fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
13.01.20

Perda de altitude

Segundo um alto executivo da Embraer, todas as discussões sobre projetos conjuntos com a Boeing na aviação comercial teriam sido congeladas. A medida teria partido dos próprios norte-americanos, como consequência da gravíssima crise do grupo, que levou à demissão do CEO global, Dennis Muilenburg. Procurada, a Embraer nega atrasos nos projetos, assim como qualquer impacto da delicada situação financeira da Boeing sobre a fusão entre as duas empresas. Ressalte-se que o negócio ainda aguarda pela aprovação da União Europeia e do Cade. Aliás, depois de tudo que está acontecendo com a Boeing, cabe a pergunta: por que mesmo a operação continua de pé?

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

18.12.19

Quebrando

Acredite se quiser: a Boeing está quebrando. Sem a ajuda do governo dos EUA, vai à falência. Deus é brasileiro! Foi antes de concluir a compra da Embraer.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.10.19

O novo pouso do KC 390

A Embraer estaria em tratativas com a Força Aérea da Áustria para a venda de um lote do cargueiro militar KC-390. A companhia já fechou um contrato de 827 milhões de euros com o governo de Portugal para a entrega de cinco aeronaves.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.08.19

BNDES ainda é o banco do desenvolvimento nacional?

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, deveria desviar sua mira dos empresários que compraram jatinhos com financiamentos do banco – afinal, quem compra jatinho são empresários – e colocar foco na produtora dos jatinhos. Bingo para quem falou Embraer. Aos neófitos vale o esclarecimento sobre a informação que Montezano se esmerou em deixar em terceiro plano: a linha de financiamento do BNDES para compra das aeronaves tem sido há vários anos um dos seus diferenciais de competitividade. Sem esses recursos, a Embraer perderia mercado para seus rivais, a exemplo da Bombardier, que teria condições de financiamento bem mais generosas para as três linhas que negocia no Brasil: Learjet, Challenger e Global. Certamente, a Embraer não teria chegado aonde chegou sem essa “parceria” com o banco. Todo mundo sabe disso no mercado de aviação executiva. E ao que consta, mesmo para o credo liberal, não é nenhum desatino uma agência de fomento financiar a comercialização dos produtos da companhia nacional – por enquanto – com o maior coeficiente tecnológico agregado. Essa história de caixa preta já está fazendo mal a todo mundo. Depois de empréstimo “não validado” à JBS, lá nos idos de 2005 – que todo mundo sabia, o TCU já tinha aprovado, e para o qual o banco já havia preparado sua argumentação considerando a operação lisa – agora surgem os jatos da Embraer como suspeita de comportamento inadequado. Fica um singelo conselho: melhor todo mundo começar a trabalhar e deixar essa “caixa malsinada” para quem não tem o que fazer a não ser ameaçar moinhos de vento.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21/08/19 12:03h

G.A.Werlang

disse:

Voces arrependeram do comentario (de Vces ontem) sobre o financiamento ao Itau, provavelmente nesta linha, ou simplesmente o foco eh criticar por criticar... Fundamental uma linha de informacao absolutamente isenta... chega de Imprensa de Narrativas com “bias”.

21/08/19 12:03h

G.A.Werlang

disse:

Voces arrependeram do comentario (de Vces ontem) sobre o financiamento ao Itau, provavelmente nesta linha, ou simplesmente o foco eh criticar por criticar... Fundamental uma linha de informacao absolutamente isenta... chega de Imprensa de Narrativas com “bias”.

16.08.19

Neymar é uma festa

Neymar flerta com um novo modelo do Legacy, jatinho produzido pela Embraer. O brinquedinho custa em torno de US$ 28 milhões. O avião chegaria para preencher um vazio na vida do craque. Em abril, a Receita bloqueou um Cessna Citation 680, de propriedade de Neymar, além um helicóptero, como garantia de uma multa de R$ 69 milhões por sonegação fiscal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.08.19

Antidiplomacia

Os generais do Palácio do Planalto defendem que a assinatura da venda de cinco cargueiros militares KC390, da Embraer, para Portugal, pede uma celebração especial, com a presença de Jair Bolsonaro. Trata-se da primeira encomenda do mercado europeu. O problema é convencer o Capitão a dividir os holofotes com o socialista António Costa, primeiro-ministro português.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.07.19

Internacional direitista

A Embraer estaria em negociações avançadas para a venda de um lote de cargueiros militares KC 390 para a Hungria. A se confirmar, já se pode prever uma grande celebração da direita internacional, com as presenças de Jair Bolsonaro e Viktor Orbán.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.05.19

“Embraer News”

Até o fim do mês, serão anunciados a estrutura de gestão e o nome da joint venture formada pela Embraer e pela Boeing exclusivamente para a fabricação do cargueiro militar KC-390. O batismo deverá ser celebrado com a venda de cinco aeronaves para as Forças Armadas de Portugal.

A “Boeing Embraer” bateu o martelo: José Serrador Neto ocupará o nevrálgico cargo de diretor de relações institucionais da nova companhia no Brasil. Nesse ramo, antiguidade é posto: há dez anos, Serrador é o vaso comunicante da Embraer com o Poder.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.05.19

Linkedin

Raul Calfat, que deixou a presidência do Conselho da Votorantim depois de 27 anos no grupo, estaria se juntando a outros investidores na montagem de um fundo de private equity. Calfat é conselheiro de empresas como Embraer e Duratex.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.01.19

Decolagem autorizada

Com a “ameaça Bolsonaro” debelada – o Capitão descartou brecar a fusão –, o RR apurou que a Embraer pretende realizar na primeira quinzena de março a assembleia extraordinária de acionistas que baterá o martelo sobre a fusão com a Boeing.

Antes, Embraer e Boeing vão fazer, digamos assim, diplomacia: estão organizandoa visita de uma comitiva de autoridades brasileiras aos headquarters de Chicago.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.