fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
29.03.22

Descarga elétrica

A chinesa CGN deverá aumentar a voltagem do seu plano de investimentos no Brasil. Os aportes previstos até 2024 poderão chegar aos R$ 15 bilhões, contra os R$ 11 bilhões previstos inicialmente. Os recursos serão destinados a projetos de energia solar e eólica.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

03.09.21

Bons ventos 1

O RR apurou que a chinesa CGN entrou na disputa pela Ibitu Energia, pertencente à norte- americana Castlelake. Dona de usinas eólicas e hidrelétricas – a maior parte no Nordeste -, a empresa estaria avaliada em cerca de US$ 1,2 bilhão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.07.20

Sistema solar

O investimento previsto da chinesa CGN no Brasil já chega a R$ 4 bilhões. O grupo sinalizou ao governo do Piauí a disposição de construir mais duas usinas de energia solar. Os asiáticos já controlam uma geradora no estado, comprada à italiana Enel no ano passado, além de usinas eólicas na Bahia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

07.04.20

Xepa elétrica

A gigante chinesa CGN está prospectando ativos em energia solar e eólica no Brasil. Os asiáticos apostam que o coronavírus vai deixar muita empresa boa pelo caminho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.11.19

Monções chinesas

A chinesa Sinovel, um dos maiores fabricantes de turbinas eólicas da Ásia, estuda se instalar no Brasil. Viria na esteira dos investimentos da conterrânea China General Nuclear Power Group (CGN) no país.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.08.19

Nuclear Power

A China General Nuclear Power (CGN) deverá investir, nos próximos dois anos, cerca de US$ 1 bilhão em novos projetos de energia renovável no Brasil. A cifra se soma aos mais de US$ 800 milhões que os chineses já desembolsaram para a aquisição da Atlantic Energias Renováveis e de três projetos de geração eólica e solar da italiana Enel.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.