fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
07.02.22

Hidrogênio verde

A italiana Enel está empacotando um plano de investimentos para a produção de hidrogênio verde no Brasil. Segundo fonte ligada à empresa, o desembolso deve passar de R$ 1 bilhão. A Enel já tem negócios no segmento na América do Sul, notadamente no Chile.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.01.22

Energia de sobra

A chinesa CGN Energy International vem mantendo conversações com o governo do Ceará para instalar um complexo de usinas eólicas no estado. O que não falta ao grupo é energia para investir no Brasil. Os asiáticos estão desembolsando R$ 1 bilhão na Bahia em projetos de geração renovável. E pagaram mais de R$ 3 bilhões por ativos energéticos da italiana Enel.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.08.21

“Seguro-energia”

A italiana Enel, distribuidora de energia de Goiás, sinalizou ao governo do estado um pacote de investimentos, entre eles a construção de quase oito mil quilômetros de rede. Com a proximidade da eleição todo o cuidado é pouco. Em 2019, o governador Ronaldo Caiado chegou a pedir a cassação da concessão. Procurada, a empresa diz que “segue investindo para ampliar a capacidade da rede de distribuição”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.06.21

Vento no rosto

O novo complexo eólico inaugurado no Piauí, um investimento da ordem de R$ 3 bilhões, não saciou o apetite da Enel. O RR apurou que o grupo italiano saiu em busca de aquisições no setor.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

07.01.21

Energia chinesa

A chinesa CGN, especializada em energia eólica e solar, está dando os últimos retoques em um plano de investimentos da ordem de R$ 10 bilhões no Brasil. A empresa chegou ao país em 2019 com a compra de ativos de energia renovável da italiana Enel.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.10.20

Acordo de paz?

O presidente da Enel no Brasil, Nicola Cotugno, negocia com o governador Ronaldo Caiado uma voltagem maior no plano de investimentos da empresa em Goiás. Os italianos esperam que seja o cessar-fogo definitivo com Caiado, que esteve perto de cassar a concessão da distribuidora.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.09.20

Efeito colateral positivo

Ainda que por vias transversas, a Covid-19 tornou-se aliada da Enel. A dificuldade em realizar uma nova licitação no breu da pandemia esfriou o ímpeto do governador Ronaldo Caiado de cassar a concessão da distribuidora de energia de Goiás, sob a alegação de graves falhas no fornecimento de energia. As rusgas prosseguem, mas surgiram canais de interlocução que passam pelo aumento dos investimentos dos italianos no estado. A ver.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.20

Armistício temporário

Está longe de ser por um bom motivo, mas, com a Covid-19, o governador Ronaldo Caiado deu uma trégua à Enel. Por ora, deixou de lado a ofensiva para retomar a concessão da distribuidora de energia de Goiás.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.02.20

Curto circuito

A Enel se arma para uma guerra jurídica. Já teria parecer de dois grandes juristas apontando abuso de poder do governador Ronaldo Caiado, caso a cassação da licença da distribuidora goiana seja consumada, como tudo indica.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.01.20

Câmara de Arbitragem

A disputa entre a Enel e Ronaldo Caiado tem novo round. O grupo está pleiteando ao ministro de Minas e Energia, Almirante Bento Albuquerque, que intervenha na contenda. A companhia encaminhou a Albuquerque e à Aneel farta documentação para comprovar que tem cumprido as metas previstas na privatização da antiga Celg Distribuição. Caiado diz o contrário e quer cassar a concessão. Procurada, a Enel afirma manter “diálogo constante” com o Ministério.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.