fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
07.07.20

Alça de mira

O TCU investiga a denúncia de que a B2T, da área de TI, voltou a se credenciar para licitações no Ministério da Cidadania. Um contrato de R$ 6,9 milhões com a Pasta foi suspenso após a empresa ser acusada de participar de um esquema de desvio de recursos do antigo Ministério do Trabalho. Procurada, a B2T informou que todos os seus contratos com a administração pública “são regulares e estão sujeitos a apreciação dos órgãos de controle.”

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.02.20

B2T cercada por todos os lados

Alvo de operação da PF na semana passada, a Business to Technology (B2T) também está na mira do TCU. O motivo é o contrato firmado entre a empresa e o Ministério da Cidadania em julho de 2019. Isso menos de dois anos depois de a CGU concluir um relatório apontando supostas fraudes de R$ 50 milhões em um contrato entre a própria B2T e o Ministério do Trabalho. O caso já fez vítimas no governo. O Ministério da Cidadania confirmou ao RR que “nos dias 14 e 30 de janeiro deste ano foram destituídos o subsecretário de Tecnologia da Informação e todos os coordenadores da área”. Disse ainda que está avaliando “os contratos de TI, inclusive o da empresa B2T”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.