fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos

A gestão de benefícios sociais continuará em pauta amanhã, com dificuldades de trabalhadores em retirarem o seguro desemprego (governo promete resolver a questão até o próximo dia 22) e dificuldades no plano para enfrentar atrasos no INSS. Especialmente diante de informação de que militares convocados para suprir falta de pessoal precisarão de 2 meses de treinamento.

Ainda que haja oscilação do noticiário e de que recesso parlamentar diminua enfrentamentos políticos, tudo indica que, na ausência de reação mais enfática do governo, com horizonte mais nítido para resolução do problema no INSS, a temática se consolidará como calcanhar de aquiles significativo junto à opinião pública.

Presidente liberal ou intervencionista?

Nova tabela com preço mínimo para o frete rodoviário (passou de 11% para 15%), que passará a vigorar na segunda-feira (mas ainda terá sua constitucionalidade julgada pelo STF), vai alimentar nova rodada de ilações sobre intervencionismo do presidente Bolsonaro, amanhã. Se somará, nesse sentido, a manifestações do presidente defendendo alteração na cobrança do ICMS e insistência do ministro de Minas e Energia em “colchão” que amenize flutuações de preços internacionais de combustíveis.

Trata-se, nesta sexta, menos de desgaste do que de recuo na imagem de que tem compromisso com a política econômica liberal. Bolsonaro havia dado passo importante nesse sentido ao negar isenção de tarifas de energia de templos religiosos.

O IBC Br dá impulso para a equipe econômica

Relatório da ONU indicando crescimento de 1,7% para o Brasil em 2020 (abaixo de estimativas do mercado), que poderia gerar desgaste, será contraposto, amanhã, por números acima do esperado no IBC Br de novembro (cresceu 0,18%).

Reforma administrativa: começa a batalha

Pode-se esperar debate e novas declarações do governo sobre reforma administrativa, amanhã, visando aplainar os ânimos para envio de projeto ao Congresso, em fevereiro. Indicação é de que o Ministério da Economia pretende começar operação de comunicação, combinando balões de ensaio com construção de narrativa similar a da Previdência, indicando privilégios de servidores frente a trabalhadores da iniciativa privada. Informação de que regras não mudarão para servidores atuais também será ponto central e imagem de ganho de eficiência e corte gastos crescerá na mídia.

Mas dificuldades no INSS levarão a um olhar mais detido para o tipo de cortes almejados e seus efeitos potenciais para os serviços públicos.

A CPMI Fake News reaparece

Após movimentações de parlamentares hoje, com revelação de que foram identificadas contas do WhatsApp responsáveis por disparos em massa nas eleições de 2018, estarão no radar amanhã novas informações da CPMI das Fake News. Expectativa é de que se voltem, prioritariamente, para a campanha do presidente Bolsonaro e o chamado “gabinete do ódio”.

O impeachment de Trump: fatos novos prejudicam o presidente

Ainda que maioria republicana no Senado quase inviabilize a retirada do presidente Trump do cargo, processo na Casa evoluirá sob ambiente muito negativo para o presidente norte-americano, amanhã. Dentre fatos novos divulgados hoje, destaque para o relatório do Escritório de Prestação de Contas do Governo, órgão fiscalizador da Câmara dos Deputados, afirmando que Trump violou a lei, por motivos políticos, ao congelar ajuda militar à Ucrânia, aprovada pelo Congresso.

O Comércio Exterior e os preços regionalizados

Saem amanhã o ICOMEX de dezembro e o IPC S Capitais de janeiro. O ICOMEX terá importância particular porque trará números finais de dezembro, mas expectativas não apontam para reversão de curva negativa de novembro, que trouxe recuo de 11,7% em exportações e de 10,9% em importações.

Já no que se refere ao IPC S Capitais, início do ano tem confirmado estimativas de desaceleração inflacionária, mas a conferir como esse processo vem evoluindo regionalmente.

A inflação na Europa e um panorama econômico dos EUA

Em relação a indicadores internacionais, interesse maior em:

1) Índice de Preços ao consumidor da Zona do Euro, que deve fechar 2019 em 1,3%;

2) Nos EUA, Produção Industrial de dezembro, para a qual se projeta recuo de 0,2%; oferta de Empregos (JOLT) em novembro e Concessão de Alvarás em  dezembro, ambos com previsão de leve diminuição, mas ainda em patamares altos; e Índice Michigan de Percepção do Consumidor, que tende a se manter na casa de 99 pontos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

O IBGE divulga amanhã os resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD Contínua. Os dados, referentes a 2018, vão confirmar um crescimento lento do emprego no período, com aumento das vagas informais concentrado no setor de Serviços.  Nesse período houve crescimento do contingente de pessoas trabalhando por conta própria, atingindo 29%.

Tudo indica que o cenário para 2019 não será muito diferente, como têm demonstrado os levantamentos trimestrais da pesquisa. Embora tenha havido um crescimento lento dos empregos formais com certa estagnação de salários, sobretudo na região Sudeste, essa alta ainda está muito aquém do período pré-crise.

A análise também mostrará que, de 2017 a 2018, a expansão observada na ocupação das mulheres foi mais intensa que a dos homens, o que contribuiu para que a diferença do percentual entre ambos os sexos atingisse o menor valor desde 2012. As mulheres correspondem a 43,7% do total do mercado de trabalho brasileiro.

Vendas de Natal

As vendas de Natal devem crescer 5,2% em 2019, segundo revisão da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgada hoje. Se confirmada a projeção, o setor vai registrar o maior avanço real das vendas natalinas desde 2012 (+5,0%), aproximando-se do nível de vendas registrado antes da recessão.

Crescimento tímido

Mesmo com a moagem de cana na safra 2019/2020 tendo aumentado em quase 17 milhões de toneladas, o Centro-Sul do Brasil deve produzir 26,7 milhões de toneladas de açúcar no período – 0,72% a mais do que o volume produzido na região na safra anterior. Como a previsão é de que a maior parte da produção será destinada  para a indústria alcooleira, analistas de mercado já preveem  uma alta nos preços do açúcar e derivados.

Recursos recuperados

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) deve tentar discutir amanhã o Projeto de Lei Complementar 164/2015, que altera a Lei de Responsabilidade Fiscal para que recursos públicos recuperados em decorrência de casos de corrupção sejam destinados à educação.

Mobilidade urbana

Desenvolvedores de aplicativos de mobilidade urbana vão acompanhar de perto as discussões da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado nesta quarta-feira. É que os senadores irão discutir o PL 4135/2019, que dispõe sobre a regulamentação dos serviços de compartilhamento de bicicletas, bicicletas elétricas e veículos de mobilidade individual autopropelidos, como os patinetes. O projeto também institui normas para circulação de bicicletas elétricas e veículos de mobilidade.

A oferta desses serviços tem crescido nas capitais brasileiras, mas o setor teme que o excesso de regulamentação inviabilize o negócio.

ICOMEX e IGP-M

O Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), da FGV, divulga amanhã o ICOMEX, indicador de desempenho do comércio exterior de dezembro de 2019, e o IGP-M segundo decênio de dezembro. Enquanto o ICOMEX deve confirmar a China como principal país de destino das exportações brasileiras, o IGP-M deve mostrar alta na inflação motivada pelo aumento de preços da carne bovina e dos produtos que compõem a cesta de Natal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.