fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
26.01.21

Menina do Rio

A ministra Damares Alves foi sondada pelo governador Claudio Castro para mudar seu domicílio eleitoral e disputar a eleição para o Senado pelo Rio em 2022. Seria a candidata da dobradinha Bolsonaro-Castro no estado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.01.21

Ninguém é de ferro

Nos corredores da Alerj já se fala em um aumento dos salários dos deputados. A medida viria a reboque do recente reajuste dos proventos do governador do Rio, Claudio Castro, e de seus secretários.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.12.20

Chave de cadeia

Apesar da boa relação com Jair Bolsonaro, o governador Claudio Castro ficou a ver navios. A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária foi excluída do rateio de 298 viaturas que o Ministério da Justiça começou a distribuir para presídios de todo o país. O curioso é que o Rio tem a segunda maior população carcerária do Brasil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.12.20

“Risco Bolsonaro” ameaça sucessão no MP do Rio

Segundo o RR apurou, o ex-chefe do Ministério Público do Rio Marfan Vieira articula junto ao Palácio Guanabara a nomeação de Luciano Matos como novo procurador geral de Justiça do Estado – a palavra final cabe ao governador Claudio Castro. Matos foi o mais
votado na eleição do MP-RJ, na semana passada. Em outro front, o atual procurador-geral, Eduardo Gussem, trabalha a favor da indicação do procurador Virgilio Stavidis.

Embora tenha ficado em terceiro lugar na votação, Stavidis tem maior apoio político entre seus pares do que a segunda colocada, Leila Costa. Ainda que com candidatos próprios, as diferentes alas do MP-RJ têm um objetivo em comum: blindar a instituição e evitar o risco de take over pela família Bolsonaro. O clã manobra para interferir naescolha do novo  Procurador Geral de Justiça do Rio. No que depender do presidente e de seus filhos, Claudio Castro vai rasgar a lista tríplice do Ministério Público e escolher o procurador Marcelo Rocha Monteiro, que foi apenas o quarto colocado na eleição da semana passada.

Não custa lembrar que, em 2019, o próprio Bolsonaro criou “jurisprudência” ao ignorar os três nomes mais votados no MPF e empossar Augusto Aras na PGR. Marcelo Monteiro é tido dentro do MP-RJ como próximo à família, assim como o próprio governador Claudio Castro. No Ministério Público, o temor é que Castro não tenha – ou não queira ter – força política para resistir às pressões bolsonaristas. Ressalte-se que o MP-RJ é responsável pelas investigações contra Flavio Bolsonaro e do suposto esquema das “rachadinhas”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.12.20

“Museu da Corrupção”

Segundo fonte próxima de Claudio Castro, o governador em exercício do Rio cogita entregar parte do Palácio Guanabara para uma fundação. A ideia seria transformar suas instalações em um museu. O governo do estado passaria a usar apenas o prédio anexo, exatamente onde hoje Castro e sua equipe despacham. A julgar por seus inquilinos mais recentes, como Sergio Cabral, Luiz Fernando Pezão e o virtualmente impichado Wilson Witzel, o risco é o Palácio Guanabara virar o “museu da corrupção”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

03.12.20

Fora, chineses

O governador em exercício do Rio, Claudio Castro, tem dito a seus assessores mais próximos que não vai comprar e nem permitir a vacina chinesa contra a Covid-19 no estado. Trata-se de uma fala sob medida para Jair Bolsonaro. Para o evangélico Castro, é Deus no céu e o clã Bolsonaro na terra.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.11.20

Olha a ilha. Quem vai?

O governador do Rio, Claudio Castro, quer se desfazer da Ilha de Brocoió, pertencente ao estado. Seu maior “atrativo” é o palácio de veraneio do governador. Pezão e Wilson Witzel também tentaram vender o insular ativo. E nada aconteceu.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.11.20

Escondendo o jogo

No BNDES, o recuo de Claudio Castro em relação à privatização da Cedae é visto como jogo de cena de governador interino. A aposta é que, tão logo Castro seja efetivado no cargo, a operação volta à mesa. O Rio não pode abrir mão de uma receita estimada em R$ 10 bilhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.11.20

Cumprindo tabela

O governador do Rio, Claudio Castro autorizou estudos para a venda de ativos imobiliários pertencentes ao estado. Tem cara de espuma. Wilson Witzel fez a mesma coisa e nada aconteceu.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.10.20

Agora vai. Vai?

O governador em exercício do Rio, Claudio Castro, começa a cair nas graças dos investidores da área de saneamento. Castro tem demonstrado maior simpatia à ideia de privatização da Cedae do que seu antecessor, o afastado Wilson Witzel.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.