fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
22.06.22

Mudança estratégica

A diretoria da Eneva avalia comprar gás da Petrobras para abastecer a Termelétrica de Sergipe, recém-comprada da Centrais Elétricas de Sergipe Participações por R$ 6,1 bilhões. Atualmente, a usina opera com GNL importado. O poder de barganha da Eneva em uma eventual negociação com a estatal não é de se jogar fora: a térmica é a maior do país, com capacidade instalada de 1,5 MW.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.06.22

Petrobras quer acionar YPFB por “calote” na entrega de gás

O RR apurou que a Petrobras estuda uma ação de arbitragem contra a YPFB pelo descumprimento do contrato de venda de gás à estatal brasileira. Nos últimos meses, a empresa boliviana reduziu, unilateralmente, o volume fornecido em 30%, para vender o insumo a preços mais altos à Argentina. A estatal deve exigir da YPFB um ressarcimento pelos prejuízos causados, notadamente o custo referente à importação de GNL, para cobrir o buraco deixado pelos bolivianos. Em contato com o RR, a Petrobras informou que “vem exercendo seu papel diligentemente, reivindicado o cumprimento do contrato com a YPFB e adotando as medidas para assegurar o fornecimento de gás aos seus clientes”. Consultada especificamente sobre o processo de arbitragem, a companhia não se manifestou. A relação comercial entre as duas empresas é marcada por turbulências. Em 2007, por exemplo, a Petrobras ameaçou recorrer a uma Câmara de Arbitragem após a expropriação de duas refinarias na Bolívia. Depois de tensas negociações, a YPFB aceitou ressarcir a empresa, pagando US$ 112 milhões. É o desfecho que a direção da Petrobras espera ver de novo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.