fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
28.02.20

Conselho do B

Aliados do Conselho da Amazônia, os governadores da região articulam a criação de um comitê próprio. O colegiado teria de discutir questões ambientais e também buscar no exterior recursos para projetos contra o desmatamento. Se nada der certo, ao menos os governadores terão criado um fato novo na queda de braço com Jair Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Estão previstos para amanhã dois indicadores que terão forte impacto nas projeções econômicas em 2020: a PNAD Contínua Trimestral (IBGE) e o IBC-Br de dezembro (BC).

Dados da PNAD mostrando queda de 0,8 ponto no desemprego, no trimestre encerrado em dezembro (de 11,8% para 11%), em linha com números positivos do Caged (evidenciando pujança dos serviços e da construção), animaram o mercado e solidificaram a percepção de que a retomada econômica ganharia fôlego em 2020. O mesmo efeito – ainda que em menor medida – foi provocado pelo avanço de 0,18% no IBC-Br de novembro.

Essa visão enfrenta agora algumas reticências, em função sobretudo de números abaixo do esperado para o comércio no final de 2019. A PNAD e o IBC-Br de amanhã podem “repor os trilhos” ou aprofundar a preocupação. Em segundo plano, ainda nesta sexta, destaque para o IGP-10 de fevereiro (FGV), que iniciou o ano com alta de 1,07% contra 1,69% de dezembro, indicando desaceleração.

A reforma administrativa e o prestígio de Guedes

Na reforma administrativa, continuará o foco no presidente Bolsonaro. Hoje indicou apoio ao projeto da equipe econômica, mas ainda de forma vacilante, desidratando previamente a proposta. A questão promete se arrastar amanhã, transformando-se em embate diário entre alas do próprio governo.

Para além da própria reforma, estará em pauta, nesta sexta, a ascendência e prestígio do ministro Guedes junto ao presidente, após série de falas consideradas desastradas, que se somaram a ruído em avaliação sobre o aumento do dólar. Declarações de Guedes nesse campo alimentam desgaste do ministro, com imagem de que seus comentários favorecem volatilidade no mercado.

Articulações entre Câmara, Senado e governadores

Na reforma tributária, as indicações de lideranças partidárias para postos-chave tendem a travar a instalação de Comissão Mista da Câmara e do Senado, mas, ainda assim, trarão indicações importantes, amanhã, sobre:

1) O grau de apoio para a tramitação rápida do projeto nas duas Casas e a capacidade de articularem as diferentes propostas em debate;

2) A possibilidade de que o Congresso assuma inequivocamente o protagonismo do tema, diante da dificuldade do governo em mostrar direção clara para a reforma. Nesse sentido, são prováveis novas sinalizações de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, nesta sexta;

3) Particularmente no Senado, caminho de negociações aberto com governadores, cuja relação com o presidente da República, em termos gerais, é ruim.

A dança das cadeiras no ministério

A ida do general Braga Netto para a Casa Civil e a de Onix Lorenzoni para a Cidadania, confirmadas no fim da tarde de hoje pelo presidente, estarão no centro de análises amanhã. Na ordem do dia, o fortalecimento da ala militar; a perda de prestígio de Olavo de Carvalho e do próprio Onyx; o histórico e estilo de Braga Netto; e a gestão do Bolsa Família, agora sob o comando de Onyx.

Amizade com a Argentina

O tom do presidente Bolsonaro ao anunciar reunião com o presidente argentino, em março, favorecerá, amanhã, avaliações positivas sobre retomada de agenda conjunta no Mercosul e fortalecimento do pragmatismo nas relações exteriores.

Amazônia e meio ambiente em foco – novamente

Polêmicas ambientais terão destaque amanhã, com série de temas em torno do presidente Bolsonaro: possibilidade – vista negativamente pela mídia – de criação de ministério da Amazônia; ataques ao Greenpeace; funcionamento do Conselho da Amazônia.

A Embaixada nos EUA

Aprovação de Nestor Forster para a embaixada nos EUA, na Comissão de Relações Exteriores do Senado, vai gerar interesse, amanhã, sobre linha e questões a serem tratadas pelo novo embaixador – dentre elas a deportação de brasileiros; a exclusão do Brasil da lista de países em desenvolvimento por norte-americanos e o alinhamento de Forster com o presidente Bolsonaro e o ministro Ernesto Araújo. Nome do embaixador seguirá para aprovação – provável – em plenário.

MPF tenta intervir em acordo Boeing-Embraer

Recurso do MPF para que o Cade analise novamente a venda da divisão de aviação comercial da Embraer para a Boeing levantará ilações, amanhã, não apenas sobre teor do acordo mas também sobre os riscos gerados pela iniciativa. Representará breve percalço ou “cruzada” do MPF?

