fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
04.03.21

Sem air bag

O presidente do Detran-RJ, Adolfo Konder, está prestes a ser ejetado do cargo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.01.21

Fogo (nada) amigo

Wilson Witzel tem espalhado poucas e boas das relações entre o seu substituto, o governador interino Claudio Castro, e integrantes da sua gestão, notadamente o presidente do Detran-RJ, Adolfo Konder.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.01.21

Inadimplência em série

O Detran-RJ tornou-se um case de inadimplência no setor público do Rio. Em alguns casos, segundo o RR apurou, os atrasos no pagamento de fornecedores já chegam a quase um ano. Consultado, o Detran-RJ informa que, em outubro, com a posse da nova gestão, “iniciou-se uma análise dos contratos para a regularização da prestação de serviços”. A autarquia diz ainda que “os pagamentos estão seguindo os trâmites legais”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.12.20

Segurança pública do Rio corre risco de apagão tecnológico

A crise financeira do Detran-RJ poderá provocar um efeito cascata na área de segurança pública do Rio. O motivo é o crescente risco de suspensão dos serviços do Sistema Estadual de Identificação (SEI) – uma espécie de hub alimentador do aparelho policial do estado. A partir do cadastro de 23 milhões de registros biométricos do Detran-RJ, o SEI é responsável por municiar a base de dados de órgãos como Polícias Militar e Civil, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Ministério Público, Defensoria Pública e Secretaria de Administração Penitenciária. A iminente interrupção do SEI poderá provocar falhas em atividades fundamentais da área de segurança, como identificação de criminosos e de presos – inclusive foragidos –, ou serviços de perícia técnica e de papiloscopia. Nos últimos dias, diversos prestadores de serviço do Detran-RJ têm interrompido suas atividades por falta de pagamento. Os atrasos, que, na maioria dos casos, chegam a seis meses, começaram na gestão de Wilson Witzel e seguiram após a posse do governador em exercício, Claudio Castro, em agosto. Procurado pelo RR, o governo do Rio não se pronunciou.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

08.07.20

O outro Paulo

Uma reunião em Petrópolis, na semana passada, praticamente enterrou as chances da candidatura do ex-presidente do BNDES Paulo Rabello de Castro à Prefeitura do Rio pelo PSD. A Rabello de Castro foi oferecido o comando da Fundação de Estudos Políticos, o think thank do partido. Pouco para quem deixou o PSC e entrou no PSD dando como certo ser o nome da sigla para a eleição municipal. Ou para quem ainda alimenta o sonho de ser Ministro da Economia.

Em tempo: o candidato do PSD à prefeitura do Rio deve ser o deputado federal e ex-presidente do Detran-RJ Hugo Leal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.04.20

Carro alugado

Em meio à crise do novo coronavírus, o governador Wilson Witzel parece ter terceirizado de vez a gestão do Detran-RJ. A nova troca de presidente – o quarto executivo em um ano e quatro meses – foi totalmente decidida nos corredores da Alerj.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.02.20

O rebanho de Everaldo

O Pastor Everaldo, líder do PSC, espalha suas “ovelhas” pelo governo Witzel. O mentor político de Wilson Witzel está por trás de nomeações feitas recentemente no Detran-RJ. Isso para não falar da Cedae. Não fosse a proteção do Pastor, o presidente da empresa, Helio Cabral, já teria sido levado pelo rio Guandu.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.06.15

O inferno astral da Cetip

 O inferno astral da Cetip parece não ter fim. Apesar das intensas negociações com a direção do Detran de São Paulo, o presidente da empresa, Gilson Finkelsztain, não evitou o pior: a companhia perdeu a exclusividade no registro dos contratos de financiamento de veículos no estado, negócio que representa 5% do seu faturamento. Tão ruim ou até pior do que a subtração desta receita é o risco de que a decisão estimule os departamentos de trânsito de outros estados a adotar a mesma medida. Até porque deve ser grande a pressão para que os Detrans se afastem de uma empresa que tem um pé na Lava Jato. Segundo denúncias feitas pelo doleiro Alberto Youssef, a GRV, subsidiária da Cetip, teria subornado parlamentares do PP para assegurar um contrato com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.