fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
01.06.20

Voo de reconhecimento

A Ferrovial, uma das maiores operadoras de concessões públicas da Espanha, está sobrevoando o aeroporto de Viracopos. Triunfo e UTC não veem a hora de saltar do negócio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.12.19

O “regulador” da agência reguladora

O imbróglio da concessão de Viracopos aterrissou no Palácio do Planalto, levando junto sua intrincada teia de lobbies e interesses corporativos. Os acionistas da Aeroportos Brasil (ABV) – Grupo Triunfo e UTC, ambos criminalizados pela Lava Jato – pediram à Casa Civil que intervenha na contenda entre a empresa e a Anac. A companhia quer passar a concessão adiante – tem sobre uma oferta da Zurich AG – ou, no limite, devolver a licença. Mas, nos bastidores, acusa a agência reguladora de agir para prejudicar a venda, com decisões administrativas arbitrárias e cobranças indevidas. Um extenso dossiê foi deixado no Ministério, no qual os acionistas da ABV descrevem os entreveros dos sete anos em que a empresa assumiu o negócio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Ao conseguir adiar a assembleia de credores de Viracopos para outubro, a dupla UTC e Triunfo ganhou tempo não para negociar a dívida, mas, sim, para pular fora da concessão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.06.19

As turbulências de Viracopos

Os sócios da concessionária de Viracopos – Triunfo, UTC e Engis – estão tentando barrar a transferência da operação à suíça Zurich e ao fundo IG4. Têm feito gestões junto à ANAC e ao Ministério de Infraestrutura na tentativa de evitar que o governo aceite proposta apresentada pela dupla, que condiciona a negociação à redução dos pagamentos da outorga e da redução dos investimentos exigidos no edital. Os advogados do consórcio alegam que as mesmas condições teriam de ser oferecidas anteriormente à atual concessionária – a Aeroportos Brasil Viracopos (ABV). Ocorre que os sócios da ABV não parecem estar em condições de barganhar nada com o governo. Em recuperação judicial, o consórcio deve cerca de R$ 2,6 bilhões ao BNDES e R$ 400 milhões à própria ANAC.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.12.18

Rodovia à venda

Em recuperação extrajudicial, a Triunfo espalha seus anéis sobre o balcão. Além da hidrelétrica de Três Irmãos e de  Viracopos,pretende se desfazer da Concer. A empresa, que administra a rodovia Rio-Juiz de Fora, sofre com a baixa rentabilidade e briga na Justiça pelo reequilíbrio do contrato de concessão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.07.18

Asiáticos em Viracopos

A Changi Airport, de Cingapura, que já está no Galeão, quer aterrissar no aeroporto de Viracopos. O pouso se daria com a compra das participações da UTC e da Triunfo. Ambas não veem a hora de saltar desse avião. A concessionária de Viracopos entrou em recuperação judicial com uma dívida de R$ 2,8 bilhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.11.17

Lava Jato decola

A Lava Jato vai decolar de Viracopos. Além da UTC, a Triunfo também quer vender sua participação no aeroporto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.09.17

Escudo minoritário

O BNDES identificou que a Triunfo Participações tem usado minoritários como escudo para evitar a execução de suas dívidas. Da parte do banco, vem mais chumbo grosso por aí.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.09.17

Aeroporto desgovernado

Viracopos ainda é uma incógnita para o governo. Na última quarta-feira, a Swiss Requitou o seguro garantia de R$ 149 milhões referente ao valor de outorga do aeroporto em 2016. O problema agora é a parcela de 2017, de R$ 169 milhões. Em recuperação extrajudicial, a Triunfo quer devolver a concessão. A Anac diz que só aceita após o pagamento do débito, atrasado desde junho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.08.17

Ponto de interrogação

Entre os credores e acionistas da Triunfo Participações, é grande a apreensão com os efeitos contábeis que a auditoria recém-conduzida pelo Souza, Cescon, Barrieu e Flesch Advogados poderá ter. A preocupação gira em torno da necessidade de provisões para eventuais mal feitos do passado. É tudo o que um grupo em recuperação extrajudicial e R$ 2,5 bilhões em dívidas menos precisa neste momento.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.