fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
assuntos

Banco Regional de Brasilia

15.06.22

Créditos à vista

A Enforce, leia-se BTG, é forte candidata à compra da carteira de créditos duvidosos do BRB (Banco Regional de Brasília), da ordem de R$ 1,2 bilhão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.11.20

IPO no BRB

O governo do Distrito Federal prepara a abertura de capital do braço de cartões do Banco Regional de Brasília.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

31.08.20

Cadeira cativa

Dois grandes clubes brasileiros bateram à porta do Banco Regional de Brasília (BRB) em busca de patrocínio. Foram jogados para escanteio. O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, só quer saber do Flamengo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.07.20

Cabo eleitoral

No papel, o contrato entre o Banco Regional de Brasília e o Flamengo não prevê jogos no Distrito Federal. Apenas no papel. O acordo tácito entre o governador Ibaneis Rocha e o presidente do clube, Rodolfo Landim, é que o rubro-negro leve algumas de suas partidas para o estádio Mané Garrincha, em 2021 – quando, espera-se, os jogos voltem a ser disputados com a presença de público. Mas o grande alvo de Ibaneis é mesmo o calendário de 2022, quando ele disputará a reeleição. O Mané Garrincha vai virar palanque.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

As negociações entre Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, e o Banco Regional de Brasília, novo patrocinador do rubro-negro, passaram diretamente pelo gabinete do presidente Jair Bolsonaro. Dali para o governador do Distrito Federa, Ibaneis Rocha, foi um pulo. Desce o pano.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.09.19

Plano B para o Banco de Brasília

O governo do Distrito Federal está traçando uma nova rota para o Banco Regional de Brasília (BRB). A privatização prevista para este ano daria lugar a uma oferta de ações em Bolsa, sem a venda do controle. O Distrito Federal reduziria sua participação de 75% para 51% das ordinárias.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.