova Iorque. Na área de infectologia, comandada pelo Dr. Anthony Fauci, o diagnóstico é de que o país, tanto pela curva do vírus quanto pela incapacidade de realizar testes em massa, ainda não tem condições de amenizar medidas de controle.

Paralelamente, situação deve evoluir na Europa: apesar do recorde de mortes na França, o número de internações no país diminuiu e os números gerais tendem positivamente na Espanha e na Italia. Na China, apesar de riscos de segunda onda de contaminação, tudo indica que a economia manterá recuperação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.