Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
31.10.19

“Carne de pobre”

Mais um avanço da agrociência brasileira: a Embrapa anunciará nos próximos dias que iniciou estudos para desenvolver os primeiros clones da Pereskia aculeata em todo o mundo. Trata-se da hortaliça ora-pro-nóbis. É quase um programa de Estado na área social. O vegetal é riquíssimo em proteína – não por acaso, é chamado em algumas regiões do país de “carne de pobre”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.10.19

Agricultura se mobiliza para reduzir perdas bilionárias no milho

O sinal de alerta está aceso no Ministério da Agricultura. Um alerta, ressalte-se, estimado em cerca de R$ 1,7 bilhão – valor das perdas que podem ser impostas aos produtores de milho do país. Técnicos da Pasta e especialistas da Embrapa estão sendo enviados a áreas de plantio do cereal na tentativa de minimizar potenciais danos causados por condições climáticas atípicas. Há riscos de uma queda de 5% a 10% na segunda safrinha do cereal, que de safrinha não temnada. A próxima colheita deverá responder por algo em torno de 70% da produção anual de milho – as projeções originais eram de 245 milhões de toneladas. A falta de chuvas regulares, notadamente no Noroeste do Paraná e em áreas no Centro-Oeste, provocou um efeito cascata. Houve um atraso no cultivo e na colheita da última safra de soja, consequentemente retardando o plantio de milho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

31/10/19 3:07h

leilaniblankinsh

disse:

Undeniably consider that that you stated. Your favorite reason seemed to be on the net the simplest thing to remember of. I say to you, I definitely get irked at the same time as people consider issues that they just do not know about. You managed to hit the nail upon the top and also outlined out the whole thing without having side-effects , people can take a signal. Will likely be again to get more. Thanks

29.10.19

Campo minado

Dentro da própria Embrapa, há uma forte resistência à efetivação do presidente interino, Celso Moretti, no cargo. Para os “embrapianos”, Moretti ajudou a puxar o tapete de seu antecessor, Sebastião Barbosa, demitido por Jair Bolsonaro em julho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.10.19

“Apple do solo”

A ministra Teresa Cristina encomendou estudos para a venda no exterior do Smart Solos. Trata-se de um aplicativo criado pela Embrapa que transmite informações sobre o solo, a partir de imagens de satélites, mapeamento mineral e outras variáveis.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.10.19

Sucessão a passos lentos na Embrapa

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, não tem culpa no cartório. A sucessão na Embrapa, sem presidente há quase três meses, está parada no gabinete do próprio Jair Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.09.19

Guerrilha cibernética na Embrapa

Robôs, algoritmos e congêneres, ao que parece, entraram na “disputa eleitoral” da Embrapa. Nos últimos dias, funcionários da estatal têm recebido por WhatsApp mensagens e matérias jornalísticas desancando teses e trabalhos de Evaristo Miranda, chefe da Embrapa Territorial, um dos braços da empresa. Curiosamente, mesmo que por vias indiretas, a guerrilha digital aponta contra o presidente Jair Bolsonaro justo no ambiente que lhe é tão confortável. Funcionário de carreira da companhia, Miranda é tido como o candidato de Bolsonaro à presidência da Embrapa. Chegou, inclusive, a colaborar com a equipe de transição tão logo o Capitão foi eleito.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.09.19

Campo minado

Em meio à sucessão da Embrapa, a ministra Teresa Cristina trabalha para que Francisco Basílio ganhe um assento no Conselho da estatal. Assessor especial da Pasta da Agricultura, Basílio é visto com ressalvas no Ministério. No início do ano, teve seu nome vetado para a vice-presidência de agronegócio do BB. Ele é investigado pelo MPF por suspeitas de irregularidades em um projeto do Ministério de 2014.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.08.19

“Reforma administrativa” em pílulas

A primeira missão do futuro presidente da Embrapa será conduzir um novo plano de demissões voluntárias. O recente PDV, na gestão do ex-presidente Sebastião Barbosa, só atingiu 1,2 mil desligamentos. Segundo o RR apurou, a meta da Pasta da Agricultura é cortar três mil postos de trabalho. A Embrapa diz “desconhecer informações sobre um novo PDV”.

A Valec pode até ter escapado da extinção, mas não conseguirá se livrar de um enxugamento do quadro de servidores. O Ministério da Infraestrutura quer reduzir o contingente de 700 para 400 funcionários. As regras do PDV deverão ser anunciadas em setembro. Consultada, a Valec confirma que “realizou estudos sobre o tema e aguarda avaliação do órgão responsável”.

O próximo da fila é o Banco da Amazônia (Basa). O Ministério da Economia discute as regras para um programa de demissões no Basa, que soma cerca de três mil funcionários. O governo espera uma adesão superior à do recente PDV no Banco do Nordeste, quando apenas 268 dos sete mil servidores marcharam para a porta de saída.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.08.19

“Primeiro-ministro”

Os próprios funcionários da Embrapa se perguntam quem manda, de fato, na estatal: o presidente interino, Celso Moretti, ou o chefe da divisão Embrapa Territorial, Evaristo Miranda, bem próximo de Jair Bolsonaro?

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.07.19

Embrapa entre o general e o engenheiro

Surge um contraponto à possível indicação do general Oswaldo Jesus Ferreira para a presidência da Embrapa (ver = RR edição de 4 de julho). O agronegócio trabalha pela nomeação do engenheiro Pedro Camargo, ex-presidente da Sociedade Rural Brasileira e ex-secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura. Camargo conta com o apoio da ministra Tereza Cristina. Enquanto dois dos principais grupos de sustentação do governo – militares e agronegócio – “disputam” o comando da Embrapa, um ponto já parece definido. Jair Bolsonaro deverá indicar diretamente o novo presidente da estatal, sem repetir o rito adotado pela gestão Temer no ano passado, quando houve uma pré-seleção com 16 candidatos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.