fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
23.03.20

Homilia

Na reunião entre a ministra Damares Alves e representantes de 17 congregações religiosas, na última segunda-feira, houve um momento de constrangimento. O secretário geral da CNBB, Dom Joel Amado, pediu a palavra e criticou enfaticamente a postura
de Jair Bolsonaro diante do novo coronavírus. Damares ficou em silêncio durante toda a “pregação”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23/03/20 11:18h

capeto

disse:

Dom Joel é da ala "progressista" e quer politizar o posicionamento do Presidente. Não esperava outra postura dele. Engraçado que não tenha criticado o papa por receber um ex-presidente corrupto, oportunista, responsável por desvios de recursos que - indubitavelmente - fazem falta à saúde hoje. É por essas e muitas outras que eu (e centenas de milhares) abandonei a Igreja e pratico minha fé em casa!!!

10.03.20

Governo de Jair Bolsonaro vai à Igreja

O Itamaraty articula uma visita da ministra Damares Alves ao Papa Francisco, no Vaticano. De acordo com informações filtradas do Ministério das Relações Exteriores, o mais provável é que a audiência ocorra no mês de maio. A rigor, Damares pretende apresentar ao sumo pontífice resultados dos programas sociais da Pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, notadamente no combate à violência contra crianças e adolescentes.

No entanto, mais importante do que o tema abordado será o simbolismo do encontro. O governo Bolsonaro, visceralmente identificado com o eleitorado pentecostal, vem ensaiando uma lenta e gradual aproximação com a Igreja Católica. Damares – curiosamente, ela própria uma pastora evangélica – tem se notabilizado na conexão entre as duas pontas.

No último dia 19 de fevereiro, por exemplo, foi a primeira integrante da gestão Bolsonaro a ter uma reunião com a cúpula da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Não bastasse o fato de os evangélicos serem um dos principais grupos de apoio do presidente Bolsonaro, a relação entre o governo e a Igreja Católica tem sido marcada desde o início por ruídos. Como não poderia deixar de ser, a histórica proximidade entre setores mais progressistas do clero e o campo da esquerda, sobretudo o PT, pesa na balança. Um caso bastante emblemático foi a decisão do Palácio do Planalto, mais precisamente do Gabinete de Segurança Institucional, de monitorar o Sínodo da Amazônia, que discutiu pautas como desmatamento, a questão indígena, quilombolas etc.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.02.20

Candidata a quê?

A ministra Damares Alves está decidida a aumentar suas aparições em eventos públicos. Damares ficou encantada com os aplausos que recebeu no estádio Mané Garrincha, no último domingo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Damares Alves quer assumir a TV Escola, que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, tanto despreza, e transformá-la em uma espécie de TV Família – seja lá o que isso quer dizer. Já conversou com Regina Duarte sobre a possibilidade de abrigar produções artísticas desenvolvidas pela área de Cultura do governo. Neste caso, o que Damares quer não é exatamente conteúdo, mas, sim, beliscar a verba da Secretaria alheia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.01.20

Guerrilha do Araguaia ressurge na Comissão da Anistia

Um caso que remonta à brutal Guerrilha do Araguaia está colocando em lados opostos os sempre uníssonos Damares Alves e João Henrique Freitas, presidente da Comissão de Anistia. De acordo com informações auscultadas pelo RR no Ministério da Família, Damares é favorável à retomada do pagamento das indenizações aos parentes de um grupo de 44 camponeses da região, perseguidos e torturados pelo regime militar entre os anos de 1967 e 1974. Segundo a mesma fonte, o caso será julgado pela Comissão de Anistia em fevereiro.

Ressalte-se que a decisão da ministra da Família é soberana: ela tem a prerrogativa de referendar ou reverter determinações do colegiado. O voto de Freitas? Esse já é mais do que conhecido. Na condição de advogado, o ex-assessor do senador Flavio Bolsonaro foi o autor da ação judicial que suspendeu o pagamento da indenização aos familiares dos 44 camponeses, em 2010.

Trata-se, por sinal, de um “profissional” do assunto. Cinco anos depois, o mesmo Freitas entrou na Justiça para interromper a concessão do benefício a parentes de Carlos Lamarca. Consultado, o Ministério confirmou que “a previsão é de que a Comissão de Anistia coloque alguns processos da temática do Araguaia na pauta da sessão de fevereiro”. Sobre o posicionamento de Damares, a Pasta limitou-se a dizer que “a decisão final é da Ministra”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.01.20

Espelho meu

Maldade que circula entre ministros do governo Bolsonaro: “Nas reuniões de gabinete, vai ser difícil saber quem é Regina e quem é Damares”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.20

Candidata de si própria

A secretária executiva do Ministério da Mulher e da Família, Tatiana Alvarenga, está em campanha dentro do governo para assumir a Fundação Palmares – a presidência segue vaga desde que a Justiça determinou o afastamento de Sergio Camargo. A chance é diminuta. Nem mesmo a ministra Damares Alves, que a indicou para a Pasta, faz força pela sua nomeação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.01.20

Abstinência, mas com jeitinho

A abstinência sexual, pregada por Damares Alves para resolver a gravidez precoce, vai virar política pública. Os Ministérios da Saúde, da Família e da Educação estão produzindo uma cartilha conjunta sobre o tema. O material será distribuído em hospitais da rede federal e escolas. Mas, como a carne é fraca, pelo sim, pelo não, a publicação da cartilha será acompanhada de uma campanha de distribuição de preservativos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.01.20

A nova Hebe Camargo?

Damares Alves levou a Jair Bolsonaro a ideia de criação de uma “TV Família”. A emissora encamparia a TV Escola e a TV INES/Libras, voltada a deficientes auditivos, hoje vinculadas ao Ministério da Educação. O ministro Abraham Weintraub já avisou que não tem orçamento para a produção de conteúdo das duas emissoras. De repente, a própria Damares se candidata a apresentar uma das atrações da “TV Família”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.01.20

Costas quentes

A nomeação do advogado Paulo Fernando Melo da Costa como assessor especial da ministra da Mulher e da Família, Damares Alves, se deu por ingerência direta do próprio presidente Jair Bolsonaro. Costa pertence à Frente Integralista Brasileira.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.