fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
07.01.20

Fatura paga

Ainda que a indicação de Eduardo Bolsonaro à Embaixada de Washington tenha fi cado pelo caminho, ao que parece o desabrido apoio de Nelson Trad (PSD-MS), presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, ao “03” não foi esquecido pelo Palácio do Planalto. Em menos de 15 dias, o Ministério da Saúde concedeu R$ 20 milhões para hospitais do Mato Grosso do Sul; já a Pasta do Desenvolvimento Regional liberou R$ 15 milhões para obras na capital, Campo Grande. Graças ao excelente trânsito no governo, Trad intermediou os dois repasses

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

07/01/20 7:38h

capeto

disse:

A palavra "desabrido" tem significado completamente diverso daquele que o texto quis enunciar. Façam a gentileza de consultar o dicionário quando a criatividade do redator selecionar um vocábulo menos comum.

06.01.20

A fatura do “03”

O Palácio do Planalto já faz as contas do “Custo Eduardo”. É como estão sendo chamadas no governo as emendas orçamentárias dos integrantes do Conselho de Ética da Câmara. Serão a moeda de troca para os deputados engavetarem, sem maiores delongas ou desgaste, o processo contra Eduardo Bolsonaro por suas declarações simpáticas a um “novo AI-5”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.12.19

Aliança 1

A ex-jogadora de vôlei Ana Paula Henkel teria sido sondada por Eduardo Bolsonaro para se filiar ao Aliança pelo Brasil. Ana Paula, que mora nos EUA, é uma espécie de “Capitã de saias”. Costuma levar bolsonaristas ao delírio nas redes sociais com os virulentos ataques à esquerda.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Alexandre Frota quer subir a temperatura da CPI da Fake News. Teria proposto uma acareação entre Eduardo Bolsonaro e Marco
Aurélio Carvalho, da agência digital AM4. Tido como um dos estrategistas da controversa campanha de Bolsonaro nas redes sociais, Carvalho chegou a integrar a equipe de transição. Foi incinerado após bater de frente com Carlos Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Com o final do ano parlamentar se aproximando, acumulam-se pautas importantes – e polêmicas – na Câmara e no Senado, com desdobramentos amanhã:

1) Está em aberto o projeto de lei que reestabelece a prisão após condenação em segunda instância. Aprovação na CCJ do Senado ontem seria terminativa, mas formou-se hoje articulação para que o tema seja votado no plenário da Casa.

Pode-se esperar, amanhã, tanto uma definição da questão como um panorama mais claro sobre grupos que se movimentam em torno dela. De um lado, a ala lavajatista, que busca encerrar a votação na CCJ; de outro não somente a oposição como o próprio presidente da Casa, Davi Alcolumbre, e o líder do governo no Senado, que atuam para levar o tema ao plenário.

2) Tudo indica que será votado ainda hoje no Senado, com ampla repercussão amanhã, o pacote anticrime – sem alterações em relação ao texto aprovado na Câmara. Confirmada a aprovação, ilações amanhã se voltarão para o posicionamento do ministro Moro, que demonstrou insatisfação com a supressão de diversos pontos da proposta original, e possíveis vetos do presidente Bolsonaro.

3) Ainda se espera a votação do marco legal do saneamento básico, que abriria o setor para a iniciativa privada, até amanhã. Geraria bons dividendos de imagem tanto para o parlamento quanto para o governo, pela expectativa de atrair investimentos em infraestrutura.

4) Com menos destaque, mas efeitos consideráveis, deve ser aprovada ainda hoje a “PEC das Emendas”, que facilita a liberação de emendas parlamentares e seu repasse para estados e municípios. A questão, amanhã, será a leitura do projeto: pode tanto ser avaliado como uma flexibilização orçamentária, positiva, ou como ação meramente política de parlamentares para se fortalecerem em suas bases.

A saúde do Presidente Bolsonaro

Vai gerar questionamentos e especulações, amanhã, informação de que o presidente Bolsonaro passou por exame para averiguar a possibilidade de estar com um câncer de pele.

O novo PSL

Batalha interna no PSL continuará amanhã. A deputada Joice Hasselman assumiu hoje a liderança do partido na Câmara, declarando intenção de pacificar os ânimos e, ao mesmo tempo, salientando maior distanciamento em relação ao governo. No entanto, à tarde, Justiça suspendeu, em caráter liminar, a punição imposta a deputados do PSL – entre eles Eduardo Bolsonaro – o que pode mudar novamente a correlação de forças dentro da agremiação.

