fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
06.04.22

Pé no freio

O RR apurou que a GM deverá decretar, mais uma vez, férias coletivas na fábrica de São Caetano (SP). O motivo é a falta de semicondutores. O problema tende a se agravar com as novas restrições impostas pelo governo chinês para conter a variante oriunda da ômicron.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.09.21

A brusca freada de Carlos Zarlenga na GM

Nos corredores da GM, circula uma nova versão para a repentina saída de Carlos Zarlenga da presidência da montadora na América do Sul/Brasil. Ela teria sido consequência de uma forte colisão entre Zarlenga e a matriz. O executivo teria sido informado pelos norte americanos de que seria substituído ao fim deste ano, sem a garantia de um posto de comando em outra subsidiária do grupo – como costuma ser a praxe no setor. Diante do aviso prévio, Zarlenga teria se insurgido e antecipado sua saída do cargo. Consultada pelo RR, a montadora limitou-se a reproduzir o posicionamento padrão, dizendo que o executivo “deixou a GM para buscar novas oportunidades”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.09.20

Roda presa

Entre os dirigentes das quatro grandes montadoras do país – Volkswagen, Fiat, GM e Ford – sobram críticas à performance do presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, nas tratativas com o governo para obter um pacote de ajuda ao setor. Nas palavras de um dos grandes executivos do setor, “mais um pouco e nós é que vamos ter de pagar ao BNDES”. O RR acha que há um quê de injustiça na avaliação do trabalho de Moraes. Mais fácil a pandemia acabar do que convencer Paulo Guedes a conceder qualquer tipo de subsídio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.08.20

Marcha a ré

Além da nova pickup S-10, a GM prepara o lançamento de mais dois veículos de passeio com câmbio manual. Trata-se de um indício de que o mercado automotivo brasileiro andou para trás e terá de apostar em modelos mais baratos para caber no bolso do brasileiro no pós-pandemia. E dizer que, por volta de 2015, o então presidente da GM na América Latina, Jaime Ardilla, repetia que em cinco anos todos os modelos produzidos pela montadora no Brasil seriam automáticos. Mas havia um vírus e uma crise no meio do caminho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.10.19

A GM está blefando?

O presidente da GM na América do Sul, Carlos Zarlenga, chamou o governo brasileiro para a mesa de pôquer. A rodada de fogo vale R$ 10 bilhões. É o valor do investimento da montadora no Brasil até 2024, que poderá ser revisto caso a alíquota do programa Reintegra, de créditos tributários para exportadores, não seja aumentada.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.06.19

Figurante

Hoje, o principal interlocutor da indústria automobilística com a equipe econômica é o CEO da GM na América do Sul, Carlos Zarlenga. O presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, virou retardatário.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.19

Vaga para a Hyundai

Depois da GM e da Scania, agora é a Hyundai que negocia sua adesão ao IncentivAuto, o programa de incentivos fiscais lançado por João Doria para frear a carnificina de empregos no estado. A prenda para garantir os benefícios tributários é um investimento de pelo menos R$ 1 bilhão no estado. Os sul-coreanos têm uma fábrica própria em Piracicaba, que está fora da parceria com o Grupo Caoa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.03.19

Lavoisier

Há uma dose de cenografia no investimento de R$ 10 bilhões em São Paulo anunciado pela GM na última terça-feira. Uma parte da cifra, algo como R$ 3 bilhões, é uma “sobra” do plano estratégico para o Brasil apresentado pela montadora em 2017.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.12.18

“Boca de urna”

A GM prepara uma nova campanha publicitária para janeiro. Segundo o RR apurou, o tom será na linha de saudação ao “novo Brasil”. Em outubro, pouco antes da eleição, a montadora causou polêmica com um anúncio em que dizia “ser possível mudar o país”. Nas redes sociais, o reclame foi acusado por muitos de ser uma mensagem de apoio a Jair Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.01.18

Elétrico

A quem interessar: o Bolt, carro elétrico da GM, deverá chegar ao Brasil em 2019 custando a bagatela R$ 180 mil. Nos Estados Unidos, seu preço é de US$ 35 mil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.