O cenário do coronavírus

No cenário global, sexta-feira será dia estratégico para avaliações sobre disseminação do coronavírus e medidas do governo chinês para contê-lo – fatores que estão no centro de flutuações na bolsa. Espera-se uma espécie de mediana entre otimismo de ontem, quando ganhou corpo percepção de que o vírus recuava, e susto de hoje, com mudança de método da China na avaliação da doença, que levou ao anúncio de pico de mortes.

Crescimento nos EUA e Europa

Internacionalmente, serão divulgados nesta sexta:1) Vendas no Varejo e Produção Industrial dos EUA em janeiro. Deve se manter trajetória sustentada de crescimento no varejo, repetindo-se os 3% de dezembro de 2019. Já na produção industrial estima-se o segundo recuo seguido, na faixa de 0,2%; 2) Quarta parcial do PIB 2019 da Zona do Euro e da Alemanha. Tendência é de que os números se mantenham na faixa de 0,1%, em ambos os casos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Anúncio do ministro Guedes, de que o governo pedirá adesão formal ao Acordo de Compras Governamentais, que oferece tratamento isonômico a empresas nacionais e estrangeiras em licitações públicas, levará a questionamentos amanhã. Não somente a Guedes quanto ao presidente Bolsonaro.

A medida será saudada pela opinião púbica liberal e por parte da mídia e abrirá novo campo de ação – positivo –, já que teria grande impacto na economia e representaria transformação histórica nas práticas do setor público.

Ao mesmo tempo, o ministro e o presidente terão de responder a dúvidas que permanecem no ar, particularmente o receio de que a mudança prejudique a indústria brasileira. Manifestações de associações do setor, particularmente da Fiesp, serão termômetro importante, nesta quarta.

Também será cobrado do ministro um cronograma para implantação prática da iniciativa.

Outros dois temas levantados por Guedes pautarão o noticiário de amanhã:

1) Declaração de que pobreza é a maior responsável por problemas ambientais. Para além de reações negativas de hoje, deve haver olhar crítico, nesta quarta, tanto para políticas ambientais do governo (com o gancho da criação do Conselho da Amazônia, anunciada hoje) quanto para as sociais, que ainda aparecem como gargalos da atual gestão.

2) Previsão de que o PIB de 2019 virá com crescimento de 1,2% e o de 2020 em 2,5%. Apesar de divergências, mercado tende a corroborar previsões para 2020, amanhã, mas Monitor do PIB da FGV lançou incerteza significativa quanto a crescimento para além de 1% em 2019.

Greenwald, MPF e reação internacional

Indiciamento do jornalista Glenn Greenwald pelo MPF de Brasília levará a novos questionamentos acerca de suposto corporativismo do Ministério Público.  Além da reação de entidades de Imprensa, resposta internacional tende a ser negativa, como já demonstra a abordagem inicial do relator da ONU sobre liberdade de expressão, David Kaye.

O ministro Gilmar Mendes subiu o tom, e afirmou que a denúncia afronta sua decisão , que havia proibido investigações sobre Greenwald.

Cultura e educação: sinais de fumaça

Continuarão em foco amanhã as áreas: 1) Da cultura, com expectativa de que Regina Duarte comece a delinear, mesmo que em declarações de bastidores, sua visão da pasta e de seu período de testes na secretaria; 2) Da educação, com questionamentos ao Sisu, sistema que proporciona a inscrição de alunos aprovados pelo Enem em Universidades Públicas e que apresentou problemas hoje – somados a dúvidas que ainda pairam sobre erros em correção de provas do próprio Enem.

Denúncia impactará a Vale

A Vale sofrerá forte desgaste amanhã – em termos de imagem e no mercado – com denúncia do Ministério Público de Minas contra  16 ex-funcionários da empresa e da Tüv Süd por homicídio duplamente qualificado e crimes ambientais decorrentes do rompimento da barragem em Brumadinho. O maior impacto virá de acusações de que a companhia ocultou informações sobre o risco de barragens.

A indústria no Brasil e o mercado imobiliário nos EUA

No Brasil, destaque amanhã para a prévia da sondagem da indústria, primeira avaliação do setor pela FGV em 2020.

O índice fechou 2019 bem, com alta de 3,2 em dezembro, atingindo o patamar de 95,5 pontos e registrando avanço em todos os quesitos (destaque para expectativas de volume de pessoal ocupado, que chegaram a 97,2 pontos), menos no Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI), que recuou 0,2 ponto.

De lá para cá, no entanto, surgiram dúvidas quanto ao fôlego do setor, de modo que a sondagem de janeiro terá papel importante para estabelecer projeções do ano corrente.

No exterior, a conferir a Venda de Casas Usadas nos EUA, em dezembro, para a qual se espera crescimento acima de 1% após queda acima da esperada pelo mercado em dezembro, de 1,7%.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16/02/20 5:29h

AffiliateLabz

disse:

Great content! Super high-quality! Keep it up! :)

29/01/20 10:11h

SEO Referral Program

disse:

Awesome post! Keep up the great work! :)