fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
09.06.21

A ideia é tirar Wajngarten do mapa

O Palácio do Planalto tenta convencer Fabio Wajngarten, ex-chefe da Secom, a aceitar um cargo, de preferência no exterior. Na primeira oferta, Wajngarten recusou uma função na representação da Presidência da República em São Paulo. Com a CPI da Covid nos seus calcanhares, talvez mude de ideia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.05.21

Virando a página de Wajngarten

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, está promovendo uma dança das cadeiras na área de comunicação da Pasta. Transferiu para a AGU e para o Ministério da Saúde profissionais que até recentemente serviam a Fabio Wajngarten na Secom. Faria parece querer distância de tudo que lembre Wajngarten, seu desafeto no governo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.04.21

Ministro invisível

Fabio Wajngarten “saiu”, mas “ficou”. Mesmo após deixar a Secom, tem mantido influência sobre a comunicação do governo, valendo-se de Eduardo e Carlos Bolsonaro como seus canais de interlocução com o Palácio do Planalto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Eduardo e Flavio Bolsonaro têm feito lobby junto a Bolsonaro pai pela manutenção de Fabio Wajngarten na chefia da Secretaria de Comunicação. Do outro lado, está o ministro Fabio Farias, principal voz a favor da saída de Wajngarten do cargo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.03.21

Náufragos e degredados

O que se dizia no Palácio do Planalto, na última sexta-feira, é que Jair Bolsonaro tem um Plano C para Fabio Wajngarten, prestes a ser demitido da Secretaria de Comunicação. Em vez de assumir uma assessoria especial da Presidência, como chegou a ser cogitado, Wajngarten poderá ser transferido para uma representação diplomática no exterior. Seria a mesma estratégia adotada por Bolsonaro no caso do ex-ministro Abraham Weintraub e de seu irmão, Arthur.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

O MPF deverá levar ao STF o pedido de afastamento do chefe da Secretaria de Comunicação do governo, Fabio Wajngarten. Solicitação similar já foi feita ao TCU, sob a alegação de que Wajngarten recusa-se a apresentar os gastos em publicidade online do governo. No fundo, é mais uma flechada do aparelho de Justiça contra o “gabinete do ódio”

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.01.20

O PIB da China, o Fed e o Banco Central europeu

Termômetro

A política externa estará em foco amanhã em função da assinatura da primeira fase do acordo comercial entre EUA e China e do apoio norte-americano para entrada brasileira na OCDE.

Ainda que tarifas impostas a produtos chineses não tenham sido totalmente suspensas, o que deixa o mercado em certo compasso de espera, o acordo vai gerar ambiente internacional bastante positivo, nesta quinta, com expectativa de diminuição de turbulências. O problema para o Brasil é o compromisso da China com o aumento de US$ 17 bilhões na compra de produtos agrícolas norte-americanos, em 2020.

Tema terá impacto amanhã, já que o setor concorre diretamente com o agronegócio brasileiro – a soja está entre os produtos que podem ser afetados. Ainda não está claro o quanto as exportações nacionais podem ser afetadas e se isso terá consequências para previsões de crescimento do PIB no ano.

Já a entrada na OCDE teve destaque hoje, mas serão aprofundadas as avaliações, não apenas quanto ao cronograma real para efetivação da medida como acerca dos efeitos concretos para o país, em termos econômicos e geopolíticos (incluindo possibilidade de passar à frente da Argentina na “fila de entrada” da organização).

Toffoli limita o juiz de garantias e diminui resistências

Decisão do ministro Toffoli, ampliando para 6 meses o prazo de implantação do juiz de garantias e limitando seu alcance terá boa repercussão amanhã, por deixar mais claro o escopo da medida.  A leitura será a de que diminuem significativamente as incertezas em torno da mudança – e, consequentemente, as resistências a ela.

Mas pode haver reação – e especulações – sobre posicionamento dos demais ministros do STF, bem como de parlamentares.

O secretário de comunicação social na corda bamba

Reunião de hoje com o presidente Bolsonaro deve definir a situação do secretário especial da Comunicação Social (Secom), Fábio Wajngarten, amanhã, após revelação de que empresa da qual é sócio tem contratos com emissoras de televisão e agências de publicidade que recebem verbas do governo federal. Conflito do presidente com a Folha – que fez a denúncia – vai favorecer o secretário, mas não será fácil reverter imagem de conflito de interesses e o desgaste público que acarreta.

O crescimento em 2019 e a curva da inflação

Saem amanhã números importantes para a economia brasileira, tanto no que se refere ao fechamento de 2019 quanto a projeções para 2020:

1) IBC-Br (BC) de novembro, que indicará, ainda que parcialmente, o grau de aquecimento da economia no final de 2019 e a tendência para o PIB. Influenciará expectativas do mercado quanto ao número final para o ano e, consequentemente, as projeções para 2020;

2) IGP 10 de janeiro e IPC S para a segunda quadrissemana do mês. Ambos os números serão essenciais para confirmar estimativas de analistas, de que o salto inflacionário dos últimos meses de 2019 não transbordará para 2020.

O PIB da  China, o Fed e o Banco Central europeu

Internacionalmente, destaque amanhã será a China, que divulgará, dentre outros dados, o PIB de 2019 e a produção industrial de dezembro. O PIB deve apresentar trajetória de crescimento em patamares baixos, para os padrões chineses dos últimos anos, fechando o ano em 6%. Já a produção industrial deve ficar em torno de 5,9%, abaixo dos 6,2% de novembro.

Também vale atenção para:

1) A publicação da ata da última reunião e declaração da presidente do Banco Central europeu. Ainda que não se espere sinalização de redução de juros, trará prognóstico importante sobre a economia europeia e as possibilidades de medidas de estímulo em 2020;

2) Nos EUA, Vendas no Varejo em dezembro (estima-se crescimento de 0,3% frente a 0,2% em novembro) e Índice de Atividade do Fed da Filadélfia em janeiro (projeta-se aceleração importante, na faixa de 3,8 pontos após 0,3 em dezembro).

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.