Desgaste com radares, aposentadoria e cultura

Três temas vão gerar algum desgaste para o governo amanhã: 1) Decisão judicial determinando o reestabelecimento de radares em rodovias federais; 2) Determinação do STJ, permitindo que sejam incluídas contribuições anteriores a 1994 no cálculo de aposentadorias do INSS; 3) Novo embate na área de cultura, agora entre o secretário Roberto Alvim e a ex-secretária do Audiovisual, Katiane Gouvêa, exonerada por ele.

As eleições no Reino Unido

No cenário da política internacional, continuará amanhã a tramitação do impeachment do presidente Trump na Câmara, mas o tema central serão as eleições no Reino Unido. O premier Boris Johnson mantém o favoritismo, mas pesquisas apontam para redução significativa da vantagem sobre o Partido Trabalhista. Resultados podem ser mais apertados do que se imaginava inicialmente.

Prévia do PIB (BC) e serviços

Estão previstos para amanhã o IBC-Br (BC) e a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS/IBGE), ambos de outubro. No que tange o IBC-Br estimativas apresentam divergências, mas há indicações de que variação deve ser na margem, após avanço em setembro (0,4%). Já em relação à PMS, projeta-se curva similar a do comércio, com taxa de pequena para moderada de expansão (na casa de 0,3%) após crescimento importante no mês anterior (1,1%).

Juros e inflação: EUA, zona do Euro e Argentina

No exterior, destaque amanhã para resultados da reunião do Banco Central Europeu (BCE) e para a produção industrial de outubro na zona do Euro. Não há sinais de que o BCE pretenda alterar as atuais taxas de juros. No que se refere à produção industrial, espera-se número bastante negativo, com recuo em torno de 0,5% (frente a crescimento de 0,1% no mês anterior).

Ainda nesta quinta serão divulgados os Índices de Preços ao Consumidor na Alemanha e na Argentina e o Índice de Preços ao Produtor (IPP) nos EUA, todos para outubro. Prevê-se recuo de até 0,8% na inflação alemã, o que seria indicação de retração econômica, e aceleração na Argentina (em torno de 4% frente a 3,3% em outubro). Nos Estados Unidos, estimativas indicam número na casa de 0,2%, após alta de 0,4% em setembro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.12.19

O embaixador

Eduardo Bolsonaro trabalha na internacionalização do Aliança pelo Brasil. A ideia é abrir representações nos Estados Unidos e na Europa, provavelmente em Portugal, e aproveitar o enorme contingente de brasileiros nesses países para ecoar o discurso bolsonarista de fora para dentro do Brasil. Típico de Olavo de Carvalho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.11.19

O “03” e o 5G

Já que Washington não veio, Eduardo Bolsonaro tornou-se “embaixador do 5G”. Tem mantido intensa interlocução com a Huawei, que se movimenta freneticamente para fornecer tecnologia às operadoras brasileiras. O “03” já teria sido, inclusive, convidado a visitar a sede da companhia na China. Há cerca de dez dias, o próprio Jair Bolsonaro reuniu-se com o CEO da empresa no Brasil, Wei Yao.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

A família Bolsonaro pretende marcar o lançamento do Aliança pelo Brasil com manifestações em grandes cidades. Não seria nem necessário encontrar um Judas para a malhação. Mas o guru Olavo de Carvalho soprou uma recomendação de que o “Lula preso” deve ser um dos refrões da festa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.11.19

O Acre vai esquentar

Eduardo Bolsonaro tem feito a maior propaganda no Congresso e nas redes sociais da palestra que o cientista Luiz Carlos Mollion dará amanhã no Acre, um dos estados mais atingidos pelas queimadas na Região Amazônica. Controverso, Mollion contesta duramente o aquecimento global e costuma dizer que por trás da tese estão interesses econômicos de grandes nações. Parece até coisa de Olavo de Carvalho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.11.19

No encalço do “03”

O senador Major Olímpio, que permanecerá no PSL, vai exigir uma auditoria nas contas do diretório paulista. Olímpio está com sangue nos olhos e promete “desmascarar” Eduardo Bolsonaro, que dirigiu o PSL em São Paulo nos últimos meses.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.