fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
15.01.20

Abstinência, mas com jeitinho

A abstinência sexual, pregada por Damares Alves para resolver a gravidez precoce, vai virar política pública. Os Ministérios da Saúde, da Família e da Educação estão produzindo uma cartilha conjunta sobre o tema. O material será distribuído em hospitais da rede federal e escolas. Mas, como a carne é fraca, pelo sim, pelo não, a publicação da cartilha será acompanhada de uma campanha de distribuição de preservativos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.01.20

A nova Hebe Camargo?

Damares Alves levou a Jair Bolsonaro a ideia de criação de uma “TV Família”. A emissora encamparia a TV Escola e a TV INES/Libras, voltada a deficientes auditivos, hoje vinculadas ao Ministério da Educação. O ministro Abraham Weintraub já avisou que não tem orçamento para a produção de conteúdo das duas emissoras. De repente, a própria Damares se candidata a apresentar uma das atrações da “TV Família”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.01.20

Costas quentes

A nomeação do advogado Paulo Fernando Melo da Costa como assessor especial da ministra da Mulher e da Família, Damares Alves, se deu por ingerência direta do próprio presidente Jair Bolsonaro. Costa pertence à Frente Integralista Brasileira.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.12.19

A fila sem fim da anistia

A ministra da Família, Damares Alves, promete zerar os “passivos” da Comissão de Anistia até o fim do atual mandato do presidente Jair Bolsonaro. Neste ano, mais de 2,7 mil processos foram finalizados, mas o carry over é grande: ainda há quase 11 mil pedidos de indenização por perseguição política. Uma das figuras mais ilustres na sala da espera é a ex-presidente Dilma Rousseff.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.19

Damares e Francisco

Damares Alves quer ir a Roma e ver o papa. A ministra da Família vai solicitar uma audiência com o sumo pontífice Francisco para apresentar os programas de combate à exploração sexual de menores e contra o trabalho infantil do governo Bolsonaro. Damares estará na capital italiana até o fim desta semana para participar de reunião da FAO, a organização para alimentação e agricultura da ONU.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.19

A dona do social

A ministra da Família, Damares Alves, foi escolhida pelo Palácio do Planalto para ser a “comandante em chefe” do Pacto de Avanço Social anunciado pelo governo federal. Significa dizer que Osmar Terra, ministro da Cidadania, foi jogado para escanteio, ainda que boa parte dos programas sociais esteja pendurada na sua Pasta.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.12.19

De onde menos se espera…

O governo federal – quem diria? – planeja lançar uma campanha de incentivo a candidaturas de mulheres nas próximas eleições. O assunto está sob o guarda-chuva da ministra da Família, Damares Alves, até pela abordagem que será feita. Levantamento da Pasta junto a 1.300 municípios, ao qual o RR teve acesso, mostra que cidades sem vereadoras raramente dispõem de instâncias de proteção à mulher.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.11.19

Relação entre o governo Bolsonaro e a mídia vira caso de Justiça

A conflituosa relação entre o governo Bolsonaro e a mídia vai subir de temperatura. A Advocacia Geral da União (AGU) está entrando com uma ação contra a revista Carta Capital e o jornalista Nirlando Beirão, pelo crime de injúria previsto no artigo 140 do Código Penal. O estopim do contencioso é a matéria intitulada “Mulheres que envergonham as mulheres”, veiculada pela revista na edição com data de capa de 20 de novembro.

Entre outros trechos que motivaram a decisão da AGU, a revista cita que Damares “acredita até em mamadeira de piroca”; a ministra Cármen Lúcia é a “bruxa e que deixa um rastro de enxofre por onde passa” e a deputada Joice Hasselmann, “uma espécie de Augusto Nunes de calças”. O processo será em nome da ministra da Família, Damares Alves, com a possibilidade de que outras servidoras federais entrem na causa. Há informações de que a máquina digital do governo Bolsonaro aproveitará o episódio para bombardear as redes sociais e insuflar o efetivo feminino do funcionalismo público. Caso ocorra, certamente será menos pela causa e mais pela oportunidade de atacar a mídia. Consultada pelo RR, a AGU confirmou o processo contra a Carta Capital. Segundo o órgão, o advogado-geral André Mendonça “determinou urgência no preparo da ação”, por considerar a reportagem “uma agressão absurda contra todas as mulheres”.

Ainda não está decidido se o processo vai ser movido em Brasília ou em São Paulo, sede da revista. A reportagem, que começou a circular no mesmo dia do lançamento nacional da campanha “Dezesseis dias pelo fim da violência contra as mulheres”, despertou reações de repúdio de diferentes entidades, a exemplo da OAB e da Associação dos Magistrados. No próprio dia 20, o Ministério da Família se manifestou publicamente rechaçando o conteúdo da matéria, “que demonstra desrespeito às mulheres e promove o discurso do ódio, com o uso de expressões depreciativas e até mesmo com apelo sexual”. Ainda na semana passada, diante da repercussão, a Carta Capital retirou a matéria do seu site. Procurada, a publicação não retornou até o fechamento desta edição. Sem entrar no mérito da questão, um dado curioso do imbróglio é um governo com notório viés misógino se aproveitar da causa feminina para fazer política e pressionar a imprensa. Trata-se de um assunto que deveria ficar circunscrito à Justiça e não ser instrumentalizado pelo Palácio do Planalto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26/11/19 8:55h

capeto

disse:

Se o governo - o Executivo - não tivesse uma posição sobre o assunto os Srs. diriam que era omisso em um tema tão caro à sociedade contemporânea etc et al. Como está se posicionando os Srs. dizem que não deveria "instrumentalizar" (um eufemismo desnecessário) a questão. Isso é emblemático da atual posição do RR - um boletim de centro-esquerda -, não é mesmo!? Por fim gostaria de registrar a impropriedade da expressão "notório viés misógino", pois me parece subjetiva, opinativa e sem qualquer fundamento. Enfim, acho que estou ficando velho...e saudoso do RR de papel com suas notas curtas, objetivas, mais voltadas ao universo dos negócios do que à politicagem.

20.11.19

Aliança com Damares

A ministra Damares Alves deverá se alistar no Aliança pelo Brasil, o novo partido da família Bolsonaro e agregados. Damares já é citada como potencial candidata à Prefeitura de Paranaguá (PR), sua cidade natal, em 2020.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.11.19

Doria & Damares

João Doria e a ministra Damares Alves mostraram incrível sintonia na inauguração da Casa da Mulher, na última segunda-feira, em São Paulo, notadamente na escolha de quem participaria ou não da efeméride. Ambos determinaram a suas respectivas assessorias que barrassem a entrada de um grupo de ativistas ligadas a movimentos de esquerda.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.