Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
13.08.19
ED. 6177

Classe econômica

Autoridades de alta patente não escondem a insatisfação com as normas mais rígidas que vêm sendo adotadas pela FAB para o uso de suas aeronaves. Rodrigo Maia e Dias Toffoli, entre outros, já foram obrigados a submeter sua bagagem a vistoria.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.19
ED. 6153

Extradição de sargento da FAB divide governo

O que fazer com o sargento da Aeronáutica Manuel Silva Rodrigues? A questão está longe de um consenso dentro do governo. Segundo o RR apurou, o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, é favorável a que o Brasil faça gestões mais agudas
junto às autoridades da Espanha para a transferência imediata do sargento, preso em Sevilha depois de transportar 39 quilos de cocaínaem um avião da FAB. Seu retorno ao país seria fundamental para o avanço das investigações conduzidas pela Aeronáutica, sobretudo para averiguar o eventual envolvimento de outros militares no caso.

Por ora, no entanto, segundo uma fonte do Palácio do Planalto, a comitiva de militares que irá à Espanha para interrogar Rodrigues não deverá levar um pedido de extradição da Justiça brasileira, hipótese que chegou a ser discutida pelo governo nos últimos dias. Neste caso, vai prevalecer a recomendação de Sergio Moro. O ministro da Justiça entende que, ao menos neste momento, qualquer esforço pela extradição do sargento será infrutífero. Dificilmente a Justiça da Espanha concordará em entregar o prisioneiro ao Brasil antes de levá-lo a julgamento.

O país é conhecido por aplicar um dos mais severos sistemas penais contra o tráfico de drogas em toda a Europa. Consultado pelo RR, o Ministério da Defesa informa que “não se manifestará sobre as investigações atualmente em curso na Espanha e no Brasil.” A Pasta ressalta ainda que a “condução do processo e eventuais desdobramentos cabem exclusivamente à Justiça espanhola e à Justiça brasileira.” Por sua vez, o Ministério da Justiça não se pronunciou até o fechamento desta edição.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.06.19
ED. 6140

Caças da FAB ganham altitude

Um dos raros projetos imunes aos cortes orçamentários na área de Defesa começa, literalmente, a sair do chão. Até setembro a sueca Saab iniciará os testes do primeiro dos 36 novos caças da Força Aérea Brasileira (FAB). Os voos experimentais vão se estender pelo ano de 2020, já com a participação de pilotos da FAB. Segundo a própria Aeronáutica informou ao RR, a entrega das aeronaves será
iniciada em 2021. A operação dos caças ficará a cargo da chamada Ala 2, base da FAB em Anápolis (GO). O contrato firmado entre o governo brasileiro e a Saab acabou servindo como blindagem do projeto: o pagamento dos US$ 5,4 bilhões só começará a ser feito após a entrega da última aeronave, prevista para 2024.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.12.16
ED. 5508

Segunda tranche

 O financiamento de US$ 245 milhões para a compra dos caças Gripen pela FAB foi apenas o aperitivo. A Swedish Export Credit Corporation, agência sueca de crédito à exportação, vai disponibilizar mais US$ 300 milhões ao país para aquisição de equipamentos belgas de alta tecnologia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.08.15
ED. 5193

Céu brasileiro à moda sueca

Entre as contrapartidas colocadas sobre a mesa para sacramentar a negociação com a Saab, fabricante do caça Gripen, o governo comprometeu-se a flexibilizar as regras de enquadramento no regime de Empresa Estratégica de Defesa (EED). A medida beneficiará os fornecedores do grupo sueco, que terão uma série de vantagens para se instalar no Brasil. Este foi um dos pontos que fizeram o governo sueco aceitar a redução dos juros do financiamento para a venda dos 36 caças à FAB.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.