Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
08.06.18
ED. 5884

Todos os santos

A ordem no governo da Bahia é intensificar as negociações com investidores privados da área de saneamento com o objetivo de aumentar o colar de PPPs da Embasa. A medida daria um alívio aos cofres públicos. E, de quebra, irrigaria a exposição positiva do governador Rui Costa, candidato à reeleição.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.03.18
ED. 5831

Pinga-pinga

A Agência Francesa de Financiamento, que apoia projetos em países em desenvolvimento, fechou um empréstimo de 60 milhões de euros à baiana Embasa e negocia acordos similares com a Copasa, de Minas Gerais, e a Saneago, de Goiás.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

18.12.17
ED. 5768

Saneamento financeiro

O governo da Bahia estuda caminhos para irrigar o caixa da Embasa, empresa de saneamento do estado. Há duas opções sobre a mesa: a oferta, via leilão, de até 49% do capital ou IPO em bolsa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

31.03.17
ED. 5590

Água barrenta

O governo de Rui Costa, na Bahia, está em cima do muro. Abriu tratativas com o BNDES para uma linha de crédito no âmbito do programa de saneamento do banco, mas se recusa a privatizar a Embasa. Assim, o circuito não fecha e a grana não sai.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.08.16
ED. 5432

Saneamento

Fundos de chineses estão desaguando na Bahia para investimentos em conjunto com a Embasa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.07.16
ED. 5405

Água misturada

 O governo do petista Rui Costa, Na Bahia, procura investidores privados para fechar PPPs com a Embasa. Por ora, a venda de capital da empresa de saneamento está fora de questão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.04.16
ED. 5342

Governo estimula privatizações no saneamento

 O governo federal passou a adotar um tom mais flexível na discussão sobre o refinanciamento de dívidas estaduais, com a aceitação de um diferimento maior no tempo das contrapartidas sociais. Por outro lado, permanece firme na intenção de manter a exigência de leilão das concessões de empresas estaduais de luz, gás e água. Ao contrário de luz e gás, o setor de saneamento, o mais carente de investimentos, permanece quase intocado pelos capitais privados. Com objetivo de dar velocidade à venda dessas empresas, foi criado um grupo executivo voltado para o projeto, composto pelo Ministério das Cidades, CEF e BNDES, liderado pelo secretário-executivo da Pasta da Fazenda, Dyogo de Oliveira. O governo pretende criar um pacote de facilidades para atrair investidores aos futuros leilões de concessões de saneamento.  O BNDES e a CEF vão financiar os consórcios vencedores até 80% do valor a ser aportado nas concessões, em linha com o que será feito com ferrovias e hidrovia. A oferta de crédito farto já antecipa eventuais reclamações dos interessados nas empresas estaduais. Há conversas mais adiantadas com os governadores petistas Fernando Pimentel, de Minas Gerais, e Rui Costa, da Bahia, para que respectivamente a Copasa e a Embasa sejam privatizadas. No caso dos estados de menor porte, CEFPar e BNDESPar poderão entrar como sócias dos consórcios.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.12.15
ED. 5274

Venda da Embasa

 Consta nos búzios, garantem os Orixás que o governador da Bahia, Rui Costa, pretende vender até 49% da Embasa. Com os cortes no orçamento público, a entrada de um novo sócio é vista pelo governo baiano como a forma de garantir o programa de investimentos da estatal e a extensão da rede de saneamento no estado. Uma das hipóteses sobre a mesa é uma operação com o FI-FGTS, da Caixa Econômica, que compraria debêntures conversíveis em ações da Embasa. Procuradas pelo RR, o Governo da Bahia não comentou o assunto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

08.10.15
ED. 5223

Veolia gruda nas estatais de saneamento

A Veolia Environnement decidiu apostar suas fichas na parceria com estatais da área de saneamento. É isso ou permanecer de braços cruzados esperando por privatizações que nunca saem do papel. No momento, os franceses estariam em conversações com a Copasa e a Embasa. Em Minas Gerais, o alvo da PPP é a prestação de serviços de tratamento de resíduos no complexo industrial de Contagem. Na Bahia, Veolia e Embasa se associariam para ampliar a rede de água e esgoto do estado, com foco em cidades do interior. Oficialmente, a estatal baiana nega a negociação. No entanto, com o ressecamento dos tradicionais canais de financiamento do setor, a começar pela Caixa Econômica, a Embasa dificilmente conseguirá investir nessas localidades sem o apoio de um parceiro privado. A Veolia também tem dificuldades para irrigar seus negócios no Brasil. Sua receita – de 170 milhões de euros em 2014 – tem crescido, em média, 5% ao ano, índice insatisfatório para os franceses. A expectativa do grupo era de que a operação brasileira respondesse por quase 15% do faturamento global até 2018. Difícil. Para este ano, a participação do Brasil nessa conta deve ficar em torno de 6%.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.07.15
ED. 5164

Pinga-pinga

Cresce a fila de estatais da área de saneamento paradas na porta da Caixa Econômica à  espera de financiamento. Lá estão a baiana Embasa, a paranaense Sanepar e a mineira Copasa, entre outras menos votadas